🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-06-01T19:00:13-03:00
Guilherme Valle
DESDOBRAMENTOS DA GUERRA NA UCRÂNIA

Cartão amarelo para a Rússia? Opep+ considera suspender o país do acordo que regula a oferta de petróleo no mundo; entenda

Suspensão seria justificada pelo fato de que o país não tem entregue sua cota de produção. O temor é o de que a Rússia acabe ganhando um poder desproporcional no grupo caso seja liberada para produzir menos petróleo

1 de junho de 2022
19:00
Presidente russo, Vladimir Putin, sentado com as mãos sobre uma mesa e com a bandeira da Rússia atrás
O presidente da Rússia, Vladimir Putin - Imagem: Reprodução Flickr

Alguns membros da Opec+, organização que reúne os 13 membros da Opec e 10 dos maiores exportadores de petróleo do mundo, estão considerando suspender a Rússia do acordo que regula a oferta de hidrocarbonetos no mundo, segundo relatos do Wall Street Journal

A movimentação acontece em um momento de tensão nas relações entre o ocidente, a União Européia e a Rússia. Em resposta à invasão da Ucrânia, são inúmeras as sanções impostas, chegando até mesmo a um banimento parcial do petróleo russo na Europa.

Os delegados da OPEC estariam preocupados com os crescentes desafios impostos à economia russa, o que poderia impedir o aumento da produção por parte do país, colocando mais lenha na fogueira dos preços, que seguem em alta.

Além disso, a expectativa de que a reabertura de cidades chinesas possa impulsionar a demanda pela commodity fizeram com que os contratos futuros de petróleo registrassem alta durante o dia, recuperando as perdas do pregão anterior.

O petróleo WTI para julho fechou em alta de 0,51% negociado a US$ 115,26 o barril. Já o Brent para agosto avançou 0,60%, e o barril vale US$ 116,29.

OPEC e países em guerra

No passado, a OPEC permitiu que alguns de seus membros não entregassem sua cota de produção se estivessem enfrentando situações adversas — exemplo disso é o Iraque, que enfrentou sanções durante a década de 1990. Outros casos incluem Líbia, Venezuela e Irã, atualmente isentas de cumprir as metas da organização.

A Rússia, apesar de não fazer parte do ‘grupo dos desobrigados’, não conseguiu atingir sua cota de produção nos últimos meses. Mesmo assim, o mais provável é que a OPEC tente se manter relativamente próxima ao país, já que os russos só perdem em capacidade produtiva para Estados Unidos e Arábia Saudita.

Entretanto, alguns membros da OPEC tem posição contrária, por um temor de que liberar a Rússia poderia atrapalhar a coesão entre OPEC e OPEC+, uma vez que o país continuaria a ter poder sobre o grupo sem que tivesse de contribuir com o controle da oferta de hidrocarbonetos. 

Assim, se o grupo decidisse ser necessário reduzir a produção no futuro, a Rússia estaria em posição privilegiada para não aceitar a decisão.

Leia também

*Com informações da CNBC e The Wall Street Journal

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

PROBLEMAS FINANCEIROS

Tenda (TEND3) negocia com credores e consegue sinal verde para flexibilizar endividamento

Os detentores de debêntures da empresa aceitaram mudar os termos das dívidas em troca de garantias – e remuneração – extras

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

‘Pane’ nas exchanges, os limites para a Rússia e a queda do Ibovespa; confira os destaques do dia

Os corredores do mercado financeiro estavam mais silenciosos do que o habitual nesta segunda-feira (04).  Nos Estados Unidos, as bolsas em Wall Street ficaram fechadas devido ao feriado do Dia da Independência americana, mas parece que boa parte dos investidores brasileiros também deu uma esticadinha no fim de semana.  Sem Nova York e com o […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa cai abaixo dos 99 mil pontos em dia de baixa liquidez; dólar e juros sobem com petróleo

Sem Wall Street, o Ibovespa teve um dia de movimentação limitada. Apesar da alta do petróleo, o índice não conseguiu se consolidar em alta

ELEIÇÕES 2022

Quem é Maria Luiza Ribeiro Viotti, a primeira mulher a comandar o Itamaraty se Lula vencer as eleições?

A indicação de uma mulher para o Itamaraty contemplaria o movimento feminino na diplomacia, que ganhou força política no Congresso e foi incentivado por Amorim no passado; o Brasil nunca teve uma chanceler

QUEREM PARAR O RUSSO

Todos contra Putin: O assunto da vez da reunião dos líderes do G7? Impor limites à Rússia

Dessa vez, a ideia central é a de impor um “teto” no preço dos combustíveis russos — a proposta foi trazida à pauta pelo presidente americano, Joe Biden

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies