O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-05-10T20:27:55-03:00
Carolina Gama
EFEITO ADVERSO

Negócio ameaçado? Ultrapar (UGPA3) diz que venda da Extrafarma pode não sair

A Pague Menos (PGMN3) anunciou em maio do ano passado a compra da rival Extrafarma, contralada pela Ultrapar, por R$ 700 milhões; negócio está sendo avaliado pelo Cade

10 de maio de 2022
20:27
Pague Menos Extrafarma Ultrapar
Imagem: Shutterstock/Andrei Morais

Os medicamentos geralmente têm reações adversas. No caso da Ultrapar (UGPA3), o que seria um remédio para os seus negócios pode ter um efeito adverso. 

A empresa informou nesta terça-feira (10) que arquivou na Securities and Exchange Commission (SEC), o regulador do mercado norte-americano, o formulário 20-F de 2021, traz informações gerais sobre a empresa e sobre os riscos para os investidores. 

No documento, a Ultrapar menciona a possibilidade da venda da Extrafarma, rede de farmácias que faz parte do grupo, não ser consumada. 

Segundo a companhia, caso isso aconteça, "pode ter um efeito adverso sobre nossos negócios, operações, situação financeira e resultados operacionais". 

A Ultrapar negocia a venda da rede para a Pague Menos (PGMN3), transação que está em análise pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A Pague Menos anunciou em maio do ano passado a compra da rival Extrafarma por R$ 700 milhões.

Ultrapar (UGPA3) vai ficar sem gás?

Além de colocar em dúvida a transação envolvendo a Extrafarma, a Ultrapar (UGPA3) também menciona no formulário F-20 outro risco: o de atrasos no fornecimento da Petrobras. 

Segundo o documento, a empresa pode ser prejudicada por atrasos ou interrupções relevantes no fornecimento de gás liquefeito de petróleo (GLP, o gás de cozinha) ou combustíveis derivados de petróleo da Petrobras, que é a principal fornecedora. 

Isso afetaria a capacidade de suas empresas Ultragaz ou Ipiranga de fornecer os produtos aos seus clientes.

Além disso, a Ultrapar chama atenção para a competição de seus produtos com fontes alternativas de energia que possam ganhar espaço no futuro em meio à imposição e aplicação de leis  ambientais mais rigorosas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

CVM recua e libera distribuição de dividendos do fundo imobiliário Maxi Renda FII (MXRF11) com base no ‘lucro caixa’ — relembre o caso

A xerife do mercado de capitais reconheceu “a existência de obscuridade e contradição” na decisão original

Superou o trauma? Bitcoin (BTC) segue no patamar de US$ 30 mil; saiba se a maior criptomoeda do mundo sustentará esse nível

BTC terá também que superar os críticos às moedas digitais, que não pouparam esforços para injetar ainda mais medo nesse mercado já extremamente desorientado

CEO do JP Morgan leva cartão vermelho de acionistas e pode ficar sem bônus milionário, entenda a decisão rara

A desaprovação foi a primeira desde que o conselho do banco norte-americano enfrentou um voto negativo sobre compensações desde que as regras foram introduzidas, há mais de uma década

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Hapvida, Magazine Luiza e Nubank tombam, mas Ibovespa fecha o dia no azul; confira os destaques desta terça-feira

O maior apetite ao risco e a expectativa de manutenção no ritmo de alta no juro nos Estados Unidos ajudou o Ibovespa, que teve um dia de ganho

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sustenta alta após susto inicial com Powell; dólar cai abaixo dos R$ 5

O Ibovespa fechou o dia longe das mínimas, mas o dólar caiu 2% com o apetite por risco no exterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies