🔴 EVENTO GRATUITO: COMPRAR OU VENDER VALE3? INSCREVA-SE

Ué, mas o e-commerce da Amazon não valia zero? O que esperar das ações da big tech após a disparada recente

A Amazon divulgou seus resultados do 2T23, e adivinhe só? A empresa entregou um resultado operacional mais de 30% acima do esperado

10 de agosto de 2023
7:29 - atualizado às 10:37
Van da Amazon
Van da Amazon - Imagem: Divulgação

Olá, seja bem-vindo à Estrada do Futuro, onde conversamos semanalmente sobre a intersecção entre investimentos e tecnologia. 

Uma das primeiras "lições" que o Rodolfo Amstalden me ensinou, quando eu entrei na Empiricus, foi a de que o sentimento tem o poder de influenciar os preços.

Em poucas oportunidades eu pude ver essa dinâmica em ação tão claramente quanto nos resultados da Amazon nos últimos 12 meses. A big tech tem ações listadas na Nasdaq, mas pode ser negociada na B3 com o BDR AMZO34.

Hoje eu vou te contar essa história.

Quanto vale o e-commerce da Amazon?

Em meados de novembro de 2022, numa atualização escrita para os nossos clientes, eu utilizei um gráfico similar a esse:

Elaboração: Autor | Fonte: Amazon

Era o quarto trimestre consecutivo em que o e-commerce da Amazon apresentava prejuízo operacional em seu principal mercado, os EUA.

Em retrospecto, esse era também o "low" das ações, quando elas negociavam a cerca de US$ 80. 

Se você já ouviu a famosa frase de Warren Buffett "compre ao som dos ganhões, venda ao som dos violinos", deve imaginar o que deveria ter feito naquele momento.

Entretanto, o que acontece na prática, em momentos como esse, costuma ser muito diferente.

Quando as ações estão no "low", o sentimento em torno delas é péssimo. As notícias são ruins e todos os investidores acreditam que as coisas vão piorar.

Eu presenciei discussões em que investidores ativamente argumentavam que o e-commerce da Amazon valia zero, afinal, no "melhor momento de todos os tempos" (ou seja, na pandemia), ele não foi capaz de dar lucros.

O argumento, obviamente sem muita âncora na realidade, era replicado nos quatro cantos no mercado, na esteira da performance ruim das ações.

Na semana passada, a Amazon divulgou seus resultados do 2T23, e adivinhe só? 

As margens do e-commerce estão estabilizadas e a empresa entregou um resultado operacional mais de 30% acima do esperado pelo mercado.

Os números da Amazon

Na última sexta-feira (04), após a divulgação dos resultados, as ações da Amazon encerraram o pregão subindo 10%.

No consolidado, a gigante americana somou vendas de US$ 134,3 bilhões, um crescimento de 11% na comparação anual, acima do esperado.

Entre os principais mercados da Amazon, as vendas nos EUA cresceram 11%, totalizando US$ 84,5 bilhões. No mercado internacional, as vendas cresceram 10%, totalizando US$ 29,7 bilhões.

Olhando individualmente para as linhas de negócio da empresa, as vendas diretas (os produtos vendidos no 1P do e-commerce da Amazon) cresceram 5% na comparação anual, somando US$ 52,9 bilhões. 

No marketplace, as vendas totalizaram US$ 32,3 bilhões, crescimento de 18% versus o 2T22, desconsiderando os efeitos cambiais.

Como eu disse acima, melhor que os bons números em termos de crescimento, foi o retorno da rentabilidade.

Desde que assumiu, o novo CEO da Amazon (Andy Jassy, antigo CEO da AWS, divisão de infraestrutura em nuvem da companhia) deixou claro que sua prioridade seria a lucratividade. 

O fim da era Bezos implica que o restante da empresa precisaria ser lucrativa, assim como a AWS (obviamente com margens menores, devido à natureza dos dois negócios).

Nos EUA, a operação da Amazon apresentou um lucro operacional de US$ 3,2 bilhões no 2T23, contra um prejuízo de US$ 627 milhões no mesmo período do ano passado.

Nos mercados internacionais, onde a Amazon detém um mix de mercados maduros e lucrativos (como o Reino Unido, Alemanha e Japão) e outros ainda em fase de investimentos (como o Brasil e a Índia), o prejuízo operacional caiu pela metade no 2T23.

Nas nuvens

O grande destaque dos últimos anos, a Amazon AWS, mostrou um resultado levemente acima do esperado: um crescimento de 12%, com vendas totais de US$ 22,1 bilhões no trimestre.

Apesar dos números não serem mais astronômicos como na pandemia (quando a AWS chegou a crescer acima de 40% ao ano), é bom ver o segmento voltar a crescer. 

No trimestre anterior (1T23), a AWS apresentou sua primeira queda de receitas numa base consecutiva (4T22). 

A divisão, que enfrentou desafios do lado da demanda, com os clientes buscando ativamente maneiras de otimizar seus gastos com infraestrutura e postergando projetos não essenciais, reportou que, no geral, o mercado está de volta ao modo crescimento e em busca de inovação.

No 2T23, a margem operacional da AWS foi de 24%, estável em relação ao último trimestre.

Os bons números reportados acima culminaram em um lucro operacional de US$ 7,68 bilhões, bem acima dos US$ 4,72 bilhões esperados pelo mercado.

O que esperar das ações da Amazon?

Hoje, definitivamente, o sentimento envolvendo as ações da Amazon é outro. 

Andy Jassy vem conseguindo cultivar a imagem de que a empresa irá focar cada vez mais na lucratividade. 

Essa perspectiva foi o suficiente para convencer a todo o mercado. Foram raros os bancos de investimentos que não revisaram para cima seus preços alvos após a divulgação dos resultados.

Depois de um rally de cerca de 65% neste ano, as ações certamente não são mais uma barganha. Mas ainda acredito que elas sejam capazes de entregar um retorno acima do índice para os seus investidores em longo prazo.

  • Invista no melhor do mercado internacional, segundo o analista Richard Camargo: conheça os 5 BDRs que valem a pena ter na carteira agora para buscar lucros em setores de tecnologia, turismo, petróleo, saúde e varejo. Acesse o relatório gratuito aqui.

Compartilhe

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Enduro da bolsa: mercado acelera com início da temporada de balanços do 1T24, mas na neblina à espera do PCE

23 de abril de 2024 - 8:54

Na corrida dos mercados, Usiminas dá a largada na divulgação de resultados. Lá fora, investidores reagem ao balanço da Tesla

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Decisão do Copom em xeque: o que muda para a Selic depois dos últimos acontecimentos?

23 de abril de 2024 - 6:24

O Banco Central do Brasil enfrentará um grande dilema nas próximas semanas

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: A pobreza das ações

22 de abril de 2024 - 20:00

Em uma conversa regada a vinho, dois sujeitos se envolvem em um embate atípico, mas quem está com a razão?

DE REPENTE NO MERCADO

Enquanto o dólar não para de subir… Brasil sobe em ranking internacional e este bilionário indonésio fica 10x mais rico em um ano 

21 de abril de 2024 - 12:00

Veja os destaques da semana na ‘De repente no mercado’

BOMBOU NO SD

Dividendos de Klabin (KLBN11), Gerdau (GGBR4) e Petrobras (PETR4), halving do bitcoin e Campos Neto dá pistas sobre o futuro da Selic — veja tudo o que foi destaque na semana

20 de abril de 2024 - 14:01

A ‘copa do mundo’ das criptomoedas aconteceu de novo. A recompensa dos mineradores por bloco de bitcoin caiu pela metade

Mande sua pergunta!

Meu pai me ajudou a comprar um imóvel; agora ele faleceu, e meu irmão quer uma parte do valor; foi adiantamento de herança?

20 de abril de 2024 - 8:00

O irmão desta leitora está questionando a partilha da herança do pai falecido; ele tem razão?

SEXTOU COM O RUY

A ação que dá show em abril e mostra a importância de evitar histórias com altas expectativas na bolsa

19 de abril de 2024 - 6:07

Ações que embutiam em seus múltiplos elevadas expectativas de melhora macroeconômica e crescimento de lucros decepcionaram e desabaram nos últimos dias, mas há aquela que brilha mesmo em um cenário adverso

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: ChatGPT resiste às tentações de uma linda narrativa?

17 de abril de 2024 - 20:11

Não somos perfeitos em tarefas de raciocínio lógico, mas tudo bem: inventamos a inteligência artificial justamente para cuidar desses problemas mais chatos, não é verdade?

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Ataque do Irã poderia ter sido muito pior: não estamos diante da Terceira Guerra Mundial — mas saiba como você pode proteger seu dinheiro

16 de abril de 2024 - 6:17

Em outubro, após o ataque do Hamas, apontei para um “Kit Geopolítico” para auxiliar investidores a navegar por esse ambiente incerto

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: Cinco coisas que deveriam acabar no mercado financeiro

15 de abril de 2024 - 20:01

O sócio-fundador da Empiricus lista práticas do universo dos investimentos que gostaria de ver eliminadas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar