🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Ambiente complicado

Mercado de capitais encolheu em 2022, mas Anbima vê maturidade

Volume total movimentado pelo mercado de capitais no ano passado caiu 10,9% em relação a 2021

Flavia Alemi
Flavia Alemi
17 de janeiro de 2023
18:33 - atualizado às 18:38
bonecos em primeiro plano observam gráfico com cotações de mercado ao fundo | Ibovespa, ações, Petrobras, PETR4
Imagem: Freepik

O mercado de capitais no ano passado movimentou um volume 10,9% inferior a 2021 e totalizou R$ 544 bilhões, de acordo com a Anbima

Os dados publicados nesta terça-feira (17) indicam que apenas a renda variável observou uma contração de 57%, com o volume total atingindo R$ 55 bilhões. A renda fixa, por sua vez, cresceu 6,6%, para R$ 457 bilhões.

O ambiente econômico no ano passado foi marcado pela elevação das taxas de juros, tanto local quanto no exterior, além de incertezas relacionadas às eleições no Brasil.

Apesar da queda em termos de volume, a Anbima destacou que o mercado de capitais amadureceu em 2022.

“A gente vê uma acomodação, com renda fixa crescendo e outros instrumentos também. Mostra uma enorme maturidade”, destacou em coletiva de imprensa o vice-presidente do Fórum de Estruturação de Mercado de Capitais da entidade, Guilherme Maranhão.

Dentre os produtos, os destaques ficaram com o CRAs (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) e os CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários), que cresceram 62,4% e 48,55%, respectivamente. 

De acordo com o vice-presidente da Anbima, José Eduardo Laloni, o crescimento da indústria de fundos específicos está elevando a demanda por operações de CRAs e CRIs e gerando dinamismo nas emissões desses instrumentos.

Laloni destacou, ainda, que uma modificação nas regras dos CRIs, que passou a permitir que empresas que pagam aluguel participem desses instrumentos, deu novo fôlego para o mercado imobiliário acessar o mercado de capitais.

Leia mais:

Debêntures também cresceram

As debêntures, ou seja, os títulos de dívida emitidos por empresas, foram um instrumento que também cresceu entre 2021 e 2022, com aumento de 8,2%. 

No total, houve R$ 271 bilhões e 465 emissões. Desse montante, 41,5% foram destinados a aumento de capital de giro. O setor de energia elétrica liderou a emissão de debêntures, com R$ 54 bilhões.

Nas debêntures incentivadas, isto é, os títulos que contam com isenção de imposto de renda, o prazo médio ficou acima dos níveis pré-pandemia e atingiu o pico de 12,7 anos.

“Isto reforça a capacidade que o mercado está tendo de financiar, com bastante eficiência, os projetos que precisam de prazo mais longo”, afirmou Laloni.

No caso das debêntures simples, o prazo ficou estável de um ano para o outro, com uma média de 5,1 anos.

Emissões de ações foram mais fracas

Conforme esperado, o volume de emissões de ações foi bem mais fraco do que em 2021 e caiu 57%, para um total de R$ 55 bilhões, sendo que quase tudo foi referente a follow-on (oferta subsequente). Mas vale apontar que 88,2% das emissões foi primária, ou seja, o dinheiro captado foi direto para o caixa das companhias.

No ano retrasado, a história foi bem diferente. O volume foi de R$ 128,1 bilhões, sendo que R$ 63,6 bilhões foram de IPO e R$ 64,5 bilhões de follow-on. Do total, 68,2% foram emissões primárias e o restante foi distribuição secundária.

O que vem por aí

Laloni frisou que há uma quantidade abundante de projetos de infraestrutura que devem procurar o mercado de capitais para se financiarem.

“Com o mercado de capitais do tamanho que está e a necessidade dos governos federal e estaduais de prover infraestrutura, haverá fluxo natural de investimento em infraestrutura que governo nenhum teria dinheiro pra financiar sozinho”, disse Laloni.

Questionado sobre se o BNDES poderia “competir” por esses projetos, Laloni exaltou o banco de fomento e disse que seu papel é complementar ao do mercado de capitais.

“São um player relevante do mercado, muito técnicos e excelentes validadores de projetos. Mas o tamanho que o mercado de capitais atingiu nos últimos anos mostrou que é possível se financiar com prazo, volume e preço adequados. A gente não imagina que o BNDES tenha visão de substituir o mercado de capitais”, destacou.

Compartilhe

AUTOMÓVEIS

Guia do PCD: Novo teto aumenta as ofertas de veículos com desconto para pessoas com deficiência

25 de fevereiro de 2024 - 7:14

O Seu Dinheiro preparou um guia com tudo o que você precisa saber sobre o direito às isenções de impostos na compra de carros novos

REPERCUSSÃO GERAL

Motoristas da Uber vão virar funcionários? STF julga se ação sobre vínculo de trabalho pode ter impacto em outras plataformas como Ifood

23 de fevereiro de 2024 - 19:03

A maioria dos ministros do Supremo tem atendido a pedidos de empresas para reverter decisões da Justiça do Trabalho que reconheceram vínculo de emprego

LOTERIAS

7 apostas dividem a Lotofácil, mas nem todo mundo vai ganhar o valor cheio; Mega-Sena e Quina acumulam

23 de fevereiro de 2024 - 5:50

Enquanto a Lotofácil fez jus à fama de loteria menos difícil da Caixa, o prêmio da Mega-Sena saltou para R$ 110 milhões

DINHEIRO NO BOLSO

Receita abre consulta a lote residual do Imposto de Renda; veja se a sua restituição saiu

22 de fevereiro de 2024 - 16:06

Os valores do lote residual de restituição do Imposto de Renda ficarão disponíveis para resgate por até um ano no Banco do Brasil

LOTERIAS

13 dá azar ou sorte? Quina quebra jejum e faz novo milionário; Mega-Sena corre hoje valendo quase R$ 100 milhões

22 de fevereiro de 2024 - 5:54

Enquanto a Lotofácil acumulou, a Quina fez as vezes de “máquina de milionários”; confira os detalhes dos últimos sorteios

MEMÓRIA

Quem foi Affonso Celso Pastore, ex-presidente do BC e referência entre os economistas ortodoxos

21 de fevereiro de 2024 - 12:08

Da negociação da dívida externa nos anos 1980 à assessoria econômica na pré-candidatura de Sergio Moro, conheça a trajetória de Pastore

UMA FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATES

Noites do Terror com chocolate? O que a Cacau Show pretende com a compra do Playcenter

21 de fevereiro de 2024 - 9:36

Valor da compra do Grupo Playcenter pela Cacau Show não foi revelada; negócio ainda depende da aprovação do Cade

LOTERIAS

Parece tão fácil que quase estraga: 7 apostas dividem a Lotofácil; Mega-Sena e Quina acumulam ainda mais

21 de fevereiro de 2024 - 5:47

Enquanto a Lotofácil faz jus à fama de loteria menos difícil da Caixa, a Mega-Sena e a Quina continuam fazendo jogo duro

LOTERIAS

Lotofácil começa semana com 2 ‘quase-milionários’; Quina acumula e Mega-Sena promete uma fortuna hoje

20 de fevereiro de 2024 - 5:48

Ganhadores da Lotofácil estão separados por milhares de quilômetros; Mega-Sena está acumulada em R$ 87 milhões

PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

É MEI e está devendo para o banco ou para a Receita? Governo prepara ‘Desenrola’ para pequenas empresas que pode beneficiar 8 milhões de CNPJs

19 de fevereiro de 2024 - 17:32

A intenção é lançar até o mês que vem a versão para pessoas jurídicas do Desenrola Brasil

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies