🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
DESVENDANDO O PAYROLL

EUA: a história que o dado de emprego de junho conta e que pode mudar o rumo dos juros na maior economia do mundo

Logo depois da divulgação do relatório, os investidores aumentaram as apostas no corte de juros em setembro; entenda o que está por trás desse otimismo

Carolina Gama
5 de julho de 2024
13:48 - atualizado às 15:49
Imagem mostra Jerome Powell como grande estrela do mercado financeiro
Imagem: Shutterstock, com intervenções de Andrei Morais

A economia norte-americana criou 206 mil vagas em junho contra o consenso de 190 mil, mas a história por trás do payroll divulgado nesta sexta-feira (5) é contada dessa vez pelos dados que foram revisados nos meses anteriores e que deixam o primeiro corte de juros nos EUA mais perto das apostas do mercado. 

A abertura de postos de trabalho de abril foi revista em baixa (-57 mil), passando de 165 mil para 108 mil. Maio também caiu de 272 mil para 218 mil, uma diferença de 54 mil que, combinada com abril, significa 111 mil empregos a menos do que o inicialmente informado. 

Para completar o quadro, a taxa de desemprego ultrapassou os 4%, para 4,1% em junho. Vale lembrar que em abril a taxa de desemprego foi de apenas 3,4% — um sinal de que pode estar havendo uma folga no mercado de trabalho, que limita o avanço dos salários. 

O ganho médio por hora em junho subiu 0,3% ao mês e 3,9% ao ano — o ritmo de aumento anual mais lento desde o segundo trimestre de 2021.

  • VOCÊ JÁ DOLARIZOU SEU PATRIMÔNIO? A Empiricus Research está liberando uma carteira gratuita com 10 ações americanas pra comprar agora. Clique aqui e acesse.

Os juros baixos vêm aí?

Quando Jerome Powell concedeu a coletiva após a última decisão de manter os juros entre 5,25% e 5,50% ao ano, ele disse que dados inesperados do enfraquecimento do mercado de trabalho poderiam dar a confiança necessária para o Fed iniciar o ciclo de afrouxamento monetário nos EUA. 

O mercado lembrou disso hoje. O monitoramento realizado pelo CME Group mostrava um aumento na chance de que o Fed reduza juros até setembro após a publicação do payroll de junho, com crescimento do salário abaixo do previsto e alta na taxa de desemprego. 

A possibilidade de um corte até setembro subiu a 77,6% assim q o relatório foi liberado. Antes do dado, estava em 72,6%.

 Até dezembro, o quadro que continua mais provável é de um corte de 50 pontos-base, com 47,2% agora, de 45,3% pouco antes do indicador. 

O que dizem os especialistas

O combo inflação arrefecendo e emprego enfraquecendo abre caminho para o início do ciclo de corte de juros em setembro. 

“A criação de vagas está abrandando, especialmente no setor privado, e a taxa de desemprego ultrapassou agora os 4%, o que ajuda a manter os salários sob controle. Com a inflação também parecendo comportada, as chances de um corte nos  juros em setembro por parte são cada vez maiores”, disse James Knightley, economista chefe internacional do ING. 

Para André Valério, economista sênior do Inter, o payroll de junho dá novos indícios de desaceleração do mercado de trabalho, o que será a variável determinante para o início do ciclo de cortes nos juros nos EUA.  

“Mantida essa tendência, esperamos que o Fed dê início ao ciclo de cortes na reunião de setembro, condicionada à não reaceleração da inflação, o que não é o cenário base”, afirma. 

Andrew Foran, economista da TD Economics, diz que a desaceleração dos salários em junho será vista com bons olhos pelo Fed, já que ajuda a abrandar a inflação. 

“O relatório de emprego de junho deve reforçar a confiança do Fed enquanto aguardamos os dados de inflação de junho na próxima semana”, afirma.

VEJA TAMBÉM — Dólar a R$ 5,70 e Ibovespa em queda: e agora? O que esperar para o segundo semestre

Compartilhe

UNINDO FORÇAS

O “quarteto mortal”: os países que vão tirar o sono dos EUA e da Europa e podem levar a uma nova guerra global

18 de julho de 2024 - 19:58

Especialistas destacam o poder econômico do Ocidente, mas reconhecem que a missão de conter o avanço do grupo de quatro países não é fácil

MAIS POLÊMICA

CEO de empresa ligada à rede social de Trump é alvo de investigação por fraude nos Estados Unidos

18 de julho de 2024 - 14:00

Patrick Orlando é acusado pela SEC americana de mentir sobre os planos de sua “companhia do cheque em branco” de se fundir com a startup por trás da Truth Social

Restrição monetária

Lagarde mantém juros restritivos na Europa e diz o que é preciso para as taxas baixarem

18 de julho de 2024 - 13:07

Banco Central Europeu procura trazer a inflação da zona do euro para a meta de 2%

ELEIÇÕES NOS EUA

Biden revela o que o faria desistir de disputar presidência contra Trump em entrevista divulgada horas após diagnóstico de covid

18 de julho de 2024 - 10:59

Biden recebeu diagnóstico de infecção por covid-19 na quarta-feira e precisou interromper sua campanha à reeleição

MILES GUO

Ex-magnata chinês aliado de Steve Bannon é condenado por fraude bilionária nos EUA

17 de julho de 2024 - 15:00

Miles Guo vivia exilado nos Estados Unidos e é crítico do Partido Comunista chinês

CABO DE GUERRA

A disputa pelo fundo do mar: a próxima fronteira da briga tecnológica entre EUA e China

16 de julho de 2024 - 20:00

Projetados para transportar conexões de dados e telecomunicações entre continentes, os cabos submarinos se tornaram uma nova fonte para conflitos geopolíticos

ELEIÇÕES NOS EUA

Lula sobre Trump: “Vai tentar tirar proveito”. A declaração do petista sobre a campanha nos EUA após o tiro em comício

16 de julho de 2024 - 19:57

Nas primeiras entrevistas após o atentado, o agora candidato republicano à presidência disse que foi salvo “por sorte ou por Deus”

Grandes demais para quebrar

Bancões americanos ganham mais com área de investimento e gestão de ativos do que com juros

16 de julho de 2024 - 15:04

BofA teve queda na receita com juros de 3%, enquanto o Morgan Stanley amargou redução de 17% nesse item

TÁ CHEGANDO A HORA

Toda unanimidade é burra? Mercado passa a ver 100% de chance de corte de juros nos EUA em setembro

16 de julho de 2024 - 14:38

Há um mês, as probabilidades de que os juros fossem reduzidos em setembro eram de cerca de 70%; entenda o que mudou de lá para cá e entenda se a redução ds juros está mesmo garantida

ELEIÇÕES NOS EUA

Depois do tiro: Trump leva os votos do Partido Republicano e é o candidato oficial — ele também escolhe o vice. Saiba quem é J.D. Vance

15 de julho de 2024 - 18:42

A escolha de Trump representa um salto na carreira de Vance, de 39 anos, que ingressou no Senado como um político recém-chegado há menos de dois anos; saiba o que ele pensa e defende

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar