🔴 [EVENTO GRATUITO] COMPRAR OU VENDER VALE3? INSCREVA-SE AQUI

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
óleo, gás e... fertilizantes

Petrobras (PETR4) anuncia aumento da produção com nova plataforma no pré-sal e religação de fábrica de fertilizantes

Estatal divulgou a ida do navio-plataforma Marechal Duque de Caxias para o campo de Mero, na bacia de Santos, e a religação de uma fábrica de fertilizantes

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
25 de fevereiro de 2024
13:00 - atualizado às 12:46
Navio-plataforma Marechal Duque de Caxias, da Petrobras, na China
Navio-plataforma Marechal Duque de Caxias, da Petrobras, na China. - Imagem: Divulgação MISC e Petrobras

A Petrobras (PETR3; PETR4) anunciou, neste fim de semana, duas novidades que irão aumentar sua produção.

A primeira foi a saída do navio-plataforma Marechal Duque de Caxias de Yantai, na China, neste sábado (24), em direção ao campo de Mero, o terceiro maior campo de petróleo do Brasil, localizado no pré-sal da bacia de Santos.

Com a instalação da nova plataforma, que entrará em operação a partir de setembro, e outros sistemas que já se encontram no local, a produção no campo de Mero poderá chegar a 590 mil barris por dia.

O equipamento tem a capacidade de produzir até 180 mil barris de óleo e comprimir até 12 milhões de metros cúbicos de gás por dia.

"Esse sistema de produção prevê a interligação de 15 poços à unidade, oito produtores de óleo e sete injetores de água e gás, por meio de uma infraestrutura submarina composta por 80 km de dutos rígidos de produção e injeção, 47 km dutos flexíveis de serviços e 44 km de umbilicais de controle", informou a estatal ontem.

A plataforma, do tipo FPSO (unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência, da sigla em inglês), será a primeira a ser interligada ao equipamento Hisep, tecnologia patenteada pela Petrobras, e fará a separação do óleo e do gás no fundo do oceano, de onde fará a reinjeção do gás rico em CO2.

O Hisep tem o potencial de aumentar a produção e desafogar a planta de processamento de gás da superfície, ao mesmo tempo em que reduz a intensidade das emissões de gases de efeito estufa. Também será usada na plataforma a tecnologia CCUS (Carbon Capture, Utilization and Storage), onde o gás rico em CO2 é reinjetado no reservatório.

Petrobras religará fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados (Ansa), diz Prates

‌A outra novidade da Petrobras foi divulgada pelo presidente da estatal, Jean Paul Prates, na última sexta-feira (23). Segundo o CEO, a fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados (Ansa) será a primeira da companhia a voltar a operar no país, mas a religação ainda não tem data marcada.

Em abril, o executivo irá a Mato Grosso do Sul para ver a situação da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados 3 (Fafen 3), em Três Lagoas, ainda sem prazo certo para entrar em operação.

"A gente não tem uma linha do tempo definida, mas tem uma disposição já definida. O nosso Plano Estratégico autorizou, e não só autorizou, como colocou fertilizantes de volta na pauta de investimento da Petrobras", disse Prates após evento com o presidente Lula para lançar o edital dos incentivos da estatal à cultura, somando patrocínio de R$ 250 milhões.

No ano passado, o diretor de Processos Industriais da Petrobras, William França, havia informado que a ideia da empresa é colocar a Fafen 3 em operação antes de 2028, e que a Ansa deveria voltar a fabricar fertilizantes no segundo semestre de 2024. .

De acordo com Prates, apesar da avaliação de que a unidade de Mato Grosso do Sul está 80% pronta, muito tempo passou desde a paralisação das obras, em 2014.

"Quando você fala de uma planta dessa, que é uma coisa que tem que estar viva o tempo todo, como um carro antigo ou mesmo um carro novo, se você deixar na garagem dois anos, três anos, ele começa a falhar. Então, na verdade é um 80% que deve cair para 70%. Vai ter coisas que você vai ter que repor", explicou Prates.

O CEO fez questão de pontuar que a gestão anterior da Petrobras não apenas excluiu os investimentos em fertilizantes como praticamente proibiu a Petrobras de investir no setor. Com isso, o Brasil passou a importar todo o fertilizante que utiliza.

"Nós recuperamos essa faculdade e temos projetos como esses, principalmente, que ficaram no meio do caminho. Estava sendo construída, parou. Nós estamos articulando formas de isso ser agilizado para terminar essa planta e ela começar a produzir. Ela está exatamente no meio do mercado agrícola", destacou o executivo.

PODCAST TOUROS E URSOS: A bolsa fora da caixa. As ações da carteira de Rodrigo Glatt, da GTI

Redução da dependência de fertilizantes do Brasil

Com a volta das fábricas de fertilizantes da Petrobras, inclusive as arrendadas para a Unigel na Bahia e Sergipe, a necessidade de importação de fertilizantes pelo Brasil deve ser reduzida.

No final do ano passado, a estatal fechou com a Unigel - arrendatária das unidades na gestão anterior da Petrobras - um acordo de industrialização por encomenda (tolling), visando a retomada da produção nas unidades, que vinham dando prejuízo à Unigel.

O investimento em fertilizantes, refinarias e energia limpa e descarbonização pela Petrobras têm sido bandeiras defendidas pelo presidente Lula, e vão no sentido contrário do que a estatal vinha fazendo nos últimos anos, de focar apenas na exploração de petróleo em águas profundas.

Com Estadão Conteúdo

Compartilhe

RESULTADO DO LEILÃO

Teste para a Sabesp? Em primeira privatização de Tarcísio, fundo arremata Emae por R$ 1 bilhão

19 de abril de 2024 - 19:51

Com ágio de 33,68%, o fundo arrematou a estatal e passará a gerir um ativo com 906 megawatts (MW) em geração hidrelétrica

RECUOU?

A explicação do ex-conselheiro da Vale (VALE3) após a acusação de interferência do governo na mineradora

19 de abril de 2024 - 19:41

O assunto voltou à tona na resposta a um ofício da CVM, que solicitou esclarecimentos sobre as recentes declarações de José Luciano Eduardo Penido

POR DENTRO DA OPERAÇÃO

Tchau, Vale (VALE3)? Por que a Cosan (CSAN3) vendeu 33,5 milhões de ações da mineradora

19 de abril de 2024 - 19:28

A Cosan também quitou R$ 2 bilhões do saldo remanescente do endividamento e liquidação dos derivativos atrelados às ações da Vale

Cura até coração partido

E agora, Ozempic? Caneta emagrecedora Zepbound se mostra promissora no tratamento da apneia do sono

19 de abril de 2024 - 18:45

De acordo com dados preliminares de ensaios clínicos, a Zepbound foi mais eficaz que um placebo na redução da gravidade da apneia obstrutiva do sono

REPORTAGEM ESPECIAL

Petz (PETZ3) mira fórmula “Raia Drogasil” em fusão com a Cobasi, mas mercado ainda é cético com modelo de negócios

19 de abril de 2024 - 15:35

Fundador da Petz, Sergio Zimerman falou sobre a fusão em teleconferência com analistas, que não contou com a presença de ninguém da Cobasi

RECICLAGEM DE ATIVOS

Log (LOGG3) garante mais de R$ 500 milhões para o caixa com nova venda de galpões para fundo do BTG

19 de abril de 2024 - 10:57

Vale relembrar que o FII foi criado justamente para investir nos imóveis da companhia e já havia comprado cinco outros galpões da Log no ano passado

NEGÓCIO ANIMAL

Petz (PETZ3) e Cobasi selam acordo para fusão que cria gigante do mercado pet; ações disparam mais de 40% na abertura na B3

19 de abril de 2024 - 8:19

Juntas, Petz e Cobasi formarão rede de 483 lojas e faturamento de aproximadamente R$ 6,9 bilhões. Cada rede terá 50% do negócio combinado

NA QUINTA TENTATIVA

Credores aprovam plano de recuperação judicial da Oi (OIBR3) após assembleia se estender até madrugada; veja detalhes

19 de abril de 2024 - 7:17

O documento obteve o aval de 79,87% dos credores presentes no encontro desta quinta-feira (18)

DINHEIRO NO BOLSO

CCR (CCRO3) e Vibra (VBBR3) anunciam mais de R$ 1,2 bilhão em dividendos; confira o cronograma de pagamento de cada uma das companhias

18 de abril de 2024 - 18:32

O maior valor será distribuído pela Vibra, que pagará R$ 676 milhões em duas parcelas; já a CCR depositará R$ 536 milhões na conta dos acionistas

O 'X' DA QUESTÃO

Dividendos da Petrobras (PETR4): governo pode surpreender e levar proposta de pagamento direto à assembleia, admite presidente da estatal

18 de abril de 2024 - 18:03

Jean Paul Prates admitiu a possibilidade de que o governo leve uma proposta de pagamento diretamente à assembleia de acionistas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar