🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2.000,00 POR DIA – VEJA COMO

Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
olho lá fora

Petrobras dispara 14% em NY, após balanço e antecipação de dividendos

Por volta das 21h (horário de Brasília), PBR subia 14%; empresa reportou forte fluxo de caixa e lucro surpreendeu analistas

Kaype Abreu
Kaype Abreu
4 de agosto de 2021
21:41 - atualizado às 21:46
Fachada de prédio da Petrobras (PETR3 e PETR4) | Dividendos
Fachada de prédio da Petrobras - Imagem: Shutterstock

Os resultados do segundo trimestre da Petrobras, que trouxeram a antecipação de dividendos, fazem disparar os ADRs (certificados de ações) negociados em Nova York, durante o after-market desta quarta-feira (4).

Por volta das 21h (horário de Brasília), PBR subia 14%, a US$ 11,75, depois de fecharem o dia em queda de mais de 3% — movimento que foi semelhante na bolsa brasileira, em meio a uma baixa do petróleo.

O ânimo dos investidores agora se justifica por resultados do trimestre que levaram a uma antecipação do pagamento de dividendos relativos a 2021: serão R$ 31,6 bilhões, de acordo com a estatal.

O anúncio dos proventos foi possível porque a estatal está gerando bastante caixa. Segundo a empresa, o fluxo de caixa operacional e fluxo de caixa livre totalizaram R$ 56,6 bilhões e R$ 48,6 bilhões, respectivamente.

"Os expressivos resultados alcançados neste trimestre, especialmente o fluxo de caixa operacional e o fluxo de caixa livre, resultam da nossa resiliência, foco nos melhores ativos e da nossa capacidade de adaptação", disse o CFO Rodrigo Araujo Alves.

A empresa também teve a entrada de caixa referente a venda de ativos de US$ 2,8 bilhões até o início de agosto, em um avanço da companhia no plano de desinvestimentos.

Com o plano, a Petrobras mira o foco no pré-sal e a redução do endividamento. A empresa reduziu em US$ 27,5 bilhões a dívida bruta na comparação anual, alcançando US$ 63,7 bilhões.

O ano de 2021 é definido pela estatal como um período de transição. A Petrobras dedica grande parte de sua geração de caixa ao pré-pagamento da dívida, com o objetivo de atingir a dívida bruta de US$ 60 bilhões.

Ao final do segundo trimestre, a relação dívida líquida / Ebitda ajustado diminuiu para 1,49x, melhor marca desde o terceiro trimestre de 2011, quando os arrendamentos ainda não faziam parte do endividamento.

Para além dos dividendos da Petrobras...

A Petrobras teve lucro líquido de R$ 42,855 bilhões no segundo trimestre de 2021, ante prejuízo de R$ 2,713 bilhões no mesmo período do ano passado, segundo balanço.

A cifra representa uma alta de 3572,2% sobre o lucro do primeiro trimestre, quando a empresa teve ganhos de R$ 1,1 bilhão. O resultado é maior do que o projetado por analistas, de R$ 20,6 bilhões, segundo dados da Bloomberg.

"Continuamos trabalhando duro, amparados em decisões absolutamente técnicas; evoluindo e tornando-nos mais fortes para melhor investir, suprir um mercado cada vez mais exigente e gerar prosperidade para nossos acionistas e para a sociedade", disse o CEO Joaquim Silva e Luna.

O general assumiu o comando da Petrobras após declarações públicas do presidente da República, Jair Bolsonaro, contra a política de preços da companhia, que levaram a demissão do então CEO, Roberto Castello Branco.

Com o petróleo em alta, os preços dos combustíveis estavam subindo e afetando politicamente a popularidade do chefe do Executivo. Diversos bancos de investimento chegaram a recomendar a venda das ações da empresa por conta do temor com a ingerência política sobre a companhia.

Compartilhe

O boi Subiu no telhado?

Sinal vermelho para a Minerva (BEEF3): autoridade uruguaia barra compra de plantas de abate da Marfrig (MRFG3) no país

21 de maio de 2024 - 18:38

O negócio faz parte de uma transação de R$ 7,5 bilhões anunciada em agosto do ano passado; Minerva deve recorrer da decisão

LUCHA LIBRE DAS FINTECHS

Como o Mercado Livre (MELI34) pretende enfrentar o Nubank em disputa pelo mercado do México

21 de maio de 2024 - 17:26

O Mercado Pago está em busca de uma licença bancária para se estabelecer como “o maior banco digital do México”, em uma briga direta com o Nu

FICOU BARATA?

Ação da Suzano não para de cair na B3 — e esse bancão vê dois futuros possíveis para SUZB3. É hora de abocanhar os papéis?

21 de maio de 2024 - 12:28

O BTG Pactual acredita que a intensa desvalorização recente abriu uma oportunidade de se tornar sócio da companhia a preços muito baixos — mas há riscos no radar

NADANDO COM TUBARÕES

Adeus, Shark Tank? Justiça acata recuperação judicial da Polishop, de João Appolinário

21 de maio de 2024 - 12:16

Em meio a cobranças e ações de despejo, recuperação judicial protege a Polishop de seus credores por 180 dias

TENTATIVA DE RECUPERAÇÃO

Unigel obtém acordo com credores para reestruturar dívida de mais de R$ 4 bilhões

21 de maio de 2024 - 9:40

A empresa de químicos começou a romper compromissos com alguns credores em setembro de 2023, antes de entrar com a proposta de recuperação

REPORTAGEM ESPECIAL

Pão de Açúcar (PCAR3) volta às origens e tenta se reinventar após “desmanche” no fim da era Casino

21 de maio de 2024 - 6:19

Situação do Pão de Açúcar pode mudar à medida que a atual administração consiga trazer a operação de volta à rentabilidade; saiba o que esperar das ações da rede de supermercados

AVAL DOS MUNICÍPIOS

Sinal verde para privatização: Municípios de SP aprovam “último passo” para desestatizar a Sabesp (SBSP3)

20 de maio de 2024 - 18:47

No passo final do processo de desestatização, centenas de prefeitos de São Paulo assinaram um contrato unificado com a companhia de saneamento

DE OLHO NAS REDES

Interferência na Petrobras ainda vai longe? Os planos de Lula para a empresa não agradam nem um pouco o mercado — e agora? 

20 de maio de 2024 - 18:11

Os ruídos dentro na Petrobras (PETR4) não são de agora e a principal preocupação do investidor de PETR4 é a influência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na estatal.  Enquanto o governo quer que a estatal faça cada vez mais investimentos, o mercado enxerga que isso pode ser um perigo, dado o risco de […]

ENTENDA O IMBRÓGLIO

Vibra (VBBR3) compra seu edifício-sede no Rio, mas transação causa impasse para investidores de CRI e fundos imobiliários

20 de maio de 2024 - 17:02

Não se trata de um calote como os vistos no mercado de CRI no ano passado, mas sim de uma situação muito mais complexa do ponto de vista jurídico

MAIOR CAUTELA

Fusão entre Petz (PETZ3) e Cobasi anima analistas — mas esse bancão ainda vê potencial de alta limitado para ações

20 de maio de 2024 - 16:02

Bank of America elevou o preço-alvo dos papéis da Petz nesta segunda-feira (20), mas manteve recomendação neutra; entenda

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar