Menu
2019-06-26T11:03:29+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
desenhando o cenário

Confiança do comércio tem primeira alta do ano, informa FGV

Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 1,8 ponto na passagem de maio para junho, aos 93,2 pontos; Já confiança da construção avançou para 82,8 pontos

26 de junho de 2019
10:56 - atualizado às 11:03
Comércio
Imagem: Fotos Públicas

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) registrou o primeiro avanço em 2019: subiu 1,8 ponto na passagem de maio para junho, aos 93,2 pontos, informou nesta quarta-feira, 26, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais o indicador cedeu 1,2 ponto, quarta queda consecutiva.

Segundo o coordenador da Sondagem do Comércio no Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), Rodolpho Tobler, o o resultado positivo do em junho foi influenciado pela melhora das expectativas. "Apesar da melhora, o IE-COM ainda está em nível semelhante ao do período eleitoral, sugerindo que ainda há um processo de calibragem depois de fortes quedas ao longo do início do primeiro semestre", diz.

O especialista ainda pondera que a nova queda dos indicadores de situação atual mostra que os empresários do setor estão incomodados com o ritmo das vendas, reforçando o cenário de recuperação gradual, dada a vagarosa recuperação do mercado de trabalho e o nível baixo da confiança dos consumidores.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Em junho, houve aumento na confiança em oito dos 13 segmentos pesquisados. O Índice de Expectativas (IE-COM) avançou 5,1 pontos em junho, mas ainda se encontra em patamar desfavorável, aos 99,9 pontos. Por outro lado, o Índice de Situação Atual (ISA-COM) recuou 1,5 ponto em junho, para 86,8 pontos, menor patamar desde dezembro de 2017.

"As variações do ICOM têm sido mais influenciadas pela volatilidade das expectativas ao longo dos últimos meses", diz Tobler.

A coleta de dados para a edição de junho da Sondagem do Comércio foi realizada entre os dias 3 e 24 do mês e obteve informações de 851 empresas.

Confiança da construção avança 2,1 pontos

A FGV também divulgou a confiança da construção, que avançou 2,1 pontos em junho ante maio, para 82,8 pontos, depois de ter recuado 1,8 ponto no mês anterior. Em médias móveis trimestrais, o indicador se manteve relativamente estável, ao variar 0,1 ponto, após três meses de queda.

O Índice Nacional de Custo da Construção - Mercado (INCC-M) de junho, por outro lado, acelerou o ritmo de alta a 0,44%, após 0,09% em maio. A taxa do indicador relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços desacelerou a velocidade de elevação a 0,11%, na comparação com 0,18% no quinto mês do ano. Em contrapartida, a taxa do índice referente à Mão de Obra avançou a 0,72% em junho, depois de 0,01% em maio.

Ainda que tenha mostrado uma "melhora significativa" dos indicadores em junho, a coordenadora de Projetos de Construção do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre/FGV), Ana Maria Castelo, avalia que o aumento da confiança da construção não repõe as perdas dos últimos meses. "Assim, a percepção dominante é que ao longo do semestre a atividade encolheu e aumentou o pessimismo."

Em junho, a alta do confiança da construção deveu-se tanto à melhora da situação corrente das empresas quanto às perspectivas de curto prazo do empresariado. O Índice da Situação Atual (ISA) avançou 1,2 ponto, atingindo 73,6 pontos, nível abaixo do alcançado em dezembro de 2018 (74,7 pontos).

Esse resultado foi obtido pela melhora da percepção sobre a situação atual da carteira de contratos, cujo avanço foi de 1,4 ponto, para 72,1 pontos, e da melhora da situação atual dos negócios, que subiu 1,1 ponto, para 75,3 pontos.

No caso do Índice de Expectativas, o aumento foi de 3,1 pontos, chegando a 92,5 pontos. Dentro do IE, os dois quesitos apurados contribuíram para o resultado. O indicador de demanda prevista nos próximos três meses subiu 3,8 pontos, para 93,2 pontos, o maior nível desde fevereiro (95,3 pontos), enquanto o indicador de tendência de negócios nos próximos seis meses teve elevação de 2,4 pontos, para 91,9 pontos, interrompendo uma sequência de quatro meses de queda.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) do setor avançou 2,0 pontos porcentuais, para 68,3%, o maior patamar desde novembro de 2015 (68,8%). Tanto o Nuci para Máquinas e Equipamentos quanto o Nuci para Mão de Obra também tiverem variações positivas: 1,4 e 2,1 pontos porcentuais, respectivamente.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Entrevista

Com juro baixo “estrutural”, Paineiras está otimista com bolsa e título de longo prazo

Gestora que tem 12 anos de história avalia que Selic baixa veio para ficar e que dólar acima de R$ 4 não é impeditivo para valorização do Ibovespa

A Bula do Mercado

Mercado olha para o que vem depois da Previdência

Investidor confia na agenda econômica positiva, com nova pauta das reformas, leilões e privatizações

Dia histórico?

Novela da Previdência deve acabar hoje com final mais feliz que o esperado

Senado termina de votar emendas pela manhã e texto da reforma vai para o segundo turno de votação à tarde

Seu Dinheiro na sua noite

Um novo recorde na maratona da bolsa

No dia 12 de outubro, o queniano Eliud Kipchoge atingiu uma marca considerada por muito tempo impossível para um ser humano: correr os 42 quilômetros da maratona em menos de duas horas. O campeão olímpico dos Jogos do Rio cruzou a linha de chegada em uma prova não-oficial realizada em Viena, na Áustria, com o […]

Mudanças no funcionalismo público

Maia quer iniciar reforma administrativa até a próxima semana na Câmara

Estratégia traçada pelo presidente da Câmara, porém, ainda depende do aval de lideranças e também da equipe econômica

Só falta um passo

Sem mudanças no radar, conclusão da reforma da Previdência pode se estender até quarta-feira

O texto da reforma que será votado prevê uma economia fiscal de R$ 800 bilhões em dez anos

O poder das redes

Facebook, de Mark Zuckerberg, pega Rússia e Irã tentando intervir nas eleições dos EUA em 2020

Notícia vem em meio a uma ofensiva que a gigante das redes sociais tem feito para combater ataques nas eleições mundo afora

Dinheiro na mão mais cedo

Caixa antecipa saque imediato do FGTS. Tudo será pago em 2019

Calendário de saque para não correntistas que iria até março de 2020 foi antecipado. Assim, todo impacto da liberação, estimada em R$ 40 bilhões, acontecerá em 2019

chegando no gigante asiático

Tesla recebe sinal verde para fabricar veículos na China

Ministério da Indústria da China concedeu à montadora do bilionário Elon Musk a autorização para operar

Negócios da educação

Yduqs ganha nova cara e cresce em quantidade e qualidade com compra da dona do Ibmec

Aquisição de R$ 1,92 bilhões é a maior da história da antiga Estácio Participações, que passa a contar com um total de 680 mil alunos, e coloca as ações da Yduqs entre as maiores altas do Ibovespa. Saiba o que os analistas disseram sobre o negócio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements