🔴 É HOJE! COMO COMPRAR CARROS COM ATÉ 50% DE DESCONTO NA TABELA FIPE – CONHEÇA A ESTRATÉGIA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
PERDEU! GANHOU!

Powell salvou o dia: a mensagem do chefão do Fed que trouxe alívio para Wall Street após o mercado azedar

Inicialmente, os três índices aceleraram as perdas quando o comunicado com a decisão de elevar a taxa de juros nos EUA em 0,25 ponto percentual (pp) foi divulgada. Não demorou muito para as baixas se tornarem mais brandas e reverterem a tendência no final da sessão.

Carolina Gama
1 de fevereiro de 2023
18:03
bandeira dos estados unidos em wall street
Imagem: Shutterstock

“Vai perder, vai ganhar, perdeu, ganhou!” — um dos memes mais famosos de Galvão Bueno representa com perfeição o comportamento de Wall Street nesta quarta-feira (01) à decisão do Federal Reserve (Fed) e às declarações de Jerome Powell, o chefão do banco central norte-americano. 

Assim como nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, quando Galvão só soube quem venceu a final dos 100 metros borboleta na batida final das mãos de Michael Phelps, só ficamos sabendo a direção das bolsas em Nova York na última hora do pregão. 

O Dow Jones, o S&P 500 e o Nasdaq conseguiram fechar o dia em alta — com menção honrosa para o índice de tecnologia, que renovou máxima intradiária e chegou a subir mais de 2%. 

Mas para chegar nesse desempenho, a disputa entre o campo positivo e o negativo foi tão acirrada quanto a prova entre Phelps e Milorad Cavic. 

Inicialmente, os três índices aceleraram as perdas quando o comunicado com a decisão de elevar a taxa de juros nos EUA em 0,25 ponto percentual (pp) foi divulgada. Não demorou muito, no entanto, para as baixas se tornarem mais brandas na sequência.

  • 11 ações para buscar lucros neste ano: conheça a lista de empresas consideradas as melhores ‘apostas’ para 2023, segundo especialistas do mercado ouvidos pelo Seu Dinheiro. ACESSE AQUI

Mas bastou Powell entrar em cena e começar a falar para o “vai perder! Vai ganhar” ditar o ritmo das negociações. Primeiro ele disse que mais elevações de juros estavam a caminho, já que a inflação ainda está longe da meta de longo prazo de 2%. 

Depois, o chefão do Fed disse que o banco central não tem um compromisso fechado com o plano desenhado em dezembro do ano passado e que sinalizava mais aumentos da taxa de juros em 2023. 

“Podemos encerrar o ciclo de aperto monetário antes do previsto se os dados econômicos mostrarem o que queremos ver. Mas também podemos ir além se for necessário. A revisão será feita em março”, disse Powell, levando os índices em Nova York a operarem no azul. 

No fim da coletiva, no entanto, o presidente do Fed esclareceu que não estava antecipando uma pausa no aperto monetário e muito menos que via um corte de juros ainda este ano. 

Ainda assim, os investidores escolheram um lado: o positivo. Confira o fechamento dos três principais índices de ações de Nova York no fechamento:

  • Dow Jones: +0,03%, 34.094,34 pontos
  • S&P 500: +1,15%, 4.119,47 pontos
  • Nasdaq: +2,00%, 11.816,32 pontos

Fed: o que vem por aí?

Nem Powell sabe. O presidente do Fed disse que não tem certeza sobre qual será a taxa de juros terminal nos EUA e que os dados entre agora e março vão balizar a próxima decisão de política monetária. 

"Na reunião de março, vamos atualizar essas avaliações. Nós não as atualizamos hoje", disse Powell, acrescentando que devem ser mais elevadas do que as atuais.

Ele, no entanto, afastou temores de um aperto agressivo. “O comitê não tem a intenção ou o desejo de apertar a política monetária excessivamente”, afirmou. 

O chefe do Fed explicou que aumentos contínuos dos juros serão apropriados para atingir uma postura de política monetária "suficientemente restritiva" para trazer a inflação de volta para 2% ao ano — e que as decisões continuam dependentes de dados.

Em decisão unânime e esperada, o Fed elevou a taxa de juros em 0,25 ponto percentual, colocando-a na faixa entre 4,50% a 4,75% ao ano. Confira a decisão de hoje do Fed. 

O aumento de hoje representa uma desaceleração em relação ao 0,50 pp de dezembro e às quatro elevações seguidas de 0,75 pp do ano passado, no aperto monetário mais veloz já implementado pelo Fed desde a década de 1980. 

Compartilhe

NÃO DEIXOU BARATO

Na mira de Xi Jinping: China impõe sanções à Boeing e mais duas empresas dos EUA por venda de armas a Taiwan

20 de maio de 2024 - 19:22

A medida é a mais recente de uma série de sanções anunciadas pelo Gigante Asiático nos últimos anos contra companhias pelo fornecimento de armamento a Taipé

INTERNACIONAL

Presidente do Irã morre em queda de helicóptero; aiatolá já decidiu quem será o sucessor

20 de maio de 2024 - 7:53

Além de Ebrahim Raisi, seu ministro das Relações Exteriores e mais 7 pessoas morreram no incidente, ocorrido no norte do Irã

LOBBY DE BANCOS

CEO do JP Morgan levou outros presidentes de bancos para pressionar Federal Reserve por normas mais frouxas

19 de maio de 2024 - 16:47

Agora, o Fed e dois outros reguladores querem um novo plano, que reduziria o aumento obrigatório de capital — de quase 20% — para os maiores bancos dos EUA

NO ORIENTE MÉDIO

Membro do gabinete de Guerra de Israel ameaça pedir demissão caso não haja plano para conflito em Gaza

19 de maio de 2024 - 14:55

Benny Gantz reconheceu o impacto prejudicial que a guerra está tendo sobre os civis, mas insistiu que a “decisividade” é necessária

NO ORIENTE MÉDIO

Helicóptero que levava presidente e ministros do Irã faz pouso forçado; equipes tentam acessar o local

19 de maio de 2024 - 13:23

Houve registro de chuva forte e neblina com algum vento, o que poderia ter causado uma instabilidade na aeronave

SÓ UMA PROMESSA?

Vai fechar o banco central, Milei? A nova declaração do presidente da Argentina sobre o futuro do BC do país

17 de maio de 2024 - 18:45

O presidente argentino está na Espanha e deu diversas declarações polêmicas a um público que o aplaudiu calorosamente; veja o que mais ele disse

O CUSTO DA NOVA ORDEM MUNDIAL

Xi Jinping na Rússia: o presidente da China está disposto a pagar o preço pela lealdade de Putin?

16 de maio de 2024 - 18:37

O líder chinês iniciou nesta quinta-feira (16) uma visita de Estado de dois dias à Rússia e muito mais do que uma parceria comercial está em jogo, mas o momento para Pequim é delicado

UM SUSPIRO

Os juros continuarão altos nos EUA? Inflação de abril traz alívio, mas Fed ainda tem que tirar as pedras do caminho

15 de maio de 2024 - 14:54

O índice de preços ao consumidor norte-americano de abril desacelerou para 3,4% em base anual assim como o seu núcleo; analistas dizem o que é preciso agora para convencer o banco central a iniciar o ciclo de afrouxamento monetário por lá

DESINFLAÇÃO ACELERADA

Boas notícias para Milei: Argentina tem inflação de um dígito e Banco Central promove corte de juros maior que o esperado

15 de maio de 2024 - 10:19

Os preços tiveram alta de 8,8% em abril, em linha com o esperado pelo mercado, que estimavam um avanço de preços entre 8% e 9%

UM PRATO QUE SE COME FRIO

A vingança da China: EUA impõem pacote multibilionário de tarifas a carros elétricos chineses e Xi Jinping quer revanche

14 de maio de 2024 - 20:03

O governo chinês disse que o país tomaria medidas resolutas para defender os seus direitos e interesses e instou a administração Biden a “corrigir os seus erros”

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar