🔴 QUER SAIR DO ALUGUEL? NÃO USE O FGTS PARA FINANCIAR O IMÓVEL – CONHEÇA ESTA ESTRATÉGIA

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

É hora de comprar a ação da Raízen? Santander inicia cobertura de RAIZ4 e vê potencial de 33% de valorização até 2026

Parte da visão otimista dos analistas está baseada nas perspectivas construtivas para o futuro do etanol de segunda geração (E2G)

Totem da Raízen em Rondonópolis (MT) | Dividendos
Totem da Raízen em Rondonópolis (MT). - Imagem: Divulgação

Mesmo com o sucesso dos carros elétricos, a busca por combustíveis continua resiliente, pelo menos por enquanto — e a acelerada demanda por etanol pode beneficiar a Raízen (RAIZ4) daqui para a frente.

O Santander iniciou a cobertura das ações RAIZ4 com recomendação de “outperform”, equivalente a compra, e fixou um preço-alvo de R$ 4 para o fim de 2026.

A cifra implica em um potencial de valorização de 33% em relação ao último fechamento.

As ações reagiram em alta na bolsa nesta sexta-feira (5), encerrando o pregão com ganhos de 3%, a R$ 3,08. No ano, os papéis ainda acumulam baixa de cerca de 23.2% em 2024.

Por trás da visão otimista para Raízen (RAIZ4)

Parte da visão otimista do Santander para a Raízen está baseada nas perspectivas construtivas do banco para o futuro do etanol de segunda geração (E2G).

Segundo os analistas, além dos volumes mais fortes do que o esperado, os retornos são semelhantes aos seus projetos globais. 

O banco também vê oportunidade no término dos contratos de cogeração de energia, uma vez que o E2G poderá aumentar significativamente a rentabilidade das usinas brasileiras. 

“Com 20% da capacidade energética dos contratos de cogeração prevista para expirar em 2025, o investimento considerável poderia render um retorno 40% superior se as fábricas produzissem E2G em vez de cogeração”, afirmou o Santander.

Na visão dos analistas, esta poderia ser uma alavanca fundamental para a Raízen expandir as margens através de novos modelos de negócios, como licenciamentos ou joint ventures.

Porém, é importante destacar que a implementação do E2G tem sido desafiadora devido à inflação e aos atrasos na construção.

Uma ajudinha da transição energética

Outro ponto que pode beneficiar a Raízen é o ganho de participação do etanol em meio à redução da paridade com a gasolina nas bombas de combustíveis, na visão do Santander.

“O etanol está ganhando participação sobre a gasolina, potencialmente ajudando a normalizar os estoques e permitir a expansão do mercado, evitando a competição entre o etanol de cana-de-açúcar e o de milho no médio prazo”, afirmou o banco.

Na avaliação do Santander, a Raízen está “estrategicamente posicionada” para aproveitar as oportunidades de crescimento estrutural que estão sendo criadas pela troca de matriz energética.

“Sua posição diferenciada como a maior produtora de biomassa do mundo permite que a empresa busque projetos de alto retorno que vão de E2G a biogás e muito mais”, afirmaram os analistas, em relatório. 

Segundo o banco, outro ponto complementar para o desempenho das ações são as operações da Raízen em distribuição de combustível no Brasil e a melhoria dos negócios de açúcar e etanol.

Leia também:

O que esperar da Raízen (RAIZ4) daqui para a frente

Apesar da visão otimista do Santander, a perspectiva é de ventos contrários em 2025 devido aos preços mais baixos do açúcar.

Os analistas projetam um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 14,7 bilhões para o ano fiscal de 2025, perto da faixa mais baixa do guidance anunciado pela Raízen.

“Somos mais conservadores do que o mercado em termos de negócios de Açúcar e Etanol, devido à tendência de queda dos preços do açúcar”, disse o banco.

O Santander considera um preço médio de US$ 0,19 por libra para o ano, contra um consenso de US$ 0,21 por libra do mercado.

Isso porque os analistas preveem um pequeno superávit no período, ajudado pela “brilhante” perspectiva de safra do Brasil e da Tailândia em 2024-25.

Entretanto, o banco avalia que a depreciação do real pode impulsionar os resultados da Raízen, compensando parcialmente a fraqueza do preço do açúcar.

Mas, enquanto o cenário é mais conservador para o açúcar, o negócio de mobilidade da Raízen deve ter um bom desempenho, segundo o banco, dada a estratégia da Raízen de focar em margens, em vez de volumes.

Os riscos para a tese do Santander

Como em toda tese de investimento, as projeções do Santander para a Raízen (RAIZ4) podem ser impactadas — tanto para cima quanto para baixo.

Em relação aos riscos, o banco avalia que existem seis principais fatores que podem pressionar o desempenho da Raízen (RAIZ4). São eles:

  • Preços de commodities e combustíveis;
  • Mudanças em mandatos de renováveis;
  • Excedente de investimentos (capex);
  • Mudanças na monetização de créditos fiscais.
  • Eletrificação da frota brasileira; e
  • Disciplina de capital.

Já do lado de catalisadores, os analistas avaliam que uma tríade de fatores pode ajudar a companhia daqui para a frente.

Uma eventual aceleração de projetos em E2G, a paridade mensal de etanol e consumo, e a melhoria de rendimentos para a safra de cana-de-açúcar são os principais fatores de impulso citados pelo banco.

Compartilhe

BALANÇO DO MÊS

IRB (IRBR3) registra lucro de R$ 28,4 milhões em maio, mesmo com peso da tragédia do Rio Grande do Sul

24 de julho de 2024 - 9:42

Os resultados trimestrais do IRB Re estão programados para serem publicados no dia 14 de agosto

DANÇA DAS CADEIRAS

Ambipar (AMBP3) volta aos holofotes com reestruturação da diretoria; veja quem serão os novos CFO e DRI

24 de julho de 2024 - 9:15

Com a mudança, Thiago da Costa Silva deixará as duas funções para ocupar a cadeira de diretor de integração e finanças

SEMANA TECH

A bolha estourou ou só está murchando? Ações da Tesla e do Google reagem em queda a balanços — e isso explica o momento das grandes empresas de tecnologia

24 de julho de 2024 - 8:13

Para os próximos dias, nomes como Microsoft, Visa, IBM, Qualcomm e Amazon também publicam seus dados do segundo trimestre

BALANÇO

Santander (SANB11): lucro cresce 44% no 2T24 e fica acima do esperado; veja os destaques do balanço

24 de julho de 2024 - 7:31

Lucro líquido do Santander foi de R$ 3,332 bilhões no segundo trimestre de 2024 e rentabilidade supera o patamar de 15%

TENDÊNCIAS DO VAREJO

É o fim do multimarcas no varejo? Por que a Americanas (AMER3) decidiu encerrar os sites Shoptime e Submarino

24 de julho de 2024 - 6:10

No início de julho, a gigante do varejo, em recuperação judicial, anunciou a incorporação das duas marcas à plataforma principal. Entenda o que está por trás da decisão

PROPAGANDA ENGANOSA

Oi, Vivo e Tim vão ter que pagar milhões: operadoras de celular são enquadradas por crime contra o consumidor

23 de julho de 2024 - 18:01

As empresas foram acusadas pela Senacon de propaganda enganosa sobre 5G, mas ainda podem recorrer

CHEQUE DE QUASE R$ 7 BI

Privatização da Sabesp (SBSP3) é concluída e Equatorial (EQTL3) tem que pagar a conta: presidente da companhia diz ter mais ativos prontos para vender e levantar recursos

23 de julho de 2024 - 16:45

Augusto Miranda destacou que a empresa tem tempo para estruturar uma saída do empréstimo ponte tomado junto a um grupo de bancos

DESTAQUES DA BOLSA

Carrefour Brasil (CRFB3) volta a ter lucro e supera expectativas no 2º trimestre – mas o que explica a queda das ações na B3 hoje?

23 de julho de 2024 - 14:17

Grupo anunciou um lucro líquido de R$ 330 milhões e a abertura de novas lojas da rede de varejo; analistas, contudo, não são unânimes sobre a compra da ação

DESTAQUES DA BOLSA

Embraer arremete e volta a voar na B3; EMBR3 lidera os ganhos do Ibovespa hoje. O que está por trás da alta da ação?

23 de julho de 2024 - 13:59

O desempenho positivo das ações da Embraer hoje vem na esteira do anúncio de mais uma encomenda de aviões militares no exterior; veja os detalhes

SÓ AS PONTINHAS

Após privatização, Sabesp (SBSP3) anuncia corte nas tarifas de água — mas você nem deve perceber

23 de julho de 2024 - 11:43

Também passam a vigorar no novo estatuto social da companhia e novas políticas internas, relacionadas à distribuição de dividendos e governança corporativa

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar