Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-04-08T06:50:49-03:00
Estadão Conteúdo
passivo jurídico

Petrobras assina acordo com Eletrobras e vai receber R$ 436 milhões

Valor é referente a sete ações judiciais movidos por subsidiárias da petroleira contra a estatal de energia e a Amazonas Energia

8 de abril de 2021
6:50
Petrobras
Imagem: shutterstock

A Petrobras (PETR4) e a Eletrobras (ELET6) comunicaram nesta quarta-feira (7) um acordo judicial que envolve o parcelamento do valor total de R$ 436,024 milhões devidos à petroleira.

A Petrobras informou que assinou junto com suas controladas indiretas Breitener Tambaqui e Breitener Jaraqui acordo judicial para recebimento de valores por estas litigados em face da Amazonas Energia e da Eletrobras.

O valor é referente a sete ações judiciais, que ficarão suspensas até a liquidação integral dos créditos negociados. Também faz parte do acordo o pagamento pela Amazonas Energia à Petrobras de valores vencidos remanescentes de faturamentos oriundos de contratos térmicos.

De acordo com as companhias, o valor será liquidado pela Amazonas Energia em 60 parcelas, que serão atualizadas com uma taxa de 124,75% do CDI, de 18 de janeiro deste ano até a liquidação integral.

O acordo incluiu também a recuperação de crédito da Petrobras, no montante de cerca de R$ 3,2 milhões relativo a um faturamento emitido em setembro de 2019, que será liquidado pela Amazonas Energia à vista, em até 15 dias, contados da assinatura do acordo.

De acordo com a Petrobras, a assinatura do acordo gerará um efeito positivo no resultado consolidado da Petrobras no segundo trimestre de 2021 de R$ 328 milhões, líquido dos efeitos fiscais. As informações referentes aos valores a receber de partes relacionadas, que inclui recebíveis da Eletrobras, estão apresentadas nas notas explicativas das demonstrações financeiras da Petrobras de 2020.

"A Petrobras entende que o presente acordo antecipará o recebimento do crédito, reduzirá os custos associados à continuidade dessas disputas e encerrará as controvérsias associadas", afirma a petroleira. A empresa detém 93,66% de participação na Breitener Energética, controladora integral da Breitener Tambaqui e Breitener Jaraqui.

Segundo a Eletrobras, a participação da empresa nos acordos judiciais não configura uma nova garantia em favor da Amazonas Energia, mas sim o equacionamento de dívidas anteriores, executadas nos processos judiciais, em que a Eletrobras é parte por causa de sua condição de garantidora.

"O presente acordo mitiga riscos de execuções para a companhia, uma vez que a Eletrobras já se encontra no polo passivo das demandas judiciais", aponta.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

seu dinheiro na sua noite

WEG: a favorita que levou mais uma vez a medalha de ouro

Nas competições esportivas, sempre há os favoritos ao pódio. Mas a verdade é que o esporte é uma caixinha de surpresas (ainda bem!), e nunca faltarão zebras ou imprevistos para tirar o ouro dos primeiros colocados dos rankings. Nos Jogos Olímpicos de Tóquio já tivemos alguns desses episódios, como a eliminação da tenista Naomi Osaka […]

Tente outra vez

Após cancelar oferta em 2013, Vix Logística protocola novo pedido de IPO na CVM

A empresa busca recursos principalmente para turbinar a expansão de sua frota, atualmente com 20 mil veículos, e locais de atuação

FECHAMENTO DO DIA

Fed recicla discurso e não empolga, mas balanços dão gás para o Ibovespa subir mais de 1%; dólar vai a R$ 5,10

Enquanto o Fed embalava os mercados internacionais, por aqui foi a temporada de balanços que falou mais alto e levou o Ibovespa a uma alta de 1,31%

CRYPTO NEWS

Você já pensou em desistir do bitcoin?

Muitas vezes perguntamos sobre aquilo que já decidimos fazer e queremos apenas o aval dos que estão ao nosso redor

Maior da história da estatal

Ministro do STF anula condenação trabalhista de R$ 17 bilhões imposta à Petrobras

Os trabalhadores que fazem parte da ação ainda podem recorrer da decisão de Alexandre de Moraes, mas o revés já havia sido determinado em julgamento do TST

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies