🔴 AGORA O SEU DINHEIRO ESTÁ NO WHATSAPP! CLIQUE AQUI E RECEBA CONTEÚDOS DIRETO POR LÁ. 

Cotações por TradingView
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
PARA O TCU E STF

Fechando o cerco a Bolsonaro: além de inelegível, ex-presidente pode encarar processo penal e multa — julgamento no TSE será retomado amanhã (29)

O ex-presidente é acusado de abuso de poder político ao buscar vantagem eleitoral em uma reunião com diplomatas estrangeiros, realizada no dia 18 de julho de 2022

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
28 de junho de 2023
16:46 - atualizado às 15:29
Presidente Jair Bolsonaro, teve almoço com representantes de bancos no dia 8 de agosto
O ex-presidente Jair Bolsonaro - Imagem: Alan Santos/PR

O cerco a Jair Bolsonaro (PL) está se fechando. Além de enfrentar um julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pode deixar o ex-presidente inelegível, agora ele também pode se tornar réu em um processo penal e pagar multa. 

Ao votar pela inelegibilidade por oito anos de Bolsonaro, o ministro Benedito Gonçalves, do TSE, sugere a ampliação da investigação sobre as condutas do ex-presidente. 

O relator determinou o envio imediato ao Tribunal de Contas da União (TCU), à Procuradoria-Geral da República (PGR) e a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) do voto lido na noite de terça-feira (27).

Bolsonaro é acusado de abuso de poder político ao buscar vantagem eleitoral em uma reunião com diplomatas estrangeiros, realizada no dia 18 de julho de 2022. 

A iniciativa de Gonçalves, mesmo que não seja seguida pelos demais integrantes da Corte — ao todo, são sete magistrados no TSE —, abre caminho para uma eventual cobrança de multa pelo TCU, uma nova investigação em esfera criminal sobre o encontro e a ampliação do escopo de inquéritos em andamento no Supremo.

  • Quer receber recomendações de trading de graça? Entre para o grupo gratuito da Empiricus Investimentos e veja como você pode buscar ganhos médios de R$ 71 por dia fazendo as operações certas na bolsa. [PARTICIPE CLICANDO AQUI]

TSE retoma julgamento de Bolsonaro amanhã 

O julgamento será retomado na manhã desta quinta-feira (29), quando os ministros vão dizer se acompanham ou não o voto de Gonçalves e suas recomendações. 

Nesse primeiro processo de Bolsonaro em análise no TSE, o ex-presidente é acusado, além de abuso de poder político, de uso indevido dos meios de comunicação pelo fato de a TV Brasil ter transmitido a reunião com os embaixadores no Palácio do Planalto. 

Na ocasião, ele atacou, sem provas, o sistema de votação brasileiro e a Justiça Eleitoral.

No voto, Gonçalves solicitou, por exemplo, que o TCU abra um processo e avalie se Bolsonaro deve ressarcir os cofres públicos e sofrer outras punições administrativas. 

A medida se justifica, segundo ele, em razão do "comprovado emprego de bens e recursos públicos na preparação de evento em que se consumou o desvio de finalidade eleitoreira". A reunião com os diplomatas foi realizada na residência oficial da Presidência da República.

Além disso, Gonçalves sugere que a PGR analise se as ações de Bolsonaro naquele encontro, assim como seu contexto e suas consequências, devem motivar um processo. O ministro recomenda a "análise de eventuais providências na esfera penal". 

Na prática, o gesto impõe que a PGR faça uma nova análise do papel do ex-presidente no encontro com os embaixadores, uma vez que a subprocuradora-geral Lindôra Araújo já havia solicitado ao STF que fosse arquivada uma investigação criminal sobre o evento.

Essa ação no Supremo foi ajuizada por partidos de oposição no dia seguinte à reunião. Em 19 de julho do ano passado, as legendas pediram a abertura de uma investigação contra Bolsonaro por crime contra o estado democrático de direito. 

O caso, para o qual Lindôra defendeu o arquivamento, está sob a relatoria do ministro Luiz Fux. Gonçalves determina o envio de seu posicionamento ao magistrado do STF.

Além disso, entre as últimas providências do voto do ministro do TSE está uma outra medida que pode impactar a situação do ex-presidente no Supremo. Gonçalves determina o envio do voto a Alexandre de Moraes, que preside a Corte eleitoral e integra o STF.

 No Supremo, Moraes, que já foi alvo de ataques do ex-presidente, conduz dois inquéritos para apurar as investidas antidemocráticas de 7 de setembro de 2021, além dos referentes aos ataques de 8 de janeiro deste ano.

'Mentiras atrozes'

Gonçalves, por ser o relator do caso, foi o primeiro ministro a votar no julgamento do TSE, que avalia se houve abuso de poder político e vantagem eleitoral ilegal nos ataques de Bolsonaro ao sistema eleitoral perante diplomatas estrangeiros. 

O caso começou analisado na quinta-feira passada (22), com as sustentações de advogados e do Ministério Público Eleitoral, além da leitura do relatório.

No voto desta terça, Gonçalves defendeu a inelegibilidade de Bolsonaro porque considerou que houve ganho eleitoral indevido no fato de ele ter convocado a reunião, como presidente da República, para alegar que não seriam confiáveis os resultados da eleição, em caso de sua derrota. 

O ministro destacou ainda que o encontro com os diplomatas foi parte de uma escalada de ataques à democracia e à Justiça Eleitoral.

"Os ilícitos perpetrados pessoalmente pelo primeiro investigado, na condição de presidente da República, chefe de Estado e candidato à reeleição em 2022, esgarçaram a normalidade democrática e a isonomia", afirmou o ministro, em seu voto. 

O relator também disse ainda que Bolsonaro espalhou "mentiras atrozes" sobre o TSE, fez "ameaças veladas" e instrumentalizou as Forças Armadas para investir contra a Corte: "Flerte nada discreto com o golpismo".

Defesa rejeita inelegibilidade de Bolsonaro

Na quinta passada, o advogado Tarcísio Vieira, ex-ministro do TSE, tentou convencer os magistrados que os ataques golpistas em Brasília, no dia 8 de janeiro, nada têm a ver com o processo em curso na Corte nem foram incitados por Bolsonaro. 

"A defesa entende que só pode ser apreciado o que constou no processo até o despacho saneador em 8 de dezembro", afirmou o advogado do ex-presidente.

A jornalistas, Vieira disse ainda que não havia motivo para pressa para a conclusão do julgamento. 

"Não tem eleição neste ano. Tem no final do ano que vem. O presidente não tem mandato. Ele vai ficar inelegível em relação ao quê? A uma eleição que ocorra no ano que vem, daqui a três anos? Não há necessidade de aceleração desse julgamento", afirmou.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe

CHEFE DO BC

Lula ou Bolsonaro: qual deles é mais paciente com Roberto Campos Neto? O próprio presidente do BC responde

3 de outubro de 2023 - 12:30

“O presidente da República é o presidente da República, é importante a gente conversar, ouvir o outro lado”, justificou.

APROVADO PELO CONGRESSO

Desenrola aprovado: veja os principais pontos da proposta do programa de renegociação de dívidas; juros do cartão de crédito passam a ter limite

3 de outubro de 2023 - 8:30

A proposta encarrega o Conselho Monetário Nacional (CMN) de fixar limites para os juros do cartão de crédito

VAI PARAR?

Sindicatos da CPTM, Metrô e Sabesp aprovam greve nesta terça-feira em protesto contra privatizações do governo de SP

2 de outubro de 2023 - 14:11

As três categorias protestam contra o plano do governador Tarcísio de Freitas de conceder os serviços à iniciativa privada

OLHA O CARTEIRO

Para Lula, com carinho? Chance de Roberto Campos Neto ter que mandar cartinha ao CMN por estouro da meta de inflação aumenta

28 de setembro de 2023 - 14:58

Probabilidade de o Banco Central estourar a meta de inflação pelo terceiro ano seguido aumentou de 61% para 67% no RTI

ADEUS, DÍVIDAS

Desenrola Brasil: bancos já renegociam R$ 14,3 bilhões em dívidas após pouco mais de dois meses de programa

25 de setembro de 2023 - 16:00

A terceira fase do Desenrola vai renegociar dívidas de pessoas que ganham até dois salários mínimos ou que estão inscritos no Cadastro Único

POLÍTICA ECONÔMICA

O Brasil corre risco de ter reforma tributária de “exceções”, para vice-governador de São Paulo

24 de setembro de 2023 - 16:48

Para o político, o principal problema na reforma tributária é a grande quantidade de leis complementares que estão previstas

MAIORIA NO STF

Dilma Rousseff elegível? STF mantém direitos políticos da ex-presidente após impeachment

23 de setembro de 2023 - 16:57

Dilma foi candidata ao Senado em 2018, mas não se elegeu, e hoje é presidente do Novo Banco do Desenvolvimento

8 DE JANEIRO

Consultores de golpe? Bolsonaro discutiu possibilidade de intervenção militar com Forças Armadas após vitória de Lula, diz Cid, em delação

21 de setembro de 2023 - 14:00

Na delação, Cid disse que foi testemunha das duas reuniões, quando Bolsonaro recebeu o documento do assessor e também quando levou-o aos militares

VIAGEM AO EXTERIOR

‘Green bonds’: veja o que já sabemos sobre os títulos sustentáveis propostos aos investidores internacionais por Haddad 

18 de setembro de 2023 - 8:47

Autoridades do governo já realizaram 36 reuniões, das quais participaram cerca de 60 investidores internacionais, incluindo nomes dos EUA e da Europa

NÃO PERCA NADA

Lula e Haddad chegam em Nova York: veja agenda completa do que presidente e ministro farão nesta semana 

17 de setembro de 2023 - 15:40

Lula será acompanhado por uma grande comitiva de ministros que, segundo fontes, pode ser a maior já vista para acompanhar um presidente brasileiro

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies