🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2 MIL POR DIA – SAIBA COMO

Ricardo Gozzi
EM ALTA

O Lobo de Cashmere está rindo à toa: dona da Louis Vuitton torna-se a primeira empresa da Europa a atingir US$ 500 bilhões em valor de mercado

Ação da LVMH atingiu um novo recorde histórico depois de a empresa ter reportado receita de 79,2 bilhões de euros (US$ 87,1 bilhões) nos dados consolidados de 2022

Bernard Arnault, dono da LVMH, detentora de marcas como Louis Vuitton e Dior.
Bernard Arnault, dono da LVMH, detentora de marcas como Louis Vuitton e Dior. - Imagem: Shutterstock-Unsplash - montagem Brenda Silva

O multibilionário francês Bernard Arnault anda com motivos de sobra para manter um sorriso de orelha a orelha. Conhecido como o Lobo de Cashmere, Arnault deixou Elon Musk comendo poeira no início do ano, quando consolidou-se como o único trilionário do mundo. Em reais, é verdade. Agora, como de costume, a boa nova vem da LVMH, a gigante de artigos de luxo da qual o francês é proprietário.

A controladora da Louis Vuitton, Moët & Chandon e Hennessy tornou-se nesta segunda-feira a primeira empresa europeia a bater a marca de US$ 500 bilhões em valor de mercado.

O movimento ocorre na esteira da forte apreciação das ações da LVMH, que também é dona de marcas como Givenchy, Bulgari, Tiffany e Sephora.

A valorização teve como gatilho um aumento de 17% nas vendas do conglomerado no primeiro trimestre de 2023, batendo com sobra as expectativas dos analistas.

Agora a ação da LVMH atingiu um novo recorde histórico depois de a empresa ter reportado receita de 79,2 bilhões de euros (US$ 87,1 bilhões) nos dados consolidados de 2022.

O lucro de operações recorrentes atingiu 21,1 bilhões de euros, no segundo ano consecutivo de resultados recordes.

O que está bom ainda pode melhorar para a Louis Vuitton

O CEO da LVMH, Bernard Arnault, é atualmente a pessoa mais rica do mundo. De acordo com o ranking diário da Bloomberg, a fortuna do Lobo de Cashmere era de US$ 212 bilhões nesta segunda-feira.

Grande parte dessa riqueza deriva das ações da LVMH. Mas o que está bom para Bernard Arnault ainda pode melhorar.

A empresa com sede em Paris acredita que deve se beneficiar da reabertura da economia na China, já que a retomada das viagens deve trazer de volta os consumidores de alta renda.

Entretanto, a LVMH não deve ser a única beneficiária desse movimento.

A expectativa de uma recuperação nos gastos do consumidor chinês também impulsionam os preços das ações de outros grupos de luxo, como Richemont, Kering e Burberry.

  • Imposto de Renda sem complicações: não passe perrengue na hora de declarar o seu IR em 2023. Baixe de forma GRATUITA o guia completo que Seu Dinheiro preparou com todas as orientações que você precisa para fazer sua declaração à Receita sozinho. [É SÓ CLICAR AQUI]

Mercado de luxo é porto seguro em tempos de volatilidade

O fato é que o senso comum pode nos levar a questionar a capacidade das marcas de luxo de resistirem às crises.

Mas há uma lógica para que empresas como as que compõem o portfólio da LVMH não apenas resistam, como também prosperem em momentos turbulentos como o atual.

Marc Schartz, gestor de portfólio de ações europeias na Janus Henderson Investors, aponta algumas características comuns entre essas marcas. Alta barreira de entrada, escassez de oferta e pouca variação nos preços são algumas delas.

“Esses três pontos são mais ou menos pronunciados quando se olha para diferentes marcas, mas no geral eles explicam por que o espaço de luxo muitas vezes funciona como um porto seguro em tempos de volatilidade econômica”, explicou Schartz.

Ainda de acordo com ele, é improvável que as marcas estabelecidas sejam substituídas. Além disso, o poder de mercado evita que as margens de lucro sejam comprimidas durante os períodos de inflação, uma vez que o público de alta renda costuma estar protegido.

Compartilhe

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar