Menu
2019-10-07T16:05:52+00:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
A bola da vez

Os mais buscados: fundos de ações são os campeões de cotistas em 2019

O levantamento faz parte de um estudo feito pela consultoria Economatica. A pesquisa mostra que esses tipos de fundos tiveram um incremento de 262.689 mil cotistas até o fim de setembro deste ano

7 de outubro de 2019
16:05
shutterstock_375186478
Imagem: Shutterstock

Depois de ver um verdadeiro boom na rentabilidade de alguns fundos de ações oferecidos pela gestora Alaska, a casa viu o número de cotistas disparar. E não foi só ela.

Um levantamento feito pela consultoria Economatica divulgado hoje (7) aponta que a classe de fundos que mais ganhou cotistas em 2019 foi a de ações livre, com um incremento de 262.689 mil cotistas. Na prática, esse tipo de fundo permite que o gestor invista em qualquer ação.

Na sequência, aparecem os fundos multimercados livre que tiveram um crescimento de 170.003 cotistas. Desde o começo do ano até 30 de setembro deste ano, o número passou de 333.109 para 503.112.

Apenas em terceiro lugar vem os fundos de renda fixa duração livre grau de investimento, que englobam fundos que investem em títulos de renda fixa mais seguros em termos de classificação de crédito e que são, na sua maioria, títulos públicos.

Em seguida vem os multimercados de estratégia específica, que podem ser desde macro - com operações em diversas classes de ativos com base em cenários macroeconômicos de médio e longo prazos -, assim como long and short, que montam posições apostando na alta (comprado) ou na baixa (vendido) de um ativo.

Nessa última categoria, houve um incremento de 118.248 cotistas durante o mesmo período de análise. O número passou de 79.457 para 197.705 cotistas no fim de setembro deste ano.

A pesquisa corrobora a tese de que o investidor está buscando produtos mais arriscados com foco em obter retornos mais gordos. Isso ocorre porque os investimentos em renda fixa vêm oferecendo rentabilidades cada vez menores, especialmente agora com mais um corte da taxa Selic e possíveis quedas até o fim do ano.

Para a análise, o estudo não levou em conta fundos de bancos de varejo como Bradesco, BBDTVM, Itaú, Santander e Banco do Brasil, assim como fundos exclusivos, estruturados e que fecharam ou abriram em 2019.

Os preferidos

E na hora de escolher, o primeiro lugar na lista de fundos que mais ganharam cotistas em 2019 é do Vinci Valorem FI Mult, que é um fundo multimercado focado em juros e moedas.

Segundo o estudo, o número de cotistas saiu de 942 para 89.300 mil até 30 de setembro deste ano. O patrimônio líquido do fundo também teve uma alta de 136,32%. Em compensação, o retorno do fundo não foi o melhor da lista. No acumulado do ano, a rentabilidade oferecida ficou em 10,2% ao ano.

Na sequência, o fundo que mais ganhou cotistas foi o popular Alaska Black Institucional FIA, que é focado em ações e que recebeu 69.302 cotistas durante o mesmo período. Assim como o primeiro lugar, o fundo não vem performando tão bem em 2019 em relação a outros que investem ações. No acumulado do ano, a rentabilidade dele é de 16,4% ao ano.

O terceiro lugar, por sua vez, é do fundo CA Indosuez Debêntures Incentivadas CP FIC FIM, que é um fundo que busca investir em ativos que financiam projetos de infraestrutura prioritários ao governo Federal. Pelo fato de investir em debêntures incentivadas, ele é isento de Imposto de Renda para a pessoa física.

A razão para o aumento da procura por esses tipos de fundos focados em debêntures é porque a oferta deles também têm crescido, especialmente agora que as empresas estão trocando dívida externa por interna e que há uma expansão de projetos de infraestrutura. No acumulado do ano, o fundo da CA apresenta rentabilidade de 13,2% ao ano.

Já o ganhador em termos de retorno no acumulado do ano é o fundo Icatu Vanguarda Dividendos FIA, com uma rentabilidade de 29,6% ao ano. Apesar de ser o campeão em termos de retorno, ele aparece apenas em 20º lugar na lista dos fundos com maior crescimento de cotistas em 2019.

As gestoras mais queridas

Já no quesito gestoras com maior crescimento de cotistas neste ano, o primeiro lugar ficou com a XP, com um incremento de 104.363 mil cotistas do fim do ano passado até 30 de setembro de 2019. O valor passou de 105.643 para 210.006 mil.

Na sequência, há a gestora de Henrique Bredda, a Alaska Investimentos Ltda. A casa viu um aumento de 101.944 mil cotistas no mesmo período. Antes, o número era de 72.831 cotistas.

Em terceiro lugar, está a gestora Vinci Gestão de Patrimônio com uma entrada de 88.463 cotistas. Por lá, o número passou de 1.147 para 89.610 no fim de setembro deste ano.

Outra gestora que se destacou foi a Vitreo Gestão de Recursos Ltda. O documento relembra que, apesar de ser nova, a gestora terminou o mês de setembro passado com 31.471 cotistas.

Por outro lado, teve gente que perdeu muitos cotistas. Na lista das campeãs de perdas está a Adamcapital Gestão de Recursos Ltda, com queda de 17.701 cotistas no ano de 2019.

A gestora contava com 60.252 cotistas no começo do ano e terminou o mês de setembro com 42.551 cotistas.

Outra que foi bastante afetada foi a GWI Asset Management SA, que administrou a incorporadora Gafisa durante um turbulento período. A gestora no final de 2018 tinha 353 cotistas contra 4 cotistas no fim de setembro de 2019.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Ações para uma vida

Conheça os 5 maiores investimentos da carteira do bilionário Warren Buffett

Em junho deste ano, a holding de Warren Buffett detinha na carteira ações de 47 companhias. Mas cinco delas representavam 69% do total em valor de mercado. Confira quais são as queridinhas do “oráculo de Omaha”

QUER GANHAR DINHEIRO?

5 estratégias para lucrar na bolsa olhando apenas os gráficos

Quem souber interpretar esses movimentos pode ter insights valiosos sobre a tendência de preços.

Impasse sem fim

Hoje não? Hoje sim. Parlamento britânico volta a adiar votação sobre acordo do Brexit

Foi um duro golpe para primeiro-ministro Boris Johnson, que poderá se ver obrigado a pedir à União Europeia o adiamento da saída do Reino Unido

Sócios na bolsa

Banco do Brasil atrai mais de R$ 7 bilhões em recursos de pessoas físicas em oferta de ações

Uma parcela de 30% da emissão do Banco do Brasil foi destinada ao varejo, embora a demanda fosse suficiente para cobrir o total da oferta, de R$ 5,8 bilhões

O melhor do Seu Dinheiro

MAIS LIDAS: Um novo modelo para o concurso público

Durante um bom tempo, se você digitasse “Banco do Brasil” no Google, a primeira palavra sugerida para a busca seria “concurso”. Ainda hoje o termo aparece bem à frente nas pesquisas do site do que “investimentos”, por exemplo. A estabilidade de uma carreira no serviço público continua sendo a aspiração de muita gente, ainda mais […]

Governança corporativa

Após vender Via Varejo, GPA dá novo passo para migrar ações ao Novo Mercado da B3

Pão de Açúcar publicou o primeiro aviso da oferta pública de aquisição (OPA) da Almacenes Éxito, que possui ações listadas na Colômbia, dentro da reestruturação das operações do grupo francês Casino na América Latina

Maquininhas de cartão

Luz verde! UBS inicia cobertura de ações da Stone com recomendação de compra

O preço-alvo para as ações da Stone, que são negociadas na Nasdaq, foi definido em US$ 42, o que representa um potencial de alta da ordem de 23%

Briga política

Bolsonaro quer processar deputado que o chamou de ‘vagabundo’

Em áudio vazado de uma reunião interna da legenda, o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir, também disse que vai “implodir” o presidente Jair Bolsonaro

Smartphone

Com iPhone 11 mais barato, Apple volta a atrair fila de lançamento

Preços do iPhone 11 ainda são salgados e variam entre R$ 5 mil e R$ 9,6 mil, mas estão um pouco abaixo de 2018, quando a Apple lançou o modelo XR por pelo menos R$ 5,2 mil

Sopa de letrinhas

Entenda como funciona o rating, a nota de crédito dos países e das empresas

A avaliação sobre a capacidade financeira de países e empresas de uma maneira padronizada serve para que os investidores conheçam o nível de risco a que estão se expondo na hora de comprar títulos de dívida. Eu conto para você o conceito que está por trás dessas notas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements