🔴 RECEBA TODA SEMANA RECOMENDAÇÕES PARA PODER DOBRAR O SEU DINHEIRO – CONHEÇA O MÉTODO

TikTok vai ficar para trás? Como o clone do rival chinês no Instagram salvou o império de Mark Zuckerberg e da Meta

Produto lançado pela Meta justamente para concorrer com o TikTok já rivaliza em receita e pode até ultrapassar o rival chinês

3 de agosto de 2023
5:59 - atualizado às 17:26
Mark Zuckerberg, fundador e CEO da Meta (Facebook)
Mark Zuckerberg, fundador e CEO da Meta - Imagem: Shutterstock

Olá, seja bem-vindo à Estrada do Futuro, onde conversamos semanalmente sobre a intersecção entre investimentos e tecnologia. 

Bom, o assunto desta semana não poderia ser outro: os resultados das big techs.

Na semana passada, a Microsoft divulgou números "oks". Isso, na prática, costuma ser um problema quando você promete demais.

O Google surpreendeu o mercado com o retorno do crescimento a todos suas linhas de negócios, um aumento da rentabilidade e uma mensagem muito positiva para o restante de 2023.

Mas, definitivamente, quem nos deu mais assuntos interessantes para conversar, como sempre, foi a Meta.

Tik quem?

A quantidade de impressões (anúncios) entre as plataformas da Meta — o Instragram e o Facebook — cresceu 34%, enquanto o preço médio por anúncio diminuiu 16% na comparação com o ano passado.

O importante nessa equação é o resultado líquido. 

Ou seja, como a quantidade de anúncios cresceu muito mais que a queda nos preços médios, o resultado geral é positivo para a empresa.

E sabe graças a quem a quantidade de impressões cresceu tanto? 

Graças ao Reels, o produto "clone" do TikTok, lançado exatamente para concorrer com o rival chinês.

Reels pode ultrapassar TikTok em receita

Alguns dados muito interessantes foram fornecidos sobre o Reels durante a teleconferência de resultados.

O produto já possui uma receita anualizada de US$ 10 bilhões e mais de 200 bilhões de Reels são exibidos diariamente para os usuários do Facebook e do Instagram.

Como referência, estimamos que o TikTok tenha faturado US$ 10 bilhões em 2022. 

Ou seja, há uma possibilidade grande de o Reels se tornar maior que o seu arquirrival nos próximos meses.

Em termos de alcance, aproximadamente 75% de todos os anunciantes que trabalham com a Meta já estão utilizando o Reels, o que é outra enorme amostra do sucesso do produto.

Sem dúvida, o sucesso do Reels surpreendeu todo o mercado que, há 12 meses, cogitava seriamente o declínio terminal da Meta, sendo eclipsado pelo TikTok. 

Eu me lembro de, em nossas lives com investidores na Empiricus, responder diversas perguntas sobre o risco da Meta desaparecer em alguns anos, totalmente eclipsado pelo TikTok.

Esse risco não assusta mais.

VEJA TAMBÉM — “Sofri um golpe no Tinder e perdi R$ 15 mil”: como recuperar o dinheiro? Veja o novo episódio de A Dinheirista!

Inteligência artificial para todos os lados

Essa é uma discussão que acaba, ao menos por enquanto, muito restrita aos nichos mais técnicos. Mas todo mundo que trabalha com AI sabe que a Meta será um dos players mais importantes no segmento nos próximos anos.

Nas últimas semanas, eles abriram — ou seja, tornaram Open Source — um algoritmo chamado Llama. 

Eu sei o que você pensou, mas o Llama é a abreviação de "Large Language Model Meta AI", que é um modelo de AI treinado em quatro tamanhos diferentes. 

De acordo com a Meta, a versão mais parruda, treinada com 65 bilhões de parâmetros, é mais potente que o GPT-3 (a versão "padrão" do ChatGPT), que foi treinado com mais que o dobro dos parâmetros.

Com o Llama gratuito e liberado para usos comerciais, uma série de startups devem surgir usando a base desse modelo para construir aplicações mais complexas.

Um dos exemplos que mais me espantou foi o de alguns desenvolvedores rodando algoritmos como o ChatGPT localmente, num computador comum, utilizando uma versão compactada do Llama.

Além disso, Mark falou de várias aplicações que estão em desenvolvimento, como um chatbot comercial para os usuários do WhatsApp corporativo, a criação de anúncios 100% automatizados por inteligência artificial para os anunciantes do Instagram e do Facebook, além de outras novidades.

No geral, os esforços de inteligência artificial da Meta sempre foram eclipsados pela enorme aposta pública da empresa no metaverso. 

Esse, aliás, segue como um buraco negro nas suas demonstrações contábeis.

O fracasso da Meta (por enquanto…)

A divisão "reality labs", que compila as iniciativas da companhia relacionadas ao metaverso, somou míseros US$ 276 milhões em receitas, uma queda de 61% na comparação anual e um prejuízo operacional de US$ 3,7 bilhões.

Se o Reels é um sucesso absoluto, o Reality Labs é a sua antítese. 

Quanto mais o tempo passa, mais céticos os investidores se tornam com o sucesso desta aposta.

O próprio Zuck decidiu falar a respeito. 

Na conferência com os investidores, ele admitiu que o volume de vendas tem sido decepcionante e que a adoção dos dispositivos de realidade virtual e aumentada segue muito baixa.

Há uma série de desafios ainda importantes: os hardwares são pesados, pouco potentes e é difícil concebê-los para usos comerciais, fora no segmento de games.

Zuckerberg notou, porém, que a entrada da Apple no segmento é também uma validação: ou seja, ele não está louco, pois a Apple também acredita existir um grande mercado aqui.

Meta e Apple: abordagens diferentes para uma mesma estratégia

O interessante é que eu vejo as empresas convergindo para abordagens muito diferentes.

O produto da Meta é muito acessível e limitado. Isso faz dele muito mais barato, mas também muito menos potente que o futuro Vision Pro, da Apple.

Onde a Meta tem conseguido bons retornos — em games — é justamente o segmento em que a Apple sempre teve uma péssima execução.

Não surpreende, portanto, que a abordagem da gigante de Cupertino seja outra: diferente do Quest (óculos da Meta), o Vision Pro é uma extensão do Macbook. 

É um óculos focado em aplicações de realidade aumentada (não virtual) e no mercado corporativo: a Apple deseja que o Vision Pro substitua o Macbook.

Por isso, o Vision Pro é muito mais poderoso e mais caro que o Quest (cerca de 7x mais caro).

Essa briga só ficará mais interessante nos próximos anos.

Compartilhe

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Depois de 5 altas seguidas, Ibovespa tenta igualar a melhor sequência do ano até agora, mas não terá vida fácil

25 de junho de 2024 - 8:06

Ata da última reunião do Copom tende a dar o tom dos negócios no Ibovespa hoje, mas perda de fôlego da inteligência artificial lá fora pode pesar

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

O primeiro debate entre Joe Biden e Donald Trump vem aí: o que esperar da eleição mais importante do mundo

25 de junho de 2024 - 6:23

Biden e Trump voltam a disputar a Casa Branca no momento de maior fragilidade da democracia mais disfuncional dos países industrializados

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: Desiludidos pelo acaso

24 de junho de 2024 - 20:00

Um investidor no Brasil precisa saber distinguir o ruído da verdade e entender que os “super-heróis” do mercado estão sujeitos à falhas

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa entra na última semana do primeiro semestre tentando virar o jogo para a segunda metade do ano

24 de junho de 2024 - 8:01

Mercado financeiro terá pela frente uma semana de agenda cheia; ata do Copom, IPCA-15 e Relatório Trimestral de Inflação são os destaques por aqui

Mande sua pergunta!

Minha filha mora com o marido em imóvel que recebi de herança; agora ele quer que eu transfira o bem para ambos, o que fazer?

22 de junho de 2024 - 8:01

Casal quer reformar o imóvel e deseja que leitora passe o bem para o nome deles, mas ela quer proteger sua filha em caso de divórcio

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Após 3 sessões em alta, Ibovespa tenta interromper sequência de quatro semanas no vermelho enquanto investidores tateiam o fundo do poço

21 de junho de 2024 - 7:52

Com o dólar na faixa de R$ 5,46, os mais pessimistas ainda temem que o piso do Ibovespa contenha algum fundo falso, talvez um alçapão

SEXTOU COM O RUY

Chegou a hora de comprar ações? Para quem não tem pressa, a bolsa tem boas oportunidades

21 de junho de 2024 - 6:09

A bolsa voltou para os menores níveis desde novembro de 2023, com sérios receios de que a coisa iria desandar de vez. Mas será que podemos apostar nesse cenário?

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Copom unânime desfaz margem para ruídos e dá fôlego à bolsa — pelo menos em um primeiro momento

20 de junho de 2024 - 7:53

Parece contraditório, mas Ibovespa busca recuperação depois de o Copom ter decidido por unanimidade pela interrupção do ciclo de corte de juros

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: A Nvidia é fruto de hábitos ultrapassados

19 de junho de 2024 - 20:01

Tudo é muito impressionante na história de Nvidia, mas o mais impressionante é o nome por trás da gigante dos chips

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Expectativa com decisão de juros do Copom dá o tom do dia na bolsa, mas feriado nos EUA drena liquidez do mercado

19 de junho de 2024 - 8:05

Analistas esperam manutenção da taxa Selic a 10,50% ao ano, mas decisão de juros será anunciada somente depois do fechamento da bolsa

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar