🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Renato Carvalho
Dinheiro roxo

Com aporte de Warren Buffett, Nubank se aproxima de gigantes e ganha fôlego para expansão

Banco digital ultrapassa os R$ 150 bilhões em valor de mercado após investimentos que somam US$ 750 milhões. Na visão de analistas, IPO não parece ser prioridade

Renato Carvalho
8 de junho de 2021
14:18 - atualizado às 18:55
Montagem mostra Warren Buffett segurando o cartão do Nubank
Montagem mostra Warren Buffett segurando o cartão do Nubank - Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

“O roxo é uma cor que não se vê, se sente”. Esta é uma das definições que se encontra na internet, que também trata o roxo como símbolo de criatividade e de mistério.

Parece que os investidores sentem a cor do Nubank cada vez mais presente no mercado de serviços financeiros no Brasil e na América Latina, e contam com a criatividade inspirada pelo roxo para que o banco consiga desvendar o mistério da lucratividade.

Em um único dia, a empresa anunciou dois grandes aportes de recursos, o maior deles de US$ 500 milhões, feitos pelo conglomerado Berkshire Hathaway, de Warren Buffet.

Além de Buffett, outra injeção de US$ 250 milhões foi liderada pela Sands Capital, com a participação de investidores como a Absoluto Partners e a Verde Asset Management, liderada por Luis Stuhlberger.

Confira o comentário de Richard Camargo, analista da Empiricus, sobre a movimentação:

Assim, somente na Série G de investimentos, o Nubank levantou um total de US$ 1,15 bilhão. Em janeiro, a empresa conseguiu levantar US$ 400 milhões com vários investidores. E desde sua fundação, foram US$ 2 bilhões em aportes.

Fontes ressaltam que com estes novos US$ 750 milhões, o Nubank chega a um valor de mercado de US$ 30 bilhões, ou R$ 151 bilhões, com o dólar cotado a R$ 5,04.

Assim, o banco se aproxima ainda mais do Santander Brasil, que atualmente vale R$ 170 bilhões, ou algo em torno de US$ 34 bilhões. E “abre vantagem” sobre a XP, que vale US$ 23 bilhões.

Os valores refletem a expansão acelerada do Nubank desde que foi fundado, em 2013. São 40 milhões de clientes, com um ritmo de crescimento de 45 mil novos correntistas por dia em 2021.

No entanto, um desafio ainda se faz muito presente para o Nubank. Se tornar uma empresa lucrativa. Em 2020, a instituição teve prejuízo de R$ 230 milhões. É verdade também que o número melhorou em relação a 2019, quando as perdas foram de R$ 313 milhões.

Para Max Bohm, analista da Empiricus, o crescimento do Nubank realmente impressiona. Mas quando se trata de IPO, a lucratividade é o ponto principal a ser observado.

No começo de maio, quando surgiram com mais força as notícias sobre uma eventual abertura de capital do Nubank, Bohm questionou como o banco começaria a monetizar sua crescente base de clientes.

“Será que se o Nubank começar a cobrar taxas em sua conta e no cartão de crédito, se aumentar os preços dos seguros, se cobrar corretagem na Easynvest, vai conseguir manter este número de clientes e ter lucro com eles?” Bohm espera inclusive um novo prejuízo para 2021.

Outra fonte que acompanha de perto a história do Nubank, e que prefere não se identificar, diz que o banco digital não vai fazer um IPO por fazer.

“Eles não precisam ir a mercado para captar recursos, e ainda estão pensando na expansão. Estão entrando em países como México e Colômbia, por exemplo. Acho que o Nubank ainda está se preparando melhor para este passo, sem pressa”, afirma.

Para Caio Kanaan Eboli, sócio e diretor operacional da mesa proprietária Axia Investing, os recursos serão utilizados para "expansão internacional e atração de 'talentos globais'".

O fundador e CEO do Nubank, David Vélez, dá uma pista das pretensões da companhia. "Cerca de 50% da população da América Latina ainda não tem conta bancária. A penetração do cartão de crédito é de, em média, 21%, enquanto nos Estados Unidos este número bate 70%”.

Forte no Brasil

No Brasil, o banco já conseguiu se estabelecer na cabeça das pessoas. Segundo levantamento feito pela plataforma Quanto, em parceria com a gestora de investimentos Constellation, o Nubank é utilizado por 47% dos 2 mil entrevistados pela pesquisa, e é o banco principal de 22%.

Segundo a pesquisa, o Banco Inter é o segundo em termos de usuários, com 22%, mas é o principal banco de apenas 6% dos entrevistados.

E o Open Banking deve tornar a competição bancária mais acirrada e também mais clara, segundo explica Ricardo Taveira, CEO e fundador  da Quanto.

Ele conta que 62% das pessoas ouvidas preferem os bancos digitais, mas mantêm suas contas nos tradicionais para não perder histórico financeiro.

“Metade dos entrevistados afirma nunca ter fechado uma conta bancária. Isso reforça a importância do Open Banking”, afirma. A ferramenta vai permitir que dados e históricos bancários sejam acessados por qualquer instituição financeira.

Compartilhe

Internacionalização

Práticas e acessíveis, contas em dólar podem reduzir custo do câmbio em até 8%; saiba se são seguras e para quem são indicadas

9 de setembro de 2022 - 6:30

Contas globais em moeda estrangeira funcionam como contas-correntes com cartão de débito e ainda oferecem cotação mais barata que compra de papel-moeda ou cartão pré-pago. Saiba se são para você

Valuation

BofA dá sinal verde para BTG (BPAC11) e recomenda compra do papel. Mas XP segue no amarelo

6 de setembro de 2022 - 16:27

Para o BofA, o BTG pactual está bem posicionado para apresentar resultados financeiros fortes nos próximos anos

ANOTE NO CALENDÁRIO

Atenção, investidor: Confira como fica o funcionamento da B3 e dos bancos durante o feriado de 7 de setembro

6 de setembro de 2022 - 11:29

Não haverá negociações na bolsa nesta quarta-feira. Isso inclui os mercados de renda variável, renda fixa privada, ETFs de renda fixa e de derivativos listados

Recadinho

Indireta para o Nubank? Itaú diz que “é muito fácil crescer oferecendo preços baixos e subsidiados para atrair clientes”

1 de setembro de 2022 - 10:43

Executivos do Itaú avaliam que alta dos juros tem feito os problemas dos grandes bancos se estenderem à nova concorrência

ARRUMANDO A CASA

Itaú (ITUB4) vai propor reorganização societária aos acionistas; banco deve assumir parte das atividades do Itaucard

31 de agosto de 2022 - 19:55

Segundo a instituição financeira, a reorganização faz parte da estratégia de “racionalização do uso dos recursos e otimização das
estruturas e negócios”

MUDANÇAS

Banco Bmg (BMGB4) faz reorganização societária e cria nova área de seguros

31 de agosto de 2022 - 10:22

Bmg (BMGB4) também anunciou a criação de uma nova holding chamada Bmg Seguradoras, que será subsidiária desta área de seguros

Marketplace

Itaú (ITUB4) entra na disputa das vendas online com shopping virtual; Magazine Luiza está entre os primeiros parceiros

29 de agosto de 2022 - 14:18

A intenção do Itaú é de que a nova loja virtual funcione como um ecossistema de compras de produtos e serviços

ATENÇÃO, ACIONISTA!

Dividendos e JCP: Banco do Brasil (BBAS3) anuncia pagamento de R$ 781 milhões em proventos; confira prazos

26 de agosto de 2022 - 18:54

A distribuição do montante será feita em antecipação ao terceiro trimestre de 2022, de acordo com informações do próprio banco

Market Makers

Banco do Brasil (BBAS3) está ‘ridiculamente barato’, diz Sara Delfim, da Dahlia

25 de agosto de 2022 - 18:00

Analista e sócia-fundadora da Dahlia Capital, Sara Delfim retorna ao Market Makers ao lado de Ciro Aliperti, da SFA Investimentos, para detalhar suas teses de investimento

Viva México

Se cuida, Nubank: Bradesco compra instituição no México e vai lançar conta digital no país

25 de agosto de 2022 - 12:08

Com a aquisição, o Bradesco terá licença para atuar como se fosse um banco digital no México. O país é um dos focos de expansão do Nubank

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar