Menu
2021-03-24T19:30:31-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
segue o líder

Novo rei do varejo alimentar: o que os analistas acharam da compra do Big pelo Carrefour

Compra das operações do Walmart no Brasil fortalece as operações do Carrefour e foi realizada a um bom preço, considerando as sinergias esperadas

24 de março de 2021
12:45 - atualizado às 19:30
Logo do Carrefour
Carrefour - Imagem: Shutterstock

O mercado foi surpreendido na manhã desta quarta-feira (24) com a notícia de que o Carrefour Brasil (CRFB3) fechou um acordo para adquirir o Grupo Big, antiga operação da varejista americana Walmart no país.

A surpresa, porém, foi muito bem recebida, como se pôde ver nas ações da varejista, que fecharam em alta de 12,77%, a R$ 21,73, a maior alta do Ibovespa no dia.

A maioria dos analistas ainda está se debruçando sobre os detalhes da aquisição, mas alguns já divulgaram as primeiras impressões e, por enquanto, elas são positivas. Ao adquirir o terceiro maior nome do mercado, eles afirmam que o Carrefour se torna o principal player do varejo de alimentos.

O UBS BB destacou que a incorporação do Big fará com que o Carrefour Brasil aumente em 80% o número de lojas no país, dobrando em hipermercados, multiplicando por três a quantidade de supermercados e elevando em 25% as unidades de atacarejo, além de entrar no segmento de clube de compras com o Sam’s Club, mercado pouco explorado no país. O resultado será um incremento da ordem de 32% da receita.

A expansão operacional também foi destacada por Sergio Oba, editor da Empiricus. Para ele, a aquisição do Big torna a operação brasileira praticamente do mesmo tamanho que a da França, com vendas brutas de cerca de R$ 100 bilhões.

“A conversão das lojas da rede adquirida – Maxxi em Atacadão e a operação do Sam’s Club – adicionam exposição ao canal de cash and carry (atacarejo) que vem sendo (e deve se manter) destaque nos próximos anos”, disse ele.

Custo relativamente baixo

Outro ponto destacado foram os R$ 7,5 bilhões acertados pelo Carrefour para concretizar a operação, com 70% sendo repassado em dinheiro e o restante por meio de emissão de novas ações.

O valor, de acordo com o UBS, pressupõe um múltiplo EV/Ebitda – que indica quanto tempo levaria para o lucro operacional pagar o investimento feito – de 3,6 vezes, após os ganhos de sinergia. Para o banco, o valor é “atraente” considerando que a aquisição do Big coloca o Carrefour “numa posição estratégica muito forte, ao ser claramente o líder do mercado”.

“Embora não seja uma aquisição pequena, para nós, o acordo é feito a múltiplos atraentes, com enorme sinergia, e fortalece significativamente a posição competitiva (da empresa)", diz trecho do relatório assinado pelos analistas Sreedhar Mahamkali, Samantha Osborne e Gustavo Piras Oliveira.

A questão da sinergia do acordo foi bastante comentada pelos analistas. O Carrefour informou que a operação resultará em ganhos significativos desde o primeiro ano, aumentando gradualmente para representar uma contribuição adicional líquida ao Ebitda de R$ 1,7 bilhão anualmente, três anos após a conclusão da operação. 

Esta foi uma questão considerada importante pela Genial Investimentos, assim como os ativos imobiliários, que valem cerca de R$ 7 bilhões, justificando o valor pago, que equivalente a 8,3 vezes o Ebitda do Big, “um pouco mais caro que o Carrefour, atualmente negociado a 7,1 vezes”.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

IR 2021

De imóveis e carros a joias e obras de arte: como declarar seus bens no imposto de renda

Bens não são tributados, mas também precisam ser informados na declaração; saiba quais bens você precisa declarar e aprenda as regras para informar qualquer um deles

pandemia

Covid-19: número de mortes sobe para 361,8 mil no Brasil

Nas últimas 24 horas, foram registradas mais 3.459 mortes no país

seu dinheiro na sua noite

Petróleo, minério e tudo que há de bom

Entre o fantasma do Orçamento com pedaladas, a besta da PEC “fura-teto”, o gigante da CPI da Covid e o monstro da pandemia, o Ibovespa conseguiu hoje engatar a terceira alta seguida e fechar acima dos simbólicos 120 mil pontos, marca que o índice não via desde fevereiro. Mas como pode? Bem, mais uma vez […]

hoje não

Hering rejeita proposta da Arezzo para potencial fusão

Segundo a Cia. Hering, a proposta “não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”

Polêmica na privatização

CVM vai investigar CEEE por suposta omissão na divulgação de informações

A autarquia começará a apuração de uma denúncia de omissão de fatos relevantes sobre a privatização da estatal gaúcha

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies