Menu
2019-03-26T11:59:38+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Antes do balanço

Após Brumadinho, Vale registra queda de 92,8 milhões de toneladas em sua produção

Produção de pelotas também foi impactada em 11 milhões de toneladas, representando 20% da produção anual. Números relativo ao minério de ferro teve crescimento de 4,9% no ano.

26 de março de 2019
11:44 - atualizado às 11:59
A mineradora Vale
A mineradora Vale - Imagem: Shutterstock

A Vale divulgou o seu primeiro relatório de produção após o rompimento da barragem de Brumadinho, em janeiro. Em documento liberado hoje (26), a empresa estimou o impacto de 92,8 milhões de toneladas na produção anualizada de minério de ferro. O balanço da mineradora deve ser divulgado nesta quarta-feira (27).

No detalhamento, a empresa quantifica as perdas, sendo 40 milhões referentes aos complexos de Vargem Grande, Fábrica e da mina Córrego do Feijão, 30 milhões de toneladas da mina de Brucutu, 12 milhões da mina de Timbopeba e 10 milhões de toneladas referentes a mina Alegria.

A produção de pelotas também foi impactada em 11 milhões de toneladas após a paralisação das plantas de Fábrica e Vargem Grande, totalizando 20% da produção anual.

Produção do quarto trimestre

A companhia adiantou os números referentes a sua produção e volume de vendas no 4º trimestre de 2018. Minério de ferro totalizou 101,0 milhões de toneladas no 4º trimestre, fechando o ano com o total de 384,6 milhões de toneladas em 2018. A produção do trimestre ficou 3,8% abaixo do apresentado no período anterior, mas fechou o ano com um crescimento de 4,9% no comparativo com 2017.

A produção trimestral de pelotas ficou em linha com as estimativas, totalizando 15,8 milhões de toneladas. No anual, a produção foi de 55,3 Mt , com crescimento de 9,9% relativo ao ano anterior. Manganês cresceu 2,7% com relação ao  terceiro trimestre, mas apresentou queda de 15,7% no anualizado.

A produção de carvão caiu 2,7% com relação ao 3º trimestre de 2018, mas apresentou um crescimento de 20,7% ante ao mesmo período do ano passado. O crescimento anual foi de 3,1%.  Com queda de 9,8% com relação a 2017, o cobre teve um crescimento de produção de 16,2% comparado ao 3º trimestre de 2018. O negócio de níquel passou por um processo de transição, totalizando uma produção de 244,6 toneladas em 2018, 15,1% menor do que em 2017.

Ouro, cobalto e cobre também apresentaram quedas na comparação anualizada com 2017, com queda de 1,6%, 12,4% e 9,8%, respectivamente.

Quanto ao volume de vendas, finos de minério de ferro e de pelotas totalizaram 96,5 milhões de toneladas no 4º trimestre. O volume de vendas de minério de ferro ficou 4,1% abaixo do apresentado no terceiro trimestre pela adiamento de vendas para fins de otimização de margem no 1º trimestre de 2019, mas fechou 2018 com um volume de 308,9 milhões de toneladas. Venda de pelotas teve crescimento de 12,2% em comparação ao período anterior. Os produtos premium representaram 84% do total das vendas do 4º trimestre e 82% na média anualizada.

 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Apoio declarado

Em podcast, Maia diz que decisão do governo de transferir Coaf para BC é boa

Presidente da Câmara afirmou também que a Casa irá discutir a proposta de autonomia do Banco Central

Seu Dinheiro na sua noite

Belo, recatado e dólar

Foi Edmar Bacha, um dos criadores do Plano Real, quem ensinou a jamais fazer previsões sobre o dólar. É dele a conhecida frase de que a taxa de câmbio foi criada por Deus apenas para humilhar os economistas. Hoje foi um típico dia de humilhação para quem acompanha o mercado financeiro. Mesmo com o noticiário […]

Google e Facebook na mira

Procuradores dos EUA preparam investigação antitruste de gigantes de tecnologia

Investigações devem se concentrar no uso de algumas plataformas de tecnologia dominantes para ofuscar a concorrência

Dança das cadeiras

Receita confirma substituição do subsecretário-geral João Paulo Ramos Fachada

Servidor de carreira, Fachada era o número dois da Receita e é, na prática, o responsável pela gestão do dia a dia do Fisco

Agilidade

Líder do governo defende votar reforma tributária em 45 dias no Senado

Se executado, o prazo coincidiria com a tramitação da reforma da Previdência na Casa

Grupo das aéreas

Avianca Brasil deixará Star Alliance em setembro

Com o movimento, a rede global de companhias aéreas não terá mais empresas brasileiras entre seus membros

Enquanto isso, no Congresso...

Projeto de Lei que reduz para 1% royalties de campos de petróleo marginais avança no Congresso

PL 4663/2016, de autoria de Beto Rosado (Progressista/RN) propõe cortar de 10% para 1% o royalty sobre a produção de campos marginais

BR Distribuidora na conta

Postos ‘bandeira branca’ ganham força e geração de caixa de gigantes de distribuição decepcionam no 2º tri

No centro do problema, as gigantes do setor BR Distribuidora, Raízen Combustíveis e Ipiranga apontaram um vilão em comum: a crise econômica

Expectativas

Vice-presidente da Toyota Brasil diz que venda direta deve chegar a 50% no país em 2019

Vendas diretas são como o setor chama os veículos vendidos pelas montadoras diretamente para os clientes

Comércio com o exterior

Balança comercial tem superávit de US$ 701 milhões na terceira semana de agosto

Em agosto, o superávit acumulado é de US$ 1,222 bilhão. Já no total do ano, o superávit é de US$ 29,697 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements