⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2022-09-20T12:13:58-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Buscando reestruturação

Com dívidas de R$ 600 milhões, Rossi (RSID3) entra com pedido de recuperação judicial

A recuperação judicial da Rossi (RSID3) será conduzida pela Justiça de SP; em paralelo às dívidas, a empresa vive um mau momento operacional

19 de setembro de 2022
19:49 - atualizado às 12:13
Fachada do conjunto de edifícios Rossi Mais, em Porto Alegre (RS), construído pela Rossi (RSID3)
Fachada do conjunto de edifícios Rossi Mais, em Porto Alegre (RS) - Imagem: Divulgação Rossi

Do começo de 2022 para cá, a Rossi (RSID3) arquivou oito documentos na CVM com o título "esclarecimentos sobre pedido de falência" — em todos, ela citava ações de credores e dizia apenas não ter sido citada pela Justiça. Pois, onde há fumaça, há fogo: a tradicional construtora e incorporadora protocolou hoje seu pedido de recuperação judicial.

"A administração confia que a recuperação judicial é o instrumento adequado para viabilizar uma solução global e definitiva para a readequação do fluxo de caixa do Grupo Rossi", diz a companhia, em comunicado. A 1ª Vara de Falências da Justiça de São Paulo será responsável pelo caso.

De acordo com a própria Rossi, o grupo já vinha num processo de reorganização financeira desde dezembro de 2017 — de lá para cá, houve um esforço para o equacionamento de dívidas corporativas contratadas junto aos bancos e instituições financeiras. Esse esforço, no entanto, não foi capaz de salvar a empresa da recuperação judicial.

Por ora, não há detalhes quanto ao plano de reestruturação e às eventuais propostas a serem feitas aos credores da Rossi. Mas o balanço da empresa no segundo trimestre de 2022 dá uma dimensão dos obstáculos a serem vencidos: a dívida bruta somava R$ 598,8 milhões ao fim de junho; o caixa, por sua vez, era de apenas R$ 4,4 milhões.

Vale lembrar que o pedido de recuperação judicial não é sinônimo de falência. Pelo contrário: é um mecanismo para preservar as operações de uma empresa em paralelo à reestruturação da dívida e às negociações com os credores. As ações RSID3 continuarão sendo negociadas em bolsa, embora devam levar um baque nas próximas sessões.

De qualquer maneira, a percepção de que a construtora estava em maus lençóis já tinha chegado à bolsa: as ações RSID3 amargam perdas de quase 70% em 2022, fechando o pregão desta segunda (19) a R$ 3,15 — um nível de preço distante das mínimas do ano, quando tocaram o patamar de R$ 1,80.

Rossi (RSID3): paralisia operacional

Os problemas da Rossi (RSID3) não estão apenas no lado da gestão da dívida: as operações da companhia encontram-se num estado de paralisia, com números que podem causar estranheza à primeira vista.

Considerando apenas a fatia detida pela Rossi nos empreendimentos, as vendas brutas somaram R$ 16,5 milhões no segundo trimestre, mas as rescisões chegaram a R$ 16,9 milhões. Com isso, chega-se a uma inusitada venda líquida negativa de R$ 0,4 milhão — o que já representava uma evolução, já que, há um ano, a linha tocou os -R$ 18 milhões.

"Continuamos com nossas atividades em um cenário bastante desafiador, sendo diretamente impactados pelo atual
cenário de incertezas e de baixa previsibilidade econômica", disse João Paulo Cuppoloni, CEO da Rossi, em mensagem aos acionistas, na divulgação dos resultados do segundo trimestre.

E, com vendas líquidas negativas e provisões volumosas para distratos, a Rossi fechou o trimestre com uma receita líquida negativa de R$ 0,1 milhão. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou negativo em R$ 25,5 milhões; o prejuízo líquido foi de R$ 59,6 milhões.

"A Companhia permanece focada em seu processo de reestruturação, mantendo sua disciplina de caixa, implementando as últimas negociações para reestruturação de sua dívida bancária e trabalhando para o aumento da nossa eficiência operacional", disse Cuppoloni.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

SEXTOU COM O RUY

A ação da 3R Petroleum (RRRP3) disparou mais de 20% em uma semana. E pode ser apenas o começo

7 de outubro de 2022 - 6:09

Apesar dos maiores riscos, o potencial de valorização das ações da 3R Petroleum (RRRP3) também é enorme com a expectativa de demanda forte pelo petróleo por mais algumas décadas

A FORÇA DO VENTO

Copel (CPLE6) desembolsa R$ 1,8 bilhão por complexos eólicos no Rio Grande do Norte; veja detalhes

6 de outubro de 2022 - 19:49

A companhia destaca que os dois complexos estão um região que é considerada como “uma das melhores do mundo para a geração de energia de fonte eólica”

ELEIÇÕES 2022

Lula cede espaço para Bolsonaro no Nordeste e perde 9 pontos, segundo pesquisa Genial/Quaest

6 de outubro de 2022 - 19:25

O petista ainda segue liderando as intenções de voto na região onde sempre foi líder absoluto nas pesquisas, mas avanço do rival é um movimento significativo

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa emplaca mais uma alta, a disparada da Mobly (MBLY3) e o Nobel de Literatura; confira os destaques do dia

6 de outubro de 2022 - 18:51

Ao longo desta semana, o Ibovespa e os principais índices de Wall Street estão seguindo caminhos distintos.  Enquanto na B3 a alta do petróleo e a repercussão positiva do primeiro turno das eleições seguem levando a bolsa a patamares cada vez mais próximos dos 120 mil pontos, Nova York continua de olho na inflação e […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa pega carona com o petróleo mais uma vez e vai na contramão de NY; dólar também avança

6 de outubro de 2022 - 18:35

Embora o dólar tenha acompanhado a tensão internacional, o Ibovespa voltou a ir na contramão de Nova York com a ajuda do petróleo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies