🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Dani Alvarenga
GAME OVER

Por que as big techs seguem demitindo apesar do boom da inteligência artificial; Sony corta 900 funcionários da PlayStation

Após anunciar queda nas vendas, Sony vai demitir 8% do quadro de funcionários da divisão do PlayStation e var fechar estúdio em Londres

Dani Alvarenga
27 de fevereiro de 2024
16:19 - atualizado às 15:09
xbox, microsoft, videogame, playstation, game. jogos, sony, ps5
Imagem: PxHere

O ano de 2024 está sendo promissor para o setor de tecnologia, impulsionado pela expansão da inteligência artificial. Ainda em fevereiro, o resultado do balanço do quarto trimestre da Nvidia impressionou investidores. O índice Nasdaq, que lista grandes empresas de tecnologia, acumula alta de mais de 8% neste ano.

 Contudo, enquanto as big techs veem os lucros crescerem, os trabalhadores das companhias enfrentam demissões em massa. Só neste início de ano, o setor de tecnologia já despediu 43.957 funcionários, segundo a Layoff.fyi. 

As companhias já realizaram quase 760 demissões por dia em 2024. Durante 2023, o ritmo de cortes foi de 720 trabalhadores por dia.

Neste ano, 24 empresas de tecnologia anunciaram redução no quadro de funcionários, incluindo big techs, como Meta, Amazon, Google e a Microsoft, que encerrou contrato com quase 2 mil funcionários após aquisição da Activision Blizzard. Agora, foi a vez da Sony

A empresa revelou que vai despedir 900 trabalhadores da área da PlayStation, o que representa 8% do quadro de funcionários da empresa no mundo todo.

O que está por trás das demissões no setor de tecnologia?

O boom da inteligência artificial impulsiona o mercado de tecnologia. Porém, para os trabalhadores do setor, se tornou uma faca de dois gumes. Isso porque as companhias precisam de cada vez mais capital para investir em IA, o que faz as big techs repensarem o quadro de funcionários. 

Além disso, a inteligência artificial permite que algumas atividades sejam executadas por máquinas. Segundo relatório da Goldman Sachs, 300 milhões de empregos podem ser automatizados com a ajuda da nova tecnologia.

Mas não é apenas a inteligência artificial que colabora com as demissões em massa nas big techs. Durante a pandemia, a euforia com o setor levou as empresas a contratarem mais funcionários.

No entanto, 2022 não foi um ano tão promissor assim para o setor, o que vem levando as companhias de tecnologia a equilibrarem o quadro de funcionários desde então.

O caso da Sony

Se o setor já passa por uma onda de demissões, o buraco da Sony é mais embaixo. Em 14 de fevereiro, a empresa anunciou que não alcançou a meta de vendas do PlayStation 5 (PS5) e que prevê comercialização de 21 milhões de unidades no ano fiscal, que termina em março.

Até então, a previsão era de 25 milhões de vendas do PS5. A queda na previsão foi causada por uma baixa demanda pelo produto. 

Analistas ainda previam que a Sony iria lançar uma nova versão do PlayStation 5 para impulsionar o interesse no console. Com o anúncio da queda nas vendas, a companhia também revelou que não irá lançar novidades para o game neste ano.

Com um cenário ruim para a companhia, a Sony informou na terça-feira (27) demissão de 900 funcionários,  o que representa 8% da divisão do PlayStation no mundo todo. 

A empresa também anunciou que o estúdio em Londres fechará totalmente. Porém ele não será o único e vários outros estúdios também serão afetados.

Em um e-mail aos funcionários, o presidente e CEO da unidade, Jim Ryan acrescentou que funcionários de todas as regiões da Sony serão impactados pelas demissões. 

“Após consideração cuidadosa e muitas discussões de liderança ao longo de vários meses, ficou claro que mudanças precisam ser feitas para continuar a expandir o negócio e desenvolver a empresa”, afirmou Jim Ryan.

  • VEJA TAMBÉM: Os balanços do 4T23 já estão sendo publicados: receba em primeira mão a análise dos profissionais da Empiricus Research e saiba quais ações comprar neste momento. É totalmente gratuito – basta clicar aqui. 

Para além do PlayStation: o caso Microsoft

Recentemente, outra demissão em massa abalou o mundo tech. A Microsoft anunciou a demissão de 1,9 mil trabalhadores, cerca de 9% do quadro de funcionários, na divisão de jogos da companhia. 

O comunicado veio após a aquisição da Activision Blizzard no valor de US$ 69 bilhões (R$ 343 bilhões). 

Após o anúncio, a Comissão Federal de Comércio acusou a Microsoft de não honrar com o compromisso de uma aquisição vertical da Activision Blizzard. 

O órgão apresentou uma queixa contra a big tech  no Tribunal de Apelações dos EUA.

Já o CEO da Microsoft Gaming, Phil Spencer, afirmou que as demissões fazem parte de um “plano de execução” maior que reduziria “áreas de sobreposição”. 

*Com informações da CNBC, BBC News, Engadget e G1

Compartilhe

ATENÇÃO, INVESTIDOR

Dividendos: Banco do Brasil (BBAS3) anuncia R$ 1,1 bilhão em JCP — em proventos antecipados do 2T24

24 de maio de 2024 - 18:52

Para ter direito à remuneração, é necessário possuir ações do BB até o fim do pregão de 23 de junho

TRAGAM A COROA

Tchau, Itaú (ITUB4): Nubank (ROXO34) se torna o banco mais valioso da América Latina pela primeira vez em dois anos

24 de maio de 2024 - 17:24

Atualmente, o banco digital é avaliado em US$ 56,19 bilhões, equivalente a R$ 290,52 bilhões nas cotações atuais

DONA DO CHATGPT

De demissões a polêmicas em Hollywood: por que a gestão de Sam Altman à frente da OpenAI vem sendo alvo de críticas

24 de maio de 2024 - 16:24

Desde que recuperou o trono de CEO em novembro, Sam Altman viu a empresa que fundou adentrar uma nova onda de intrigas — incluindo uma controvérsia com a atriz Scarlett Johansson e acordos altamente restritivos com antigos funcionários

APERTO DE MÃOS

Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) anunciam acordo de cooperação para ‘mesclar’ malhas aéreas em meio a rumores de fusão das empresas

24 de maio de 2024 - 8:34

Entre as novas rotas compartilhadas, os clientes terão à disposição também oportunidades mais convenientes de conexão

UMA BATALHA DE GIGANTES

Mercado Livre quer se tornar maior banco digital do México — mas expansão do Nubank pode atrapalhar os planos

23 de maio de 2024 - 20:04

O banco do cartão roxo liderou a adição de usuários ativos mensais (MAU) no país, de acordo com relatório do Bank of America

UM AUXÍLIO PARA A DANÇA DAS CADEIRAS

Vale (VALE3) contrata consultoria internacional para seleção de novo CEO e dá mais um passo no processo de sucessão do comando

23 de maio de 2024 - 19:22

A escolhida para assessorar o conselho de administração na busca foi a Russell Reynolds, que entregará uma lista de três possíveis nomes para o cargo ao CA

Mais uma espera

Americanas (AMER3) adia novamente a divulgação dos balanços de 2023 e do primeiro trimestre de 2024

23 de maio de 2024 - 19:13

Previsão da empresa era divulgar seus números em 28 de maio, mas investigação de comitê independente ainda não terminou

NOVAS ESTRUTURAS?

Sanepar (SAPR11) estuda criar holding e outras empresas para segregar negócios; entenda

23 de maio de 2024 - 18:46

O levantamento será elaborado pela Fundação Instituto de Administração (FIA), que terá um prazo de 240 dias para concluir os trabalhos

CHUVA DE PROVENTOS?

Petrobras (PETR4) é a segunda empresa que mais pagou dividendos no 1T24 apesar da polêmica com governo; saiba quem foi a campeã

23 de maio de 2024 - 16:15

Entre janeiro e março deste ano, a estatal depositou um total de US$ 2,03 bilhões em remuneração aos acionistas; veja a lista completa

PAPEL FICOU BARATO?

XP quer recomprar até R$ 1 bilhão em ações após papéis despencarem 14% com o balanço do 1T24

23 de maio de 2024 - 13:28

O conselho de administração da companhia aprovou um programa de recompra de ações de papéis classe A no mercado norte-americano

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar