🔴 NOVA META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM DUAS OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Micaela Santos
Micaela Santos
É repórter do Seu Dinheiro. Formada pela Universidade São Judas Tadeu (USJT), já passou pela Época Negócios e Canal Meio.
BANCO CENTRAL

O Open Finance vai bater de frente com o Pix? Adesão do sistema financeiro aberto entre os brasileiros tem salto em 2023

Iniciativa criada pelo Banco Central permite o compartilhamento de dados pessoais, bancários e financeiros entre instituições do ecossistema, eliminando burocracias

aplicativo dinheiro
Imagem: Freepik

Lançado no Brasil em 2021, o Open Finance foi criado com a missão de descomplicar as finanças dos brasileiros.

O sistema permite o compartilhamento de informações financeiras dos clientes entre os bancos do país. Na proposta inicial do BC, responsável pelo projeto, o usuário poderia movimentar suas contas bancárias a partir de diferentes plataformas, e não apenas pelo aplicativo ou site do banco. 

No entanto, essa inovação não foi para frente, e o serviço financeiro do BC ainda é menos popular que o Pix, lançado em 2020 e que já conta com mais de 156 milhões de usuários.

Contudo, de acordo com um relatório anual divulgado nesta sexta-feira (7) pela autoridade monetária, o Open Finance vem ganhando adesão entre os brasileiros. De janeiro a dezembro de 2023, a alta no número de consentimentos foi de cerca de 97%. 

No ano passado, a quantidade de consentimentos ativos chegou a mais de 42 milhões - cerca de 15% da população brasileira usuária de serviços bancários. 

Desses 42 milhões, 27,7 milhões foram consentimentos únicos, de pessoas físicas ou empresas. 

No ano anterior, em dezembro de 2022, os consentimentos ativos somaram 18,7 milhões.

Em outras regiões, como no Reino Unido, a adesão ao Open Finance é de 13%. O sistema britânico, inclusive, inspirou a criação da iniciativa no Brasil pelo BC.

O que é o Open Finance

O sistema financeiro aberto do Banco Central permite que determinadas informações sobre a vida financeira do consumidor sejam conhecidas pelas instituições. 

Desde outubro do ano passado, o prazo para que os bancos e fintechs tenham acesso às informações transacionais, bancárias e de investimentos dos clientes é indeterminado. 

Anteriormente, o aval para a troca dessas informações era de 12 meses. 

Ao todo, eram 946 instituições e cooperativas cadastradas como participantes ativas no open finance ao final de 2023.

Em 2023, o BC expandiu as opções de informações que podem ser compartilhadas e consultadas entre as instituições participantes. Entre elas estão dados sobre produtos de câmbio, investimentos, seguros, previdência, capitalização e credenciamento. 

Além disso, é possível compartilhar informações transacionais sobre produtos e serviços de investimentos de bancos e instituições não bancárias, como corretoras independentes e gestoras.

Segundo o relatório do Banco Central, “tudo é feito com total segurança e transparência, com autorização prévia e explícita de cada usuário – pessoas ou empresas –, que pode decidir quais dados compartilhar, quando, por quanto tempo e com quem deseja fazê-lo, usufruindo dessa possibilidade de forma gratuita e 100% digital”. 

As vantagens do Open Finance para o consumidor

Segundo o BC, o conceito por trás do Open Finance é que o cliente é dono das suas informações. Com isso, ele deve ter o poder de escolher quem tem permissão para acessá-las. 

A iniciativa também tem como objetivo trazer inovação ao sistema financeiro, promover a concorrência e fomentar a digitalização. Além disso, visa melhorar a oferta de produtos e serviços financeiros para o consumidor.

Outra vantagem é que, com o compartilhamento de informações, o cliente não precisa começar um relacionamento do zero com novos bancos ou fintechs. Ele pode receber propostas personalizadas de produtos ou serviços como empréstimos, por exemplo, que levam em consideração o histórico do consumidor.

Compartilhe

LOTERIAS

Quando a Mega-Sena falha, a Lotofácil não decepciona; veja os ganhadores

14 de junho de 2024 - 5:54

Enquanto o prêmio acumulado da Mega-Sena atingiu a marca de R$ 47 milhões, a Lotofácil teve dois ganhadores na noite de quinta-feira

Pressão do mercado

Haddad diz que “vai dar uma geral” no Orçamento 2025 e acelerar agenda de cortes de gastos

13 de junho de 2024 - 16:40

Segundo o ministro da Fazenda, será feita uma “revisão ampla, geral e irrestrita” das propostas para reduzir despesas

Questão fiscal brasileira

‘Modelo de arrecadação esgotou e governo tem que olhar para os custos’, afirma sócio da O2 capital

13 de junho de 2024 - 9:16

Oestes Costa comenta a necessidade de uma mudança na agenda econômica para “destravar o país” e recomenda investimentos para uma carteira diversificada; confira

LOTERIAS

Lotofácil sai para bolão em SP e Caixa recebe apostas exclusivas para a Quina de São João; Mega-Sena acumulada corre hoje

13 de junho de 2024 - 5:54

Enquanto a Lotofácil faz jus à fama de loteria “menos difícil” do Brasil, prêmio da Mega-Sena está acumulado em R$ 40 milhões

PRÊMIO BANCO CENTRAL DO ANO

Recado para Lula e Haddad? A declaração de Campos Neto sobre a autonomia do BC e as decisões de juros para conter inflação

12 de junho de 2024 - 19:54

Presidente da autoridade monetária recebeu o prêmio “Banco Central do Ano”, conferido pelo portal de notícias Central Banking, em Londres e aproveitou para falar sobre sua gestão

AJUDA AO GOVERNO

Dividendos pingando na conta do Tesouro: BNDES eleva pagamento de proventos para 50% — e cifra deve chegar a R$ 16 bilhões

12 de junho de 2024 - 19:30

Aumento do percentual de pagamento de dividendos de 25% para 50% não deve reduzir os desembolsos do banco, segundo Aloizio Mercadante

De olho nos petrodólares

Ministro da Agricultura elege sauditas como “parceiros preferenciais”

12 de junho de 2024 - 18:42

Fávaro disse que tem fechado acordos para infraestrutura e formação de fundos com a Arábia Saudita

PRESTAÇÃO DE CONTAS

O que o TCU viu de certo — e também de errado — nas contas do governo Lula em 2023?

12 de junho de 2024 - 18:21

A auditoria da prestação de contas de Lula no ano passado verificou cerca de R$ 109 bilhões em irregularidades e distorções de valor no balanço da União

MINISTROS DIVIDIDOS

A remuneração do FGTS vai mudar: confira a decisão do STF sobre o cálculo que pode afetar o setor imobiliário

12 de junho de 2024 - 16:15

Atualmente, os valores depositados no fundo remuneram a Taxa Referencial (TR) mais 3% ao ano, além do eventual lucro no período, mas o cálculo vai mudar.

MP da Compensação

Senado avalia usar Imposto de Renda, repatriação e dinheiro esquecido para compensar a desoneração da folha

12 de junho de 2024 - 12:03

Uma das fontes avaliadas pelo Senado para compensar desoneração é a taxação de compras internacionais

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar