Menu
2019-08-12T18:22:04+00:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Vai que vai

“Estamos a 10% de atingir a meta de arrecadação com as privatizações”, diz Salim Mattar

Entre as vendas que foram feitas pelo governo neste primeiro semestre estão a de 90% das ações da TAG e de 100% das ações do sistema de refino de Pasadena

12 de agosto de 2019
18:22
Privatização
Imagem: Andrei Morais/Montagem

Depois de comentar que o processo de privatização da Eletrobras e da Casa da Moeda serão colocados no pipeline para o Congresso olhar, o secretário especial de desestatização e desinvestimentos, Salim Mattar, disse nesta segunda-feira (12) que está confiante e que falta apenas 10% para atingir a meta de arrecadar os R$ 20 bilhões com as privatizações.

Em outras palavras, faltam apenas R$ 2 bilhões. Entre as vendas que foram feitas pelo governo neste primeiro semestre estão a de 90% das ações da Transportadora Associada de Gás S.A (TAG), que é subsidiária da Petrobras, para o consórcio formado pela companhia Engie e pelo fundo canadense Caisse de Dépôt et Placement du Québec (CDPQ).

Assim como ela, houve também a venda de 100% das ações que a Petrobras detinha nas empresas que compõem o sistema de refino de Pasadena nos Estados Unidos.

Relação com o Congresso

Mas a tarefa de Mattar não será fácil. Isso porque privatizações importantes como a dos Correios, Eletrobras e da Casa da Moeda terão que passar pelo crivo do Congresso, o que envolve uma série de negociações com as principais lideranças de ambas as casas.

A razão é que, em junho deste ano, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu que a venda do controle de empresas estatais "exige" autorização legislativa e um processo de licitação.

Já no caso das subsidiárias, o plenário decidiu que as operações de venda ou perda de controle acionário delas não precisam do aval dos parlamentares.

Não é à toa que o secretário comentou na última quinta-feira (8) que está "comendo pelas beiradas" e que vem procurando orientação para ver como manter uma boa relação com o legislativo para garantir que os processos de privatização ocorram.

Venda de imóveis

Enquanto vem trabalhando para garantir que as privatizações de empresas-mãe ocorram, Salim Mattar já adiantou que o governo planeja vender 3.751 imóveis e arrecadar R$ 30 bilhões até 2022.

"A nossa ideia é que daqui a pouco seja possível encontrar placas assim: União, vende ou aluga. Tratar com um número de 0800. Não vamos vender todos os imóveis, mas vamos iniciar um processo que poderá ser continuado depois", disse o secretário em evento na última quinta-feira.

Na ocasião, o secretário disse que está testando dois modelos, mas que tem oito possíveis modelagens na lista.

Lucro das estatais

No começo deste mês, o Ministério da Economia divulgou que o conjunto das 133 empresas estatais controladas pelo governo federal encerrou o primeiro trimestre de 2019 com lucro de R$ 24,6 bilhões. Cifra 57,5% maior que a registrada um ano antes, de R$ 15,6 bilhões.

Segundo o ministério, o maior crescimento percentual observado foi do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que passou de um lucro de R$ 2,1 bilhões para R$ 11,1 bilhões (alta de 437%).

Embora apresentem melhora de resultados e programas para redução de gastos com pessoal e aumento de governança, as estatais ainda são vistas como um sinal de atraso e sinônimo de corrupção.

Não por acaso, uma das bandeiras do governo Jair Bolsonaro e de seu ministro Paulo Guedes é vender o maior número possível de empresas, tentado acabar com o modelo de Estado empresário.

Essa disposição do governo em privatizar o maior número possível de empresas ou mesmo de reduzir sua participação tem tido forte impacto no valor de mercado das estatais listadas em bolsa.

O valor de mercado da Eletrobras dobrou entre maio de 2018 e maio de 2019, para R$ 44,8 bilhões. Banco do Brasil teve alta de 54%, para R$ 140 bilhões.

A íntegra do 10º Boletim das Empresas Estatais Federais pode ser acessada neste link.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Luz no fim do túnel?

Trump: ‘estamos indo muito bem com a China, e conversando’

Membros da equipe econômica norte-americana afirmam que negociadores das duas maiores economias do mundo irão conversar na próxima semana

Tem que adiar isso daí

Vitorioso nas prévias eleitorais argentinas, Fernández defende renegociação de acordo com o FMI

Alberto Fernández afirmou que o acordo para o pagamento de dívidas junto ao Fundo Monetário Internacional é “impossível de cumprir”

Opinião polêmica

Senadora Simone Tebet: ‘Bolsonaro ainda não vestiu o terno de presidente’

Referindo-se ao presidente, senadora do MDB afirmou “jamais imaginei que pudéssemos chegar onde chegamos”

Na hora de prestar contas

Presidente do Senado briga na Justiça para manter sigilo de gastos parlamentares

Destinadas a cobrir despesas relativas ao exercício do mandato, as cotas variam entre R$ 30 mil e R$ 45 mil, a depender do Estado do congressista

Nem tão hermanos assim

Bolsonaro volta a falar sobre Argentina e diz que país está cada vez mais próximo da Venezuela

Presidente usou sua conta no Twitter para fazer novos comentários sobre o processo sucessório na Argentina

Seu Dinheiro no domingo

Liberais não fazem pacotes

Dentro de mais alguns dias conheceremos o Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre. O resultado será magro e há quem fale em recessão técnica. Na sequência veremos uma nova onda de críticas e demandas na linha: “o governo tem quem fazer alguma coisa! Tem que impulsionar a demanda! Esse BC está errado!”. Sinto desapontar […]

Trilhando caminhos

Jovens precisam ter resiliência e iniciativa, dizem executivos sobre ser um novo empresário

Executivos falam sobre os comportamentos que um jovem ingressante numa grande empresa deve ter para trilhar um caminho profissional de sucesso

Crise partidária

Pedro Simon, ex-governador do RS: ‘existe o risco de o MDB desaparecer’

Em entrevista ao Estadão, o filiado ao MDB desde 1965 diz que seu partido precisa fazer uma “profunda reflexão”

Barrado na embaixada?

Consultoria do Senado diz que indicação de Eduardo Bolsonaro configura nepotismo e senadores se articulam para rejeitar seu nome

Parecer foi embasado no entendimento da Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal, que trata sobre nepotismo

Analisando a situação dos hermanos

Crise Argentina, feitiço do tempo

Os grandes desafios econômicos de Maurício Macri também parecem reimpressões de velhos e bem conhecidos problemas argentinos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements