🔴 AS BIG TECHS ESTÃO ‘SUGANDO’ DINHEIRO DA BOLSA BRASILEIRA? – VEJA COMO SE PROTEGER

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
VAI OU RACHA, LITERALMENTE!

Vai falir ou não? O que está por trás do tombo de mais de 50% das ações do First Republic Bank hoje

As ações do banco regional norte-americano fecharam a US$ 16 na segunda-feira (24), antes da divulgação dos resultados do primeiro trimestre. Nos dois dias seguintes, o papel despencou mais de 60%, atingindo uma nova mínima histórica.

Carolina Gama
28 de abril de 2023
15:04 - atualizado às 14:46
Fachada do First Republic Bank
Imagem: Divulgação

Os investidores chegaram a pensar que a crise bancária que se avizinhava no horizonte tinha ficado para trás, mas o First Republic Bank se mostrou uma pedra chata de tirar do sapato de Wall Street e das autoridades norte-americanas. 

Não é de hoje que o banco está na berlinda e que o mercado se pergunta: vai quebrar ou vai ser resgatado? E, nesta sexta-feira (28), os temores em relação à situação do First Republic Bank aumentaram. 

As ações FRC caíram mais de 50% em Nova York com a notícia de que o Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC — o órgão garantidor de crédito dos EUA) deve assumir o controle dos ativos do banco, assim como ocorreu com o Silicon Valley Bank (SVB) e com o Signature Bank.

Por volta das 12h50 (de Brasília), a ação do First Republic tombava 50,73%, a US$ 3,05, em Nova York. Agora, os papéis reduziram um pouco as perdas, mas ainda recuam impressionantes 38%.

  • Não dê dinheiro à Receita Federal à toa: você pode estar deixando de receber uma boa restituição do Imposto de Renda por algum equívoco na hora da declaração. Clique aqui e baixe GRATUITAMENTE um guia completo para não errar em nada na hora de acertar as contas com o Leão.

Ainda há esperança para o First Republic?

Ainda há esperança de que outra solução seja encontrada que não a tomada de controle por reguladores norte-americanos. 

De acordo com fontes ouvidas pela CNBC, outros bancos estão sendo consultados pelo FDIC sobre a possibilidade de ofertas para comprar o First Republic. 

Mais cedo, a agência Reuters informou que autoridades norte-americanas — incluindo o FDIC, o  Tesouro e o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) — estão coordenando reuniões com outros bancos para intermediar um plano de resgate para o First Republic. 

Antes, na quarta-feira (26), a CNBC noticiou que os consultores do First Republic estavam se preparando para apresentar aos bancos maiores um plano que permitiria ao credor regional vender títulos e outros ativos a uma taxa acima do mercado e, em seguida, aumentar o patrimônio. 

Essa venda resultaria em prejuízo para os bancos que comprarem os títulos, mas poderia sair mais barato no longo prazo do que deixar o banco falir e ser controlado por reguladores.

First Republic: um colapso anunciado?

As ações do First Republic fecharam a US$ 16 na segunda-feira, antes de o banco divulgar os resultados do primeiro trimestre — que mostraram uma queda nos depósitos de cerca de 40%. 

Nos dois dias seguintes, a ação tombou mais de 60%, atingindo uma nova mínima histórica.

O First Republic é um banco regional que se concentrou em clientes com alto patrimônio líquido, oferecendo hipotecas a baixas taxas de juros.

Essas hipotecas, assim como outros ativos de longo prazo no balanço do banco, caíram em valor de mercado desde que o Fed começou a aumentar os juros, em março do ano passado, deixando os investidores preocupados com o fato de o banco ter que registrar uma perda considerável se forçado a vender esses ativos para levantar dinheiro.

As enormes saídas de depósitos do First Republic Bank ocorreram após o colapso do Silicon Valley Bank e do Signature Bank, em março deste ano. Os maiores bancos do país, incluindo o JPMorgan, já ajudaram o First Republic desde então com US$ 30 bilhões em depósitos a prazo.

O Fed errou?

Embora tenha responsabilizado a gestão do Silicon Valley Bank pelos eventos que culminaram na quebra do banco em março, o banco central dos EUA reconheceu que falhou no papel de forçar a instituição financeira a corrigir as vulnerabilidades.

Em um relatório de cerca de 100 páginas sobre o colapso do SVB, divulgado nesta sexta-feira, o Fed explica que as autoridades de supervisão identificaram os problemas, mas foram lentas em exigir que o SVB cumprisse as exigências de liquidez e capital. 

Para a instituição, o processo foi "muito deliberativo" e focado em acumular evidências antes de agir. O Fed, em particular, avalia que não foi capaz de perceber a seriedade das deficiências na governança e gestão de riscos do banco. 

*Com informações da CNBC

Compartilhe

Mercado acionário

Bank of America corta preço-alvo para ações de bancões brasileiros, mas mantém recomendação

12 de junho de 2024 - 15:10

Combinação de receitas diversificadas, funding, controle de custos e balanços fortes são os fatores positivos apontados pelos analistas

DINHEIRO NO BOLSO

Dividendos milionários: Grupo Mateus (GMAT3) vai pagar mais de R$ 134 milhões para acionistas; confira os prazos e como receber

12 de junho de 2024 - 12:50

O anúncio da distribuição do JCP ocorre em um momento positivo para a companhia, que vem contrariando a crise no varejo

Quem vai ficar com ela

Acionistas da Braskem descartam negociação com a Petrochina

12 de junho de 2024 - 11:42

Companhia informou à CVM que seus controladores, Petrobras e Novonor, negam as negociações

UM NOVO PEDIDO

Vale (VALE3), BHP e Samarco fazem nova proposta bilionária por desastre em Mariana — mas ainda é menos do que o governo exige

12 de junho de 2024 - 10:39

Junto com a BHP Brasil e a Samarco, as mineradoras se propuseram a pagar R$ 140 bilhões pela tragédia na barragem

MAIS UMA FATIA

Do papel ao pano, Suzano (SUZB3) entra no ramo têxtil e compra 15% de fabricante de fibras por cerca de R$ 1,3 bilhão

12 de junho de 2024 - 8:54

Além da aquisição, o acordo com acionistas da B&C inclui o direito da Suzano a duas cadeiras no conselho de administração da Lenzing

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Diversidade de gênero: presidente da ABVCAP anuncia iniciativa para impulsionar mulheres em carreiras de investimentos

11 de junho de 2024 - 19:45

Em entrevista ao Seu Dinheiro, Priscila Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital contou detalhes do projeto de incentivo a mulheres

CONFIRA OS CENÁRIOS

Rede D’Or (RDOR3) quer recomprar até R$ 1 bilhão em ações e deve usar reserva de lucros para isso; como ficam os acionistas?

11 de junho de 2024 - 18:38

A empresa poderá adquirir até 30 milhões de ações ordinárias, soma que corresponde a 10% do total em circulação no pregão de ontem

APÓS FUSÃO FRUSTRADA

Santander corta o preço-alvo da PetroReconcavo (RECV3), mas mantém recomendação de compra e ações saltam 4% na bolsa

11 de junho de 2024 - 15:25

Para o segundo semestre, a expectativa é de que a PetroReconcavo pise no acelerador, para uma média de 27 mil boed até o fim de 2024 e de 31 mil boed em 2025

Recuperação judicial

Tapando o buraco? Americanas (AMER3) divulga receita e lucro bruto não auditados de 2023 e 1T24; confira os números

11 de junho de 2024 - 13:11

Varejista informou ao mercado que parte dos credores foram quitados ou aderiram ao parcelamento proposto

DE VOLTA AOS TRILHOS?

Lojas Marisa (AMAR3) aprova aumento de capital de até R$ 750 milhões e novas ações terão desconto de quase 20%

11 de junho de 2024 - 9:42

De acordo com a empresa, os acionistas controladores já se comprometeram a investir pelo menos R$ 290 milhões no aumento de capital

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar