🔴 ALGORITMO MOSTRA COMO BUSCAR ATÉ R$ 3 MIL POR DIA – CONHEÇA

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
REESTRUTURAÇÃO

Plano financeiro da Gol (GOLL4) envolve aumento de capital de até US$ 1,5 bilhão e refinanciamento de US$ 2 bilhões para deixar a recuperação judicial

Contudo, a decisão da Gol de prosseguir com o plano exigirá a aprovação do Tribunal de Falências dos EUA

Renan Sousa
Renan Sousa
27 de maio de 2024
11:08 - atualizado às 17:40
Avião da Gol (GOLL4)
Avião da Gol (GOLL4) - Imagem: Shutterstock

A Gol (GOLL4) acaba de anunciar um plano financeiro para os próximos cinco anos, em meio ao processo de reestruturação empresarial nos Estados Unidos, conhecido como chapter 11, iniciado em janeiro deste ano.

Para conseguir sair da recuperação judicial, a Gol precisará refinanciar cerca de US$ 2 bilhões em dívidas (acrescido de qualquer pagamento de make-whole permitido e juros de mora).

A companhia aérea também vai precisar de uma injeção de capital de US$ 1,5 bilhão por meio da emissão de novas ações. No entanto, a Gol ainda não entrou em detalhes sobre como será feita a emissão de ações. 

Também é preciso dizer que, recentemente, aqui no Brasil, a Gol e a Azul (AZUL4) anunciaram na semana passada um acordo de cooperação comercial que vai conectar as suas malhas aéreas no Brasil por meio de codeshare, um processo que está sendo analisada pelo Cade

Apesar de não haver nada formal por parte das empresas, há uma expectativa do mercado de que as empresas eventualmente anunciem uma fusão.

Sobre o tema, o diretor-presidente da Azul, John Peter Rodgerson, disse que a empresa monitora de perto a situação.

“Você tem a obrigação com seus acionistas de observar as oportunidades que existem”, afirmou ele em março deste ano.

Veja alguns números da Gol:

  • Valor de mercado: R$ 590 milhões
  • Desempenho das ações nos últimos 12 meses: -82,53%
  • Desempenho das ações desde o início de 2024: -84,55%

Porém, o mercado parece não ter gostado muito da notícia. Os papéis da companhia aérea terminaram o dia com baixa de 3,55%, cotados a R$ 1,36.

O plano da Gol (GOLL4) para voltar trilhos

De acordo com a carta assinada por Celso Ferrer, CEO da empresa, e anexada ao documento enviado à CVM, a Gol negociou os acordos com seus arrendadores e planeja investir no aumento da frota operacional.

Assim, o plano de cinco anos visa a um retorno de capacidade doméstica aos níveis pré-pandemia até 2026.

Para apoiar essa expansão, a Gol espera que a frota da companhia cresça para 169 aviões até 2029. 

Porém, para dar sustentação financeira ao plano, a companhia aérea deve sacrificar a margem Ebitda (um indicador de eficiência operacional utilizado pelo mercado).

Já em 2024, essa margem deve cair para aproximadamente 23% das receitas totais, contra 27% em 2023. 

Mas a companhia espera uma recuperação nos próximos anos, com um crescimento das margens para 29%, 30% e 34% em 2025, 2026 e 2029, respectivamente.

De acordo com o balanço da Gol no primeiro trimestre deste ano, a margem Ebitda atingiu os 30,3% das receitas, uma alta de 5,1 pontos percentuais ante ao mesmo período de 2023. 

Aumento de capital e melhora das contas

Mas a “cereja do bolo” do plano quinquenal da Gol deve vir com um aumento de capital da ordem de US$ 1,5 bilhão, que deve acontecer em algum momento dos próximos cinco anos.

“A companhia pagará seu financiamento existente de Devedor em Posse (DIP) ao mesmo tempo que adicionará liquidez incremental ao seu balanço”, destaca o comunicado.

Contudo, a decisão da Gol de prosseguir com o plano exigirá a aprovação do Tribunal de Falências dos EUA.

Ainda, a companhia aérea conta com refinanciamentos da dívida garantida assim que a empresa sair do processo de reestruturação. Há uma grande expectativa envolvendo o aumento da liquidez de caixa para os próximos anos.

Assim, a Gol espera que os níveis de liquidez atinjam alto entre 18% e 25% da receita em 12 meses até o final de 2025. Do mesmo modo, a relação dívida/Ebitda deve começar a reduzir de 3,6x naquele mesmo ano para 2,9x em 2026 e, finalmente, 1,7x em 2029. 

De acordo com o balanço mais recente, a mesma relação ficou em 4,0x no período encerrado em março de 2024.

Compartilhe

POSSÍVEL PARCERIA

Apple e Mark Zuckerberg vão unir forças? Fabricante do iPhone e Meta discutem investida conjunta em inteligência artificial, diz agência

23 de junho de 2024 - 15:21

A empresa da maçã tenta acordar a integração da IA generativa utilizada pela Meta Plataforms ao Apple Intelligence, lançado pela empresa neste mês

AUXÍLIO DO GOVERNO

R$ 1.412 por funcionário: empresas do Rio Grande do Sul já podem aderir à programa de apoio financeiro do governo

23 de junho de 2024 - 14:08

Serão duas parcelas por empregado, com o pagamento da primeira marcado para 8 de julho e a segunda programada para 5 de agosto

DINHEIRO NO BOLSO

Dividendos e JCP: Localiza (RENT3) vai pagar mais de R$ 400 milhões aos investidores e anuncia aumento de capital milionário

22 de junho de 2024 - 16:37

Terá direito ao pagamento quem estiver na base acionária da companhia de locação de automóveis na próxima quarta-feira (26)

MAIOR OFERTA DO ANO

Privatização da Sabesp (SBSP3) pode movimentar mais de R$ 15 bilhões e ações terão “desconto”; confira os detalhes da oferta

22 de junho de 2024 - 9:58

Se efetivada nesse patamar, essa será a maior operação da bolsa brasileira nos últimos três anos

CHUVA DE PROVENTOS

BB Seguridade (BBSE3) e Multiplan (MULT3) anunciam quase R$ 3 bilhões em dividendos e JCP aos acionistas; veja as condições

21 de junho de 2024 - 19:54

Seguradora do Banco do Brasil (BBAS3) vai distribuir a maior fatia dos proventos: R$ 2,7 bilhões; já a Multiplan anunciou também um novo programa de recompra de ações

TENTATIVA FRUSTRADA

Nada de IPO? Por que oferta de ações da Shein nos Estados Unidos está cada vez mais longe de acontecer

21 de junho de 2024 - 15:50

Varejista de moda chinesa também entrou com um pedido de listagem em Londres

DESTAQUES DA BOLSA

Movida (MOVI3) está andando bem e ação pode se valorizar mais. Vale a pena pegar essa carona? O Citi responde

21 de junho de 2024 - 13:45

Banco norte-americano voltou a cobrir a companhia, mas ainda vê desafios no futuro; saiba o que fazer com os papéis agora

concessionárias de energia

Limite aos proventos das elétricas? Veja o que diz novo decreto do governo

21 de junho de 2024 - 10:47

Aneel será responsável pela avaliação dos indicadores das concessionárias anualmente

VEIO DO RIVAL

De ex-CEO do McDonald’s a futuro presidente da dona do Burger King: ações da Zamp (ZAMP3) saltam 13% com anúncio de novo CEO

21 de junho de 2024 - 10:06

O executivo tem mais de 30 anos de experiência e já foi CEO de diversos setores, incluindo da divisão brasileira da Arcos Dorados

DECISÃO DO GOVERNO

Escolha de investidor de referência da Sabesp (SBSP3) terá direito a “truco” da concorrência

21 de junho de 2024 - 8:15

Na disputa pelo posto, estão nomes como Aegea, Equatorial e até mesmo o empresário Nelson Tanure como um dos possíveis acionistas de referência

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar