Menu
2019-09-29T15:11:34+00:00
prestando contas

Greenfield avança e aponta rombo de R$ 54 bilhões em fundos de pensão

Informação consta em documento enviando à PGR; investigações envolvem, em sua maioria, fraudes praticadas contra fundos de pensão

23 de setembro de 2019
15:18 - atualizado às 15:11
rendimento contas fundos
A última atualização sobre os potenciais prejuízos a serem identificados revela um rombo total de R$ 54 bilhões. Imagem: Shutterstock

A Força-Tarefa da Operação Greenfield enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR) prestação de contas das atividades realizadas pela equipe, entre agosto de 2018 e julho de 2019. No relatório, os procuradores esclareceram que, desde o último balanço - encaminhado no ano passado - a força-tarefa registrou incremento de quase 50% em metas a serem cumpridas em seu plano de ação.

As investigações conduzidas pela Greenfield envolvem, em sua maioria, fraudes praticadas contra fundos de pensão. "Somente em relação aos três maiores fundos de pensão do Brasil, o trabalho da força-tarefa Greenfield impacta diretamente na qualidade de vida de 1.247.914 pessoas que foram vítimas de crimes, sem contar os participantes de outros fundos de pensão", assinalam os procuradores no relatório enviado à Procuradoria-Geral.

Segundo eles, a repercussão social das irregularidades investigadas "alcança inclusive os mais de 93 milhões de trabalhadores com recursos depositados no FGTS". A última atualização sobre os potenciais prejuízos a serem identificados revela um rombo total de R$ 54 bilhões.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Além da Operação Greenfield, a força-tarefa é responsável pelas operações Sépsis e 'Cui Bono?', Conclave, Tesouro Perdido, Patmos e Circus Maximus. Conduz ainda três denúncias apresentadas contra o ex-presidente Michel Temer.

O aumento da ofensiva, segundo o documento, é decorrente de novos casos de atribuição da força-tarefa, bem como de delações premiadas e outras investigações, destacam os procuradores da Greenfield.

Os investigadores defendem a necessidade de receber novos membros com dedicação exclusiva no grupo, já que, somente na Operação Greenfield, há quase R$ 1 trilhão em movimentações financeiras para serem analisadas, bem como dados de 145 investigados .

Ao longo do documento, os procuradores demonstram a apresentação de mais de 20 novas ações - sejam penais ou de improbidade - durante o período. A produtividade foi maior que no ano anterior, informou a Assessoria de Comunicação da Procuradoria.

A peça cita o já garantido ressarcimento de, aproximadamente, R$ 11,6 bilhões ao Erário, aos fundos de pensão e às vítimas dos crimes. Destaca ainda "melhorias de gestão e controle dos fundos de pensão e da Caixa Econômica".

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

De olho na economia

Armínio Fraga vê ‘obscurantismo’ e ambiente ‘envenenado’ como entraves à economia

Fraga destacou que o Brasil nunca investiu tão pouco na sua história e que para destravar o investimento será preciso dar mais clareza em áreas que vão além da econômica, como “temas de natureza distributiva”

Novidades à vista?

Petrobras negocia potencial consórcio para leilão de pré-sal, diz presidente

Muitas das maiores petroleiras do mundo, entre elas ExxonMobil, Royal Dutch Shell e BP, além da própria Petrobras, estão registradas para participar da disputa, marcada para 6 de novembro

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

As duas faces do dólar

No filme “As duas faces de um crime”, o eterno canastrão Richard Gere faz o advogado oportunista que defende um jovem acusado de assassinato. A coisa complica quando ele descobre que o garoto interpretado por Edward Norton sofre de múltiplas personalidades. Eu me lembro do filme toda vez que tento encontrar alguma explicação para o […]

Na gringa

Campos Neto: O que foi prometido está sendo entregue

Em encontros no exterior, presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, passa a mensagem de que existe um plano de reinvenção do país com dinheiro privado

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: O cabo de guerra no PSL

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

Situação delicada

Papéis da Boeing caem 7% em NY com notícia de que companhia pode ter “enganado” FAA

De acordo com o periódico, o piloto Mark Forkner teria reclamado que o sistema conhecido como MCAS, na sigla em inglês, o teria deixado em apuros dois anos antes dos acidentes que tiraram a vida de várias pessoas

Boas novas

Ações da Eletrobras sobem após MME dizer que pode encaminhar PL sobre privatização da empresa até início de novembro

De , a proposta do governo federal para a privatização da Eletrobras ainda é a capitalização, com a diluição da participação da União na holding elétrica

nos eua

Reservas são vistas como seguro e não se fala em mudar isso, diz presidente do BC

Campos Neto mencionou que o que se lê sobre os altos custos para se manter as reservas internacionais no Brasil “não é a realidade” e que nos últimos 15 anos, os custos se igualaram às receitas

no velho continente

Há ‘sinais leves’ de supervalorização dos mercados, diz presidente do Banco Central Europeu

Draghi destaca ainda que o setor financeiro não bancário da zona do euro continua tomando risco, mas pontua que a resiliência do setor bancário permanece “sólida”

entrevista

‘Huck vai deixar de ser celebridade e ser líder?’, questiona FHC

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) assiste com ceticismo as articulações do apresentador global

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements