🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O INVESTIMENTO EM ATÉ 14,5X EM 8 DIAS? ENTENDA A PROPOSTA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
O MUNDO EM RISCO

Guerra nuclear bate à porta: EUA admitem pela primeira vez na história que podem entrar em conflito atômico com China e Rússia

O porta-voz dessa mensagem alarmista foi o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA, Mark Milley, o principal general do país — ele falou nesta quarta-feira (29) a um comitê da Câmara

Carolina Gama
29 de março de 2023
20:03 - atualizado às 14:29
Vladimir Putin e Joe Biden dominam o humor da bolsa
Imagem: Shutterstock/Montagem

Se o presidente russo, Vladimir Putin, foi o primeiro a colocar as armas nucleares sobre a mesa depois de invadir a Ucrânia, agora são os EUA que dão um segundo passo nessa direção — e pela primeira vez na história admitem que um conflito atômico com Rússia e China pode bater à porta do planeta. 

  • QUEREMOS VOCÊ NO GRUPO MAIS EXCLUSIVO DO SEU DINHEIRO: liberamos vagas em um grupo seleto no nosso Telegram com a presença de nossa equipe de repórteres especiais. Eles conversam com os principais analistas e gestores do país e enviam informações exclusivas sobre o mercado. Clique aqui para participar de graça.

"Tanto a China quanto a Rússia têm meios para ameaçar a segurança nacional dos EUA. Mas a história não é determinista, e a guerra com eles não é nem inevitável, nem iminente", disse o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA, Mark Milley, o principal general do país.

Falando para o Comitê dos Serviços Armados da Câmara dos Deputados, Milley traçou todos os elementos de risco em curso. Ele disse, por exemplo, que a Rússia fez um dos maiores exercícios com mísseis intercontinentais da história recente, com 3.000 homens no centro do país. E chamou atenção para o fato de Putin "usar retórica e postura nucleares irresponsáveis". 

De fato, desde 24 de fevereiro de 2022 — data da invasão russa — Putin faz questão de reforçar o poderio nuclear do país, classificado pelo general norte-americano como "o maior e mais moderno" do mundo. 

VEJA TAMBÉM - PUTIN VAI INICIAR UMA GUERRA NUCLEAR? RELÓGIO DO FIM DO MUNDO ATINGE NÍVEL PREOCUPANTE

A China na guerra nuclear

De acordo com dados do governo norte-americano, Rússia e EUA detêm cerca de 90% das 13 mil ogivas espalhadas pelo mundo — desse total, 1.600 estão prontas para uso a qualquer momento por ambos os lados. 

A China aparece em terceiro, com 410, enquanto aliados ocidentais como França e Reino Unido têm, respectivamente, 290 e 225.

"O potencial para conflito armado está crescendo. A China permanece como nosso desafio de segurança geoestratégica de longo prazo número 1", disse Milley, acrescentando que Pequim tem milhares de mísseis de alcance local nos seus arsenais, que seriam de difícil contenção pelos EUA com seu inventário atual. 

O general também não deixou passar a visita do líder chinês, Xi Jinping, a Putin na semana passada, que reforçou uma aliança selada bem antes da guerra na Ucrânia começar. 

  • Imposto de Renda sem complicações: não passe perrengue na hora de declarar o seu IR em 2023. Baixe de forma GRATUITA o guia completo que Seu Dinheiro preparou com todas as orientações que você precisa para fazer sua declaração à Receita sozinho. [É SÓ CLICAR AQUI]

O que está por trás da constatação dos EUA

A admissão histórica de Milley não foi à toa — e muito menos por conta de uma guerra nuclear iminente. 

O general norte-americano e o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, foram ouvidos pelo Comitê dos Serviços Armados da Câmara para pedir a aprovação do maior orçamento de Defesa da história norte-americana. 

O governo de Joe Biden quer autorização do Congresso dos EUA para gastar US$ 824 bilhões (R$ 4,3 trilhões) nessa área. 

Compartilhe

INVESTIMENTOS NO EXTERIOR

Nvidia não é a favorita: Itaú BBA recomenda cinco ações do setor de tecnologia para aproveitar a “liquidação” das bolsas dos EUA

12 de julho de 2024 - 19:20

Para o time de análise de tecnologia do banco, os fundamentos permanecem fortes em muitos nichos dentro do setor de tech

PREÇOS VOLTARAM A SUBIR

A magia de Milei acabou? Inflação na Argentina interrompe sequência de quedas e já supera os 270% em um ano

12 de julho de 2024 - 17:11

O avanço foi puxado pelo aumento nas tarifas de electricidade, gás e aluguéis residenciais

O JOGO NÃO ESTÁ GANHO

Não tem nada garantido: o “vilão” que pode impedir o BC dos EUA de cortar os juros em setembro

12 de julho de 2024 - 16:11

As apostas no afrouxamento da política monetária em setembro saíram da casa dos 70% para 96% nesta sexta-feira (12), depois de uma semana cheia de sinais sobre o futuro da política monetária da maior economia do mundo, mas esse jogo ainda não está ganho

BOJ EM AÇÃO?

A possível intervenção do governo japonês no iene que impediu a queda no preço do dólar no Brasil

12 de julho de 2024 - 9:24

A diferença entre o dólar e o iene criou uma oportunidade de negociação altamente lucrativa chamada carry trade

ELEIÇÕES NOS EUA

Uma gafe daquelas: Biden troca nomes, chama o presidente da Ucrânia de Putin e complica ainda mais as chances de reeleição

11 de julho de 2024 - 19:47

A Rússia invadiu a Ucrânia em fevereiro de 2022 e desde então os dois países se enfrentam em uma guerra que não dá sinais de trégua

Desventuras em série

Citi é multado pelos reguladores por não ajustar controle de riscos e de dados

11 de julho de 2024 - 18:23

Banco tem passado por vários problemas regulatórios desde 2020

A MARATONA DO FED

O corte de juros nos EUA é inadiável? A surpresa no dado que levou o S&P 500 a flertar com outro recorde e pode trazer oportunidade para o investidor

11 de julho de 2024 - 13:01

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) norte-americano entrou em território deflacionário em junho, na comparação mensal, e abre uma porta para os ativos mais arriscados; entenda como

Demanda por óleo

Agência Internacional de Energia atualiza projeções e joga balde de água fria sobre as cotações de petróleo

11 de julho de 2024 - 12:11

Por volta das 12h00, preço futuro do Brent estava em leve alta de 0,34%, a mesma variação positiva do WTI.

CONTRA-ATAQUE

China vai investigar se a União Europeia está impondo barreiras comerciais contra produtos chineses; entenda a disputa entre o bloco e o gigante asiático

10 de julho de 2024 - 15:36

A investigação da China é uma resposta a uma série de apurações da União Europeia sobre os subsídios estatais do gigante asiático

INDEPENDÊNCIA EM XEQUE

A eleição nos EUA pode impedir o Fed de cortar os juros? O que esperar caso Trump volte à Casa Branca em novembro

10 de julho de 2024 - 13:35

A relação tumultuada do republicano com o Fed, particularmente com o atual presidente, Jerome Powell, deixa os investidores ao redor do mundo de cabelo em pé

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar