🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
TERCEIRA PLENÁRIA

Um dos eventos mais importantes para a economia da China já tem data marcada — e aqui estão os motivos para você ficar de olho nisso

Terceira plenária do atual comitê central do Partido Comunista da China vai ocorrer entre 15 e 18 de julho em Pequim

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
27 de junho de 2024
20:00 - atualizado às 15:23
Imagem com bandeira da China e montagem representando a economia do país
China - Imagem: Shutterstock

O Partido Comunista da China (PCCh) confirmou nesta quinta-feira (27) as datas da realização da terceira sessão plenária do 20º comitê central. O encontro ocorrerá entre os dias 15 e 18 de julho em Pequim.

De acordo com a mídia local, a terceira plenária vai proporcionar “debates mais aprofundados sobre as reformas e a implementação da modernização chinesa”.

Posto assim, talvez pareça um evento qualquer. Afinal, a terceira é apenas uma das sete sessões plenárias conduzidas por cada composição do comitê central do PCCh ao longo de cinco anos de mandato.

No entanto, a “terceira plenária” é acompanhada com certa ansiedade por observadores internacionais da China. E essa expectativa é alimentada pelo histórico do evento.

Por que a terceira plenária é importante

Primeiro porque, quando não há sessão do Congresso Nacional da China, o comitê central é a máxima instância decisória do PCCh, que comanda o país.

Como o Congresso Nacional reúne-se durante apenas alguns dias por ano, é o comitê central do PCCh quem define os rumos da China na maior parte do tempo.

Além disso, enquanto as primeira e segunda plenárias têm caráter mais burocrático, a terceira sessão costuma proporcionar vislumbres das políticas de Estado que ditam rumos da economia chinesa.

Neste ano, o evento ganha ainda mais importância pelo momento econômico vivido pelo gigante asiático. Ao mesmo tempo em que debela uma profunda crise no setor imobiliário, a China direciona dinheiro e esforços a outras áreas da economia na tentativa de manter um nível robusto de crescimento.

Mas o que mantém os observadores atentos ao evento é justamente seu histórico. Em configurações políticas passadas, foi durante a terceira plenária que o comitê central do PCCh estabeleceu políticas que alçaram a China da condição de economia essencialmente agrária a potência tecnológica em cerca de 40 anos.

Como outras “terceiras plenárias” influenciaram os rumos da China

O Partido Comunista tomou o poder na China em 1949, mas foi somente no fim dos anos 1970 que os estrangeiros começaram a entender a relevância da terceira sessão plenária de cada comitê central.

Em dezembro de 1978, na terceira sessão plenária do 11º comitê central, Deng Xiaoping colocou a China no caminho das reformas e da transformação econômica nacional ao permitir que empresas estrangeiras operassem no país.

A decisão abriu caminho para que a China saísse da pobreza e se transformasse na segunda maior economia do mundo em um intervalo de poucas décadas.

Na terceira plenária do 14º comitê central, em 1993 Jiang Zemin solidificou a transição da China para um socialismo de mercado ao tirar de cena um grande número de empresas estatais deficitárias.

A medida quebrou a “tigela de arroz de ferro” do emprego garantido, mas acabou por revitalizar a economia chinesa, que recuperou rapidamente os níveis anteriores de trabalhadores empregados.

Em 2013, um ano depois da posse de Xi Jinping, a terceira plenária do 18º comitê central aprofundou a abertura da economia chinesa aos agentes de mercado.

Cinco anos mais tarde, a última edição da terceira plenária centrou-se mais em temas políticos, entre elas um expurgo de políticos corruptos por meio da reorganização do PCCh e de reformas das instituições do Estado.

Leia também

O que esperar da próxima terceira plenária na China

A expectativa é de que a terceira plenária do 20º comitê central volte a tratar de questões econômicas.

Diante da sinalização de que o encontro vai proporcionar “debates mais aprofundados sobre as reformas e a implementação da modernização chinesa”, a expectativa de analistas e observadores é de que os líderes chineses tratem de problemas econômicos atuais.

Esses temas incluem o endividamento crescente dos governos regionais e a crise no setor imobiliário.

A inovação tecnológica e a autossuficiência também devem estar em pauta diante das dificuldades nas cadeias de abastecimento e das restrições tecnológicas impostas pelos Estados Unidos.

*Com informações da CNBC, da Xinhua e do South China Morning Post.

Compartilhe

UNINDO FORÇAS

O “quarteto mortal”: os países que vão tirar o sono dos EUA e da Europa e podem levar a uma nova guerra global

18 de julho de 2024 - 19:58

Especialistas destacam o poder econômico do Ocidente, mas reconhecem que a missão de conter o avanço do grupo de quatro países não é fácil

MAIS POLÊMICA

CEO de empresa ligada à rede social de Trump é alvo de investigação por fraude nos Estados Unidos

18 de julho de 2024 - 14:00

Patrick Orlando é acusado pela SEC americana de mentir sobre os planos de sua “companhia do cheque em branco” de se fundir com a startup por trás da Truth Social

Restrição monetária

Lagarde mantém juros restritivos na Europa e diz o que é preciso para as taxas baixarem

18 de julho de 2024 - 13:07

Banco Central Europeu procura trazer a inflação da zona do euro para a meta de 2%

ELEIÇÕES NOS EUA

Biden revela o que o faria desistir de disputar presidência contra Trump em entrevista divulgada horas após diagnóstico de covid

18 de julho de 2024 - 10:59

Biden recebeu diagnóstico de infecção por covid-19 na quarta-feira e precisou interromper sua campanha à reeleição

MILES GUO

Ex-magnata chinês aliado de Steve Bannon é condenado por fraude bilionária nos EUA

17 de julho de 2024 - 15:00

Miles Guo vivia exilado nos Estados Unidos e é crítico do Partido Comunista chinês

CABO DE GUERRA

A disputa pelo fundo do mar: a próxima fronteira da briga tecnológica entre EUA e China

16 de julho de 2024 - 20:00

Projetados para transportar conexões de dados e telecomunicações entre continentes, os cabos submarinos se tornaram uma nova fonte para conflitos geopolíticos

ELEIÇÕES NOS EUA

Lula sobre Trump: “Vai tentar tirar proveito”. A declaração do petista sobre a campanha nos EUA após o tiro em comício

16 de julho de 2024 - 19:57

Nas primeiras entrevistas após o atentado, o agora candidato republicano à presidência disse que foi salvo “por sorte ou por Deus”

Grandes demais para quebrar

Bancões americanos ganham mais com área de investimento e gestão de ativos do que com juros

16 de julho de 2024 - 15:04

BofA teve queda na receita com juros de 3%, enquanto o Morgan Stanley amargou redução de 17% nesse item

TÁ CHEGANDO A HORA

Toda unanimidade é burra? Mercado passa a ver 100% de chance de corte de juros nos EUA em setembro

16 de julho de 2024 - 14:38

Há um mês, as probabilidades de que os juros fossem reduzidos em setembro eram de cerca de 70%; entenda o que mudou de lá para cá e entenda se a redução ds juros está mesmo garantida

ELEIÇÕES NOS EUA

Depois do tiro: Trump leva os votos do Partido Republicano e é o candidato oficial — ele também escolhe o vice. Saiba quem é J.D. Vance

15 de julho de 2024 - 18:42

A escolha de Trump representa um salto na carreira de Vance, de 39 anos, que ingressou no Senado como um político recém-chegado há menos de dois anos; saiba o que ele pensa e defende

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar