🔴 DÓLAR A R$5,38 E PODE SUBIR MAIS – VEJA COMO PROTEGER O SEU PATRIMÔNIO

Rodolfo Amstalden: depois de ler, você vai mudar de vida

O próprio Governo Lula compartilha de uma falácia lógica, aplicando-a prontamente sobre duas oportunidades imperdíveis

17 de maio de 2023
20:23 - atualizado às 19:48
Arte conceitual mostrando uma pessoa de terno com um símbolo de interrogação no lugar da cabeça; em segundo plano, um fundo azul com um gráfico. A imagem representa uma pessoa com dúvidas na carreira e no mercado corporativo; também pode indicar dúvidas referentes aos investimentos
Imagem: Shutterstock

Muitos crimes epistemológicos já foram cometidos no mercado financeiro em nome do "post hoc ergo propter hoc". Famosa entre os filósofos da ciência, essa expressão latina pode ser traduzida livremente como “depois disso, logo por causa disso".

Temos aí uma falácia lógica, derivada da potencial confusão entre sequência temporal e causalidade — se um evento "B" ocorre imediatamente após outro evento "A", somos levados a acreditar que "A" causou "B".

Por exemplo: troquei a marca do café que eu tomo de manhã exatamente no dia 23 de março. Desde então, o Ibovespa subiu 10 mil pontos. Não serei idiota a ponto de voltar a tomar o café de antigamente, certo?

Consola-me notar que não sou o único a usar o P-H-E-P-H em minhas egotrips. O próprio Governo Lula compartilha dessa prática deliciosa, aplicando-a prontamente sobre duas oportunidades imperdíveis.

O primeiro toque de gênio foi com Petrobras: cumprindo a promessa de campanha do PT, Jean Paul Prates anunciou nessa semana que a estatal finalmente estava pronta para abandonar a PPI (Política de Paridade Internacional).

Um dia depois, a Petrobras reduziu os preços da gasolina, do diesel e do gás de cozinha; assim, fica parecendo que o fim da PPI causou, logo de cara, uma grande benesse. 

Porém — olha só que loucura —, a PPI não acabou (só mudou de nome), e o barateamento dos combustíveis já estava contratado há um bom tempo pela desvalorização do dólar e do barril de petróleo lá fora.

Já o segundo toque de gênio virá, ao que tudo indica, com a iminente nomeação de Gabriel Galípolo para o Banco Central. Pouco depois de ele sentar na cadeira de diretor de Política Monetária, presenciaremos o início dos cortes de juros no Brasil. Bingo!

Com um pouco mais de paciência, Galípolo poderá assumir a presidência do Bacen quando Campos Neto sair de cena, sacramentando assim uma Selic de volta a um dígito.

Bem, talvez você fique revoltado com esses mecanismos de distorção da realidade. Minha versão jovem, que venerava a lógica clássica e repudiava suas falácias, certamente estaria fula da vida.

Mas, à medida que o tempo passa, eu tenho me tornado menos escravo da lógica e mais discípulo da retórica; invariavelmente, me pego abrindo mão de estar certo para ser feliz.

Se o P-H-E-P-H é o que se faz necessário para amansar as alas radicais do PT e dar ao presidente um senso de controle sobre a dura realidade, tanto melhor. A PPI continua valendo e o juro vai cair, isso é o que importa; bora comprar carvão e assar uma carne pra comemorar.

Compartilhe

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mais um dia na bolsa de valores: barulheira fiscal no Brasil, eleições municipais, divulgação do IBC-Br e outros destaques que agitam os mercados

14 de junho de 2024 - 9:07

Contribuição da B3 para a forte queda do Ibovespa em maio, venda da Cetrel pela Braskem (BRKM5) e eleições no Reino Unido também agitam as bolsas nesta sexta-feira (14)

SEXTOU COM O RUY

Em plena semana dos namorados, chegou a hora de dar um “pé na bunda” na bolsa brasileira?

14 de junho de 2024 - 7:01

As notícias não têm sido muito animadoras, mas o Ibovespa negocia hoje com descontos que foram vistos pela última vez apenas na crise financeira de 2008; saiba qual ação ainda vale a pena

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Som e fúria na bolsa: Ibovespa parte do menor nível do ano com ruído sobre meta fiscal no Brasil e juros altos nos EUA

13 de junho de 2024 - 8:48

Disparada das ações do Méliuz, alteração do FGTS, autonomia do Banco Central e contas do governo Lula também ditam o tom do Ibovespa hoje; confira

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: O que nos separa, agora, é uma mera questão contratual

12 de junho de 2024 - 20:01

Não tem mais essa de experiências informais em relacionamentos, tudo agora é formalizado por um contrato entre as partes

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ligando os pontos na bolsa: em dia de dot plot do Fed, inflação e rumo dos juros nos EUA ganham destaque; confira essas e outras notícias que mexem com o seu bolso hoje

12 de junho de 2024 - 8:37

Enquanto investidores também aproveitam o Dia dos Namorados, perda da dominância do dólar, recompra de ações da Rede D’Or e MP do PIS/Cofins entram no rada

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O fundo do poço está próximo? Decisão do Fed sobre juros nos EUA, inflação no Brasil, fusão no setor de saúde e outros destaques do dia que indicam o tom do Ibovespa

11 de junho de 2024 - 8:42

Mercado aguarda posicionamento do Fed sobre inflação nos EUA nesta quarta-feira; nova marca de gestora de FII e compra milionária da Ultragaz também entram no radar dos investidores

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Semana de decisão: Postura do Fed sobre juros e inflação nos EUA vão definir rumo dos mercados no curto prazo

11 de junho de 2024 - 6:51

A quarta-feira será crucial para a narrativa macroeconômica global — e países emergentes como o Brasil podem estar prestes a receber uma má notícia

EXILE ON WALL STREET

Tony Volpon: Samba de uma nota só

10 de junho de 2024 - 20:01

A bolsa americana vem dançando junto com a Inteligência Artificial há um tempo, mas agora ela está focada em uma única empresa: a Nvidia

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa tenta preservar os dedos em meio ao tom negativo das bolsas internacionais, juros nos EUA, IPCA no Brasil e outras notícias que agitam os mercados

10 de junho de 2024 - 8:27

FIIs favoritos para junho, parceria do Brasil com a dona do AliExpress e ajuda ao RS também ganham destaque no radar dos investidores nesta segunda-feira

Mande sua pergunta!

Quero o divórcio, mas moro nos EUA com visto de acompanhante e nossos bens estão em nome de terceiros; e agora?

8 de junho de 2024 - 8:00

Ela ainda não obteve o green card, e ainda teme ficar sem nada após o divórcio, pois os bens da família não estão no nome do marido

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar