🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
CAIU!

Petrobras (PETR4): Lula demite Jean Paul Prates da presidência da estatal e papéis reagem em forte queda em Nova York

Magda Chambriard deve chefiar a petroleira a partir de agora. Ela foi diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP) durante a gestão de Dilma Rousseff.

Camille Lima
Camille Lima, Carolina Gama
14 de maio de 2024
21:30 - atualizado às 22:48
Jean Paul Prates, presidente da Petrobras (PETR4)
Jean Paul Prates, presidente da Petrobras (PETR4) - Imagem: Heudes Regis/Petrobras

O processo de fritura Jean Paul Prates já estava em andamento desde março, quando o pagamento dos dividendos extraordinários colocou o presidente da Petrobras (PETR4) de um lado e o governo de outro. Na noite desta terça-feira (14), ele acabou sendo demitido por Luiz Inácio Lula da Silva — a primeira troca de comando na petroleira feita pelo presidente petista em seu terceiro mandato. 

E não deu tempo nem mesmo de a cadeira esfriar: Magda Chambriard deve chefiar a petroleira a partir de agora. Ela foi diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP) durante a gestão de Dilma Rousseff. Chambriard também é consultora na área de óleo, gás e biocombustíveis e trabalhou na Petrobras por mais de 20 anos.

De acordo com fontes ouvidas pelo Broadcast, Chambriard foi indicada para comandar a Petrobras pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa — que, junto com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, era o maior defensor da saída de Prates da Petrobras. 

A reação à demissão foi imediata: os ADRs (American Depositary Receipts, recibos de ações) da Petrobras reagem em forte queda no after market em Nova York, com recuo de quase 7%.

Para Ruy Hungria, analista da Empiricus, a troca envia um sinal negativo aos mercados. "A sinalização é muito ruim porque a troca por alguém mais próxima do governo aumenta as chances de interferência política, maior destinação do caixa gerado em investimentos pouco rentáveis e consequente redução dos dividendos."

Frederico Nobre, chefe de análises da Warren Investimentos, disse que foi pego de surpresa pela demissão de Prates e que a saída do executivo a pedido de Lula é negativa. Ele espera uma reação na B3 tão ruim quanto a dos ADRs da Petrobras no after market em Nova York.

"Essa mudança traz insegurança ainda mais porque a substituição de Prates deve ser por Magda Chambriard, que é uma pessoa com viés ideológico mais próximo do desenvolvimentista e de Aloizio Mercadante, que vem criticando os dividendos da Petrobras. Ela tem um viés diferente do viés dos acionistas e do mercado em comparação com Prates", disse Nobre.

Saída negociada?

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Petrobras diz que recebeu uma solicitação de Prates para que o Conselho de Administração da companhia se reúna para o objetivo de deliberar sobre o encerramento antecipado do mandato como presidente “de forma negociada”. 

Prates ainda informou que, se a demissão for aprovada, ele pretende renunciar posteriormente ao cargo de membro do conselho da Petrobras. 

Mas em comunicado interno ao qual a TV Globo teve acesso, o executivo é contundente sobre a sua saída da estatal: "[A minha missão foi] precocemente abreviada na presença regozijada de Alexandre Silveira e Rui Costa".

Desde o início do governo, Prates e Silveira divergiam sobre os rumos da Petrobras. Os atritos aumentaram quando, em março deste ano, o conselho da companhia resolveu não pagar dividendos extraordinários — Prates defendia pagar metade do valor e reter metade.

Na época, chegou-se a especular sobre a saída de Prates da presidência da Petrobras. No fim de abril, no entanto, após luz verde de Lula e a aprovação dos acionistas, a estatal acabou anunciando o pagamento de 50% dos dividendos extraordinários retidos na reserva de remuneração em uma solução para o impasse.

O que está por trás da QUEDA das ações da PETROBRAS hoje?

A passagem de Prates pela Petrobras (PETR4)

Prates assumiu a chefia da Petrobras no início do governo Lula, em 2023, e entregou o segundo melhor resultado da história da estatal. 

Nesta segunda-feira (13), a companhia divulgou o resultado do primeiro trimestre de 2024 com um desempenho abaixo do esperado pelo mercado. As ações PETR4 chegaram a cair mais de 3% ao longo desta terça-feira (14) e acabaram encerrando o dia com uma baixa menor, de -1,80%, cotadas a R$ 40,87. Os papéis PETR3 baixaram 2,74%, a R$ 42,93.

Prates não participou teleconferência com analistas para explicar o desempenho trimestral da petroleira, mas gravou um vídeo em que dizia que os resultados refletiram a queda da produção que, por sua vez, já era esperada por conta da manutenção programada de plataformas.

O presidente demitido garantiu ainda que essa queda da produção não teria impactos mais prolongados, classificando-a como uma variação de curto prazo.

Compartilhe

CRISE NA ESTATAL

Justiça nega pedido por assembleia na Petrobras (PETR4) que atrasaria posse de Magda Chambriard

18 de maio de 2024 - 17:02

Em sua reclamação na Justiça, o deputado do Novo alega que, eventualmente reconhecida a queda do CA em efeito dominó após a saída de Prates

QUASE 10 ANOS DEPOIS

Vale (VALE3), BHP e Samarco fazem nova proposta de R$ 127 bilhões para compensar tragédia em Mariana, mas acordo não deve evoluir agora

18 de maio de 2024 - 14:44

Valor de R$ 127 bilhões oferecido na última proposta, do final de abril, foi mantido, mas as empresas retomariam agora obrigações que tinham ficado de fora

SUBIU, DESCEU

Volta da febre das “meme stocks”: GameStop cai quase 20% em um único pregão, mas fecha semana com ganhos de 23%

18 de maio de 2024 - 13:26

Também pressionaram os papéis da mais famosa “ação meme” a divulgação de dados trimestrais preliminares da empresa

Dá o play!

Óleo no chope da bolsa: como ficam seus investimentos após mais uma intervenção na Petrobras (PETR4)

18 de maio de 2024 - 11:00

O podcast Touros e Ursos recebeu Karina Choi, sócia da Cordier Investimentos, para comentar os possíveis impactos da decisão do presidente Lula de demitir Jean Paul Prates da presidência da estatal

DISPUTA JUDICIAL

Justiça de SP suspende embargo das obras do principal projeto da JHSF (JHSF3) após mais de um mês de paralisação

18 de maio de 2024 - 9:12

O relator do documento é Ruy Alberto Leme Cavalheiro, da 1ª Câmara Reservada ao Meio Ambiente

HORA DE VENDER?

Rumo: por que o Goldman Sachs calcula um potencial de ganho menor para as ações RAIL3

17 de maio de 2024 - 16:19

O banco norte-americano reduziu o preço-alvo dos papéis de R$ 27 para R$ 24,50 — o que representa um potencial de valorização de 16,5% com relação ao último fechamento

CHAMA O VAR

Com mais de R$ 395 milhões em dívidas, Polishop pede recuperação judicial, mas bancões tentam reter valores

17 de maio de 2024 - 15:09

Além da recuperação judicial, a Polishop vem tentando se blindar dos credores financeiros por meio de cautela tutelar

COMPRAR OU VENDER?

A Positivo pode mais? As ações POSI3 já subiram 50% este ano e esse banco gringo conta para você se há espaço para mais

17 de maio de 2024 - 13:46

Os papéis da empresa sobem cerca de 5% nesta sexta-feira (17), embalados pela nova recomendação do UBS BB; confira se chegou o momento de colocar ou tirar esses ativos da carteira

INVESTIMENTOS

Seguro mais seguro: por que o JP Morgan elevou recomendação para IRB Re (IRBR3) mesmo com catástrofe no RS?

17 de maio de 2024 - 11:07

Nas contas do banco norte-americano, o IRB é a companhia de seguros mais exposta ao RS, podendo ter um impacto de 15% a até 30% nos lucros até o fim de 2024

PODE BEIJAR!

3R Petroleum (RRRP3) e Enauta (ENAT3) oficializam fusão e formam uma das maiores operadoras de petróleo do Brasil; ações sobem na B3

17 de maio de 2024 - 9:41

De acordo com os termos do acordo, a 3R irá incorporar a Enauta e deterá 53% da nova empresa resultante da fusão, enquanto os acionistas da segunda empresa ficarão com 47% do negócio

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar