O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-01-17T17:34:33-03:00
Carolina Gama
ONDE HÁ FUMAÇA, HÁ FOGO

“Monstro do Leblon” ressurge com redução de participação no Banco Inter (BIDI11); entenda

Só de units, o Ponta Sul – fundo por gerido por Flávio Gondim – tinha 93 milhões de ações do banco digital. Na semana passada, em leilão na B3 que movimentou quase R$ 800 milhões, vendeu 30 milhões delas

11 de janeiro de 2022
20:00 - atualizado às 17:34
Sede do Banco Inter stone
Sede do Inter - Imagem: Divulgação

Onde há fumaça há fogo. E não foi diferente no caso do Ponta Sul - fundo gerido por Flávio Gondim - e do Banco Inter (BIDI11)

Toda vez que as ações do Inter apresentam uma trajetória incomum, as atenções do mercado se voltam para o fundo de Gondim, também conhecido como “Monstro do Leblon”. E, por isso, os investidores estavam de olho nessa relação, já que, só em janeiro, os papéis do banco digital acumulam queda de 11,5%. 

Após uma forte venda de ações na semana passada, o "Monstro do Leblon" ressurgiu, fazendo a participação do Ponta Sul no Inter cair de forma significativa: passou de 12% no fim do ano de 2021 para 7,37% agora, segundo informou o banco digital nesta terça-feira (11).

O leilão que deu origem a tudo

Para estancar as perdas de um mercado em baixa - os papéis do Inter recuam 40% em 12 meses - o "Monstro do Leblon" foi forçado a se desfazer de suas ações. 

Só de units, o Ponta Sul tinha 93 milhões de ações do Banco Inter, mas na semana passada, em leilão na B3 que movimentou quase R$ 800 milhões, vendeu 30 milhões delas. 

No comunicado divulgado de hoje, o Inter informa que a Ponta Sul, negociar os papéis, "tem por objetivo a mera realização de operações financeiras".

Banco Inter e o “Monstro do Leblon”

Gondim ganhou o apelido de “Monstro do Leblon” pela forma agressiva como opera no mercado, com posições bastante alavancadas — maiores que o patrimônio do fundo.

O Ponta Sul entrou em 2021 com R$ 3,3 bilhões, mas, no dia 6, o patrimônio da carteira chegou a cair para R$ 788 milhões, uma desvalorização de 76% em 12 meses, de acordo com dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Além das ações e units, o fundo do "Monstro" detinha posições a termo, um derivativo no qual o investidor define um preço de compra para uma ação em uma data futura.

Junto com o Softbank, com 15%, o Ponta Sul era um dos maiores investidores minoritários do Inter e tinha 304 milhões de papéis (12%). 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

PERSONA NON GRATA

A lista de Putin: veja quem são as pessoas proibidas de entrar na Rússia — Trump escapa, mas Zuckerberg não

Essa lista está sendo considerada um movimento simbólico em resposta às duras sanções impostas pelos países ocidentais pela invasão da Ucrânia, em fevereiro

MADE IN CHINA

Shopee, Shein e AliExpress livre de taxas? Bolsonaro diz que sim e Guedes diz que não!

Chefe do Executivo volta a contrariar o ministro da Economia, Paulo Guedes, que na última semana defendeu o digitax — um imposto que seria aplicado em compras online de fornecedores estrangeiros

BYE BYE GOVERNO!

Privatização vem aí: conselho do PPI altera regras da capitalização da Eletrobras (ELET3); saiba por que mudou

O TCU aprovou na sessão de quarta-feira (18) o processo de privatização da companhia — a proposta do relator venceu por 7 votos a favor e 1 contra

NOVO SHAPE

Da academia pra carteira: Smart Fit (SMFT3) tem potencial de alta de 34%, diz Itaú BBA — saiba se é hora de comprar

Depois do confinamento provocado pela covid-19, a indústria fitness enfrenta agora um cenário desafiador, com inflação alta, segundo o banco de investimentos

SEM LIMITE

STF nega impor prazo a Lira para análise de pedidos de impeachment de Bolsonaro

O chefe do Executivo é alvo de mais de 140 solicitações de impedimento; entenda a decisão da corte máxima

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies