Menu
2019-10-11T17:20:50+00:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Pesquisa

O que o brasileiro leva em conta ao escolher um banco? O Twitter responde

Em meio a guerra entre bancões e fintechs, a rede social perguntou aos seus usuários – um público qualificado para consumo de produtos financeiros – quais os fatores determinantes para eles escolherem um banco

11 de outubro de 2019
17:20
Logo do Twitter
Público do Twitter fala muito sobre finanças e é forte consumidor de produtos e serviços financeiros. Imagem: Shutterstock

Em tempos de fintechs descoladas que conquistam o coração do cliente a ponto de serem consideradas uma ameaça aos grandes bancos, saber o que influencia as pessoas a escolher determinada instituição financeira é informação de primeiríssima importância.

E apesar de as fintechs ainda serem formiguinhas perto do poder de fogo dos bancões brasileiros, eles estão bastante atentos ao fenômeno - e longe de subestimá-lo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Tanto é que suas dúvidas acerca do que leva os brasileiros a escolherem uma instituição financeira, das interações dos clientes de bancos com as marcas e de que tipo de comunicação vale a pena fazer moldaram a mais recente pesquisa do Twitter Brasil sobre finanças na rede social.

É a primeira vez que a empresa responsável pela rede social do passarinho divulga para o grande público uma das suas pesquisas feitas para marcas do mercado financeiro.

E o que o Twitter descobriu? Bem, comunicação fofa e descolada à parte, o fator citado pelos tuiteiros brasileiros como o mais importante na hora de escolher em qual banco abrir uma conta foi - surpresa, surpresa #soquenao - PREÇO!

Isso mesmo. Como não poderia deixar de ser, “tarifas baixas” foram citadas por 70% dos pesquisados como o fator mais importante na hora de escolher um banco para abrir conta, seguido de perto por “bons benefícios oferecidos”, citados por 68% dos usuários.

Por benefícios, entenda-se facilidades como programa de fidelidade (pontos e milhas no cartão), descontos em ingressos, esse tipo de coisa.

Outros fatores importantes foram “imagem de marca positiva”, citada por 60%, “localização e acessibilidade”, citada por 54% e oferecimento de “boas opções digitais”, citado por 52%.

Em suma, imagem bacana importa, ser digital importa, mas se não for barato, fica difícil conquistar o cliente. Confesso que eu, como cliente, tendo a concordar com a tuitosfera.

Os tuiteiros não "metem o pau" nos bancos

A parte da pesquisa que mais me intrigou foi a informação de que 54% dos usuários se disseram satisfeitos com seu banco principal, e 33% estão neutros (nem satisfeitos nem insatisfeitos). Apenas 13% se disseram insatisfeitos.

Tudo bem que muitas fintechs também podem entrar na categoria “banco principal”, mas tendo em vista que a maioria esmagadora das pessoas ainda mantém a conta principal nos grandes bancos, é bem provável que elas estejam se referindo a eles mesmo.

Por que ouvir o Twitter é importante quando o assunto é finanças

O departamento de pesquisas do Twitter promove levantamentos desse tipo a fim de munir as marcas de informações para utilizar a rede social de forma mais assertiva ao se comunicar com seu público, o que é evidentemente de interesse comercial de ambos.

Mas faz sentido as instituições financeiras - e também os clientes - ouvirem as opiniões dos usuários da rede social.

Os tuiteiros falam muito sobre finanças, bancos e produtos financeiros - entre janeiro de 2018 e julho de 2019, foram 6 milhões de tuítes sobre esses assuntos, sendo que 4,4 milhões deles foram sobre bancos; destes, 55% mencionam a instituição financeira diretamente - a hashtag ou a arroba, por exemplo.

Além disso, os usuários do Twitter têm um perfil caro às instituições financeiras. Trata-se de um público com renda e escolaridade altas, além de serem formadores de opinião quando o assunto é finanças.

Eles estão, por exemplo, acima da média no que diz respeito à contratação de produtos financeiros: 86% dos usuários têm dinheiro guardado ou algum patrimônio; 74% têm conta em banco; 65% utilizam cartão de crédito e nada menos que 20% são investidores.

A renda mensal média de cada um desses grupos fica entre R$ 5 mil e R$ 6 mil reais, mais de 50% maior que a renda mensal média dos brasileiros. No grupo dos investidores, essa renda é mais que o dobro da renda do brasileiro, ficando na faixa dos R$ 8 mil.

No que diz respeito aos serviços financeiros, os tuiteiros também priorizam bons serviços digitais, segurança de dados, além de poderem resolver os problemas por conta própria, sem terem que falar com alguém ou comparecer a uma agência.

A pesquisa “Twitter & Finanças” ouviu 939 pessoas entre janeiro de 2018 e julho de 2019.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Entrevista

Com juro baixo “estrutural”, Paineiras está otimista com bolsa e título de longo prazo

Gestora que tem 12 anos de história avalia que Selic baixa veio para ficar e que dólar acima de R$ 4 não é impeditivo para valorização do Ibovespa

A Bula do Mercado

Mercado olha para o que vem depois da Previdência

Investidor confia na agenda econômica positiva, com nova pauta das reformas, leilões e privatizações

Dia histórico?

Novela da Previdência deve acabar hoje com final mais feliz que o esperado

Senado termina de votar emendas pela manhã e texto da reforma vai para o segundo turno de votação à tarde

Seu Dinheiro na sua noite

Um novo recorde na maratona da bolsa

No dia 12 de outubro, o queniano Eliud Kipchoge atingiu uma marca considerada por muito tempo impossível para um ser humano: correr os 42 quilômetros da maratona em menos de duas horas. O campeão olímpico dos Jogos do Rio cruzou a linha de chegada em uma prova não-oficial realizada em Viena, na Áustria, com o […]

Mudanças no funcionalismo público

Maia quer iniciar reforma administrativa até a próxima semana na Câmara

Estratégia traçada pelo presidente da Câmara, porém, ainda depende do aval de lideranças e também da equipe econômica

Só falta um passo

Sem mudanças no radar, conclusão da reforma da Previdência pode se estender até quarta-feira

O texto da reforma que será votado prevê uma economia fiscal de R$ 800 bilhões em dez anos

O poder das redes

Facebook, de Mark Zuckerberg, pega Rússia e Irã tentando intervir nas eleições dos EUA em 2020

Notícia vem em meio a uma ofensiva que a gigante das redes sociais tem feito para combater ataques nas eleições mundo afora

Dinheiro na mão mais cedo

Caixa antecipa saque imediato do FGTS. Tudo será pago em 2019

Calendário de saque para não correntistas que iria até março de 2020 foi antecipado. Assim, todo impacto da liberação, estimada em R$ 40 bilhões, acontecerá em 2019

chegando no gigante asiático

Tesla recebe sinal verde para fabricar veículos na China

Ministério da Indústria da China concedeu à montadora do bilionário Elon Musk a autorização para operar

Negócios da educação

Yduqs ganha nova cara e cresce em quantidade e qualidade com compra da dona do Ibmec

Aquisição de R$ 1,92 bilhões é a maior da história da antiga Estácio Participações, que passa a contar com um total de 680 mil alunos, e coloca as ações da Yduqs entre as maiores altas do Ibovespa. Saiba o que os analistas disseram sobre o negócio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Pular para a barra de ferramentas