🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Ana Carolina Neira
Ana Carolina Neira
Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero com especialização em Macroeconomia e Finanças (FGV) e pós-graduação em Mercado Financeiro e de Capitais (PUC-Minas). Com passagens pelo portal R7, revista IstoÉ e os jornais DCI, Agora SP (Grupo Folha), Estadão e Valor Econômico, também trabalhou na comunicação estratégica de gestoras do mercado financeiro.
MERCADO EMPOLGADO

Azul (AZUL4) dispara mais de 50% na B3 após acordo para pagamento de dívidas e balanço mais positivo

Estima-se que a dívida total da Azul (AZUL4) totalize R$ 4,5 bilhões e que a negociação corresponde a mais de 90% do passivo

Ana Carolina Neira
Ana Carolina Neira
6 de março de 2023
11:32 - atualizado às 12:46
Avião da Azul (AZUL4)
Aeronave da Azul (AZUL4) em processo de decolagem - Imagem: Luis Neves/Divulgação

Os últimos três anos marcaram o setor aéreo global com fortes turbulências e até hoje as companhias aéreas sentem os impactos da pandemia que obrigou o mundo todo a manter os pés no chão. Entre um alívio e outro, a Azul (AZUL4) anunciou ter feito um acordo para negociar suas dívidas, que chegam a R$ 4,5 bilhões — algo que pode ajudar bastante a empresa, especialmente em sua estrutura de capital e geração de caixa.

O principal reflexo disso pode ser visto no primeiro pregão da semana: às 12h34, o papel já havia saltado 52,62%, cotado a R$ 11,05. No mesmo horário, o ativo passava por mais um de inúmeros leilões, após atingir a oscilação máxima permitida.

A companhia não deu mais detalhes sobre os acordos comerciais, que ainda estão sujeitos a condições e aprovações necessárias nesse tipo de situação, mas confirmou que o valor fechado corresponde a mais de 90% de seu passivo de arrendamento.

Segundo um fato relevante arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) os arredondares que fizeram acordo com a Azul vão receber os pagamentos a partir de uma combinação de dívida de longo prazo e ações precificadas conforme o balanço patrimonial reestruturado.

Estima-se que a dívida total da empresa chegue a R$ 4,5 bilhões, sendo boa parte dela resultado de decisões tomadas ainda no início da pandemia. Diante do caos e das incertezas dos primeiros meses, a Azul preferiu, na época, fazer acordos para adiar o pagamento do aluguel de seus aviões.

O mercado já estava de olho na dívida da Azul (AZUL4)

Há poucas semanas, a agência de classificação de risco Fitch revisou o rating da Azul justamente por causa do risco do refinanciamento de suas dívidas, com valores importantes vencendo neste ano.

Em nota, a Fitch apontou preocupação com o fluxo de caixa operacional da empresa, deterioração de sua liquidez e ainda o contexto do mercado de crédito no Brasil, que está mais restritivo nas concessões após o escândalo da Americanas.

  • Por que estamos no momento ideal para poder ganhar dinheiro com dividendos? O Seu Dinheiro preparou 3 aulas exclusivas para te ensinar como buscar renda extra com as melhores ações pagadoras da Bolsa. [ACESSE AQUI GRATUITAMENTE]

O que o balanço do 4T22 trouxe

Outra notícia que ajuda a explicar a disparada das ações da Azul (AZUL4) nesta segunda-feira (6) é o balanço referente ao quarto trimestre de 2022.

Entre outubro e dezembro passados, a companhia registrou lucro líquido de R$ 231,2 milhões, revertendo o cenário de perda registrado no mesmo período de 2021, quando teve prejuízo de R$ 954,7 milhões.

No critério ajustado, a companhia aérea reportou prejuízo líquido de R$ 610,5 milhões, ante perdas de R$ 436 milhões em igual intervalo de 2021.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) alcançou R$ 1,097 bilhão no quarto trimestre, alta de 70,7% sobre o mesmo intervalo do ano passado. Com isso, a companhia encerrou o período com margem Ebitda de 24,6%, queda de 2,9 pontos na comparação anual.

De acordo com a Azul, o resultado ocorre mesmo com 115,8% de aumento no preço do combustível, 27,7% de depreciação do real e mais de 20% de inflação no Brasil nos últimos três anos.

No quarto trimestre, a receita operacional atingiu novamente níveis recordes, com a demanda por viagens permanecendo forte. A receita total de R$4,5 bilhões no quarto trimestre, 36,9% acima do mesmo período de 2019, antes da pandemia, e 19,4% acima do mesmo período de 2021.

Gol (GOLL4) pega carona na disparada da concorrente

O céu parece mesmo bem azul para as companhias aéreas nesta início de semana, já que a Gol (GOLL4) pegou carona na disparada da concorrente. Por volta das 12h39, os papéis subiam 29,05%, cotados a R$ 6,62.

A busca pelas ações acontecem após a companhia aérea divulgar seus dados operacionais de fevereiro, que revelaram aumento tanto na oferta quanto na demanda.

No mês passado, a Gol transportou um total de 2,2 milhões de passageiros.

Já a oferta de assentos (ASK) teve um aumento de 13,8% no período, enquanto a demanda média de passageiros por quilômetro (RPK) subiu 17%. Tudo isso levou a uma taxa de ocupação de 82,6%.

No mercado, também existe a expectativa de que a Gol seja capaz de fazer acordos semelhantes ao que foi feito pela Azul, um sinal tido como positivo pelos investidores caso as negociações tenham sucesso.

* Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe

NO BOLSO DO ACIONISTA

Copel (CPLE6) pode pagar dividendos extraordinários aos acionistas em 2024, mas com uma condição, diz CEO

1 de março de 2024 - 16:25

Para Daniel Slaviero, o ano de 2025 servirá para “extrair bastante valor da operação integrada e ganhar escala nos negócios que tenham bom retorno de capital”

BRIGA DE GIGANTES

Por que Elon Musk está processando a OpenIA, a ‘joia da coroa’ do mercado de inteligência artificial que ele ajudou a fundar?

1 de março de 2024 - 11:17

Musk foi um dos co-fundadores da OpenIA, lá em 2015, porém deixou o conselho da companhia em 2018

REPERFILAMENTO

Casas Bahia (BHIA3) negocia com bancos e consegue mais prazo para pagar R$ 1,5 bilhão em dívidas

29 de fevereiro de 2024 - 19:34

O acordo ainda precisa do sinal verde dos credores, mas, se aprovado, estenderá o vencimento de 69% do endividamento da companhia

VAREJO EM ALTA

Lucro ajustado da C&A (CEAB3) quase dobra e ações saltam 5% após balanço; o que analistas esperam da varejista?

29 de fevereiro de 2024 - 15:06

Os investidores não olharam muito para o lucro líquido real no último trimestre de 2023, que recuou 20,8% em relação ao mesmo período de 2022, a R$ 168,7 milhões

LAVAGEM VERDE?

Por que a unidade da JBS (JBSS3) nos EUA entrou na mira da procuradora que processou Trump

29 de fevereiro de 2024 - 13:20

O processo acontece no momento em que a gigante das carnes brasileira se organiza para listar suas ações em Nova York

RESSACA ARGENTINA

Como o “efeito Milei” fez o lucro da Ambev (ABEV3) ficar abaixo do esperado no 4T23; ações reagem em forte queda na B3

29 de fevereiro de 2024 - 10:08

Impacto do câmbio na Argentina, onde a Ambev é dona da tradicional marca Quilmes, afetou o lucro da cervejaria no quarto trimestre

A JÚNIOR DA VEZ

Prio (PRIO3) fará aumento de capital de R$ 2 bilhões; saiba para onde irão os recursos e o que muda para o acionista

28 de fevereiro de 2024 - 19:44

Na esteira da proposta de fusão de 3R e PetroRecôncavo, o conselho de administração da Prio autorizou a operação de olho na movimentação de pares do setor

ATENÇÃO, ACIONISTAS

Ultrapar (UGPA3) vai pagar mais de R$ 439 milhões em dividendos; veja quem terá direito ao provento

28 de fevereiro de 2024 - 19:21

A empresa vai depositar a soma, que equivale a R$ 0,40 por ação ordinária, no próximo mês, em 15 de março

SOB NOVA DIREÇÃO

Dança das cadeiras entre Suzano (SUZB3) e Rumo (RAIL3) dá novo CEO à gigante do papel e celulose

28 de fevereiro de 2024 - 19:07

Walter Schalka, atual presidente da Suzano, vai deixar o cargo e ser substituído pelo executivo que lidera a empresa de ferrovias e logística

MANDA E DESMANDA

A Vale (VALE3) é a dona do Brasil? Se depender de Lula, não. Declaração do petista esquenta o processo de sucessão da mineradora

28 de fevereiro de 2024 - 15:00

As ações da companhia operam com mais de 1% de queda na B3; saiba o que mais mexe com os papéis além da fala do presidente brasileiro

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies