Menu
2019-10-17T13:02:44+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
O tal crowding in

Enquanto setor privado cresce 1,69%, setor público encolhe 1,56%

Contas são do Ministério da Economia, que chama atenção para um novo paradigma que resulta em melhor qualidade do crescimento econômico

17 de outubro de 2019
13:02
Setas-abaixo-acima
Imagem: Shutterstock

Em um balanço das ações do Ministério da Economia, a Secretaria de Política Econômica (SPE) explica uma mudança de paradigma no crescimento brasileiro: À medida que se observa esforços para reduzir o tamanho do Estado, o setor privado vai tomando seu lugar e a economia de mercado passa a ser protagonista do crescimento ao invés das expansões periódicas de gasto público, que se mostraram insustentáveis.

Esse é o tal efeito “crowding in”, que segundo a própria SPE significa que os investimentos privados passam a substituir os investimentos públicos na economia. Isso acontece não só pela redução do setor público, mas porque as condições econômicas para o desenvolvimento do setor privado mostram-se favoráveis, com taxas de juros menores, menor direcionamento de crédito, melhor eficiência na alocação de recursos e maior previsibilidade das condições macroeconômicas.

“A questão mais importante desse movimento é a qualidade do crescimento que se está alcançando, pois não é artificial. Pelo contrário, o crescimento dirigido pelo setor privado é caracterizado pelo empreendedorismo que busca os maiores retornos reduzindo naturalmente a má alocação no uso dos recursos da economia, que leva a uma maior produtividade. Assim, a continuidade desse processo levará a economia a um crescimento maior e mais sustentável nos próximos anos, garantindo uma condição de vida melhor e mais segura para a população brasileira.”

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Sai o Estado entra o privado

Para ilustrar esse protagonismo do setor privado, a SPE faz uma decomposição do Produto Interno Bruto (PIB) entre setor público e setor privado (pela ótica da demanda).

O setor privado apresentou crescimento de 1,69% no segundo trimestre de 2019 com relação ao mesmo trimestre do ano anterior, enquanto que o setor público apresentou retração de 1,56%.

Temos que a diferença entre as taxas de crescimento dos setores privado e público foi de 3,25%. Historicamente, com uma série desde 1997, tal diferença foi em média 0,66%. “Em outras palavras estamos observando um descolamento do desenvolvimento do setor privado com relação ao setor público”.

Uma outra forma de ilustrar a diferença é a inversão da correlação entre os PIBs dos setores privado e público. Entre 1997 e 2016 havia uma correlação positiva (caminham junto) entre o PIB do setor privado com o PIB do setor público de seis meses antes (+0,33), tal correlação passou a ser negativa (-0,72) a partir de 2017.

“Tal fato indica que enquanto no período anterior as expansões da economia eram promovidas por expansões fiscais, que se mostravam temporárias e insustentáveis, como que voos de galinha, a economia atual apresenta um novo paradigma, onde as reduções do setor público é que geram expansões no setor privado, configurando-se um efeito crowding in.”

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

dia de baixa

Ações da Tesla caem forte após companhia apresentar picape elétrica

Modelo futurista Cybertruck deve custar pelo menos US$ 39,9 mil; nesta sexta-feira, os ativos da montadora caíam quase 6%, mas já subiram 39% desde o balanço

Análise

Qual impacto do churrasco na Selic?

Alta no preço da carne ainda não teria força para barrar queda da Selic, mas reforça discurso de cautela do Banco Central

fala ministro

Guedes defende acabar com imposto sobre folha de pagamentos

Em evento, ministro da Economia destacou que a aprovação da reforma da Previdência derrubou a primeira torre de descontrole de gastos no País

clima de otimismo

Um dos maiores terminais de contêineres da América Latina, Santos Brasil inicia investimento de R$ 1 bilhão

Mesmo com uma reação tímida da economia, terminal prevê crescimento; expectativa é que chegue a 1,8 milhão de contêineres ao fim de 2019

Fundo sustentável

Este robô de investimentos investe em Tesla, Beyond Meat e outras empresas “verdes” para você

Gestora Warren, que monta carteiras de investimento para pessoas físicas com base em inteligência artificial, acaba de lançar fundo de investimento em ações de empresas sustentáveis no Brasil e no exterior

Hora do acordo?

Acordo com a China está muito perto, diz Trump

Situação na região autônoma de Hong Kong é o mais recente tema de tensão entre Washington e Pequim, depois que o Congresso americano aprovou um projeto de lei em apoio às manifestações

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta sexta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

de olho no gráfico

Bitcoin e outras sete criptomoedas para ficar de olho

Neste vídeo, abordo a tendência de ativos como Augur, Stellar e Vechain; além disso, dou minha opinião sobre o potencial do bitcoin como moeda mundial

IPCA-15

Prévia da inflação fica em 0,14% em novembro, segundo o IBGE

Resultado ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados na pesquisa do Projeções Broadcast, cujo intervalo ia de 0,09% a 0,31%, porém veio abaixo da mediana positiva de 0,16%.

Recuperação

Ibovespa opera em alta e ronda os 108 mil pontos; dólar cai a R$ 4,18

Declarações mais amenas do presidente dos EUA, Donald Trump, em relação às negociações com a China dão ânimo aos mercados globais e fortalecem o Ibovespa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements