Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-29T09:22:09-03:00
Ricardo Gozzi
COMEÇANDO A DESINVESTIR

Ações da Evergrande saltam 15% em Hong Kong com plano de venda de fatia em banco

Conglomerado tenta tirar proveito da diversificação de seus investimentos para sanear as contas

29 de setembro de 2021
9:18 - atualizado às 9:22
Evergrande
Imagem: Getty Images

O Grupo China Evergrande é a incorporadora mais endividada do mundo. Com um passivo estimado em US$ 305 bilhões, o conglomerado encontra-se à beira de um calote em sua dívida.

Dona de parques temáticos, seguradoras e fatias em empresas de ramos que vão da indústria alimentícia à fonográfica, passando por um time de futebol, a empresa também é conhecida pela grande diversificação em seus investimentos.

E talvez seja essa diversificação que ajude a Evergrande a diminuir o aperto provocado pelo endurecimento regulatório promovido pelo governo da China como forma de combater a especulação imobiliária no país.

Evergrande quer se desfazer de participação no Shengjing Bank

Dentre tantos investimentos distantes de sua atividade principal, a Evergrande também tem participação em um banco. Trata-se do Shengjing Bank.

Hoje, na bolsa de Hong Kong, as ações da Evergrande saltaram 15%. Ainda que permaneçam mais de 90% abaixo de sua máxima histórica, atingida em 2017, os papéis da incorporadora foram beneficiados pelo anúncio de um plano de vender uma participação de 9,99 bilhões de renminbis (cerca de US$ 1,5 bilhão) no Shengjing Bank.

O plano foi informado hoje à comissão de valores mobiliários de Hong Kong. A parte interessada é uma empresa estatal de gestão de ativos, informa a agência de notícias Reuters.

A notícia é boa - e também é ruim

O Shengjing Bank é um dos principais credores da Evergrande. De acordo com a incorporadora, a direção do banco exige que todos os recursos líquidos da alienação sejam usados ​​para abater o passivo financeiro da Evergrande junto à instituição.

Se concluída, a transação reduzirá de 34,5% para 14,75% a participação de Evergrande no Shengjing.

Com isso, ao mesmo tempo em que soluciona o débito com um credor importante, a Evergrande não poderá usar os recursos para liquidar as dívidas com os detentores de seus títulos.

E as contas continuam chegando...

A notícia vem à tona no mesmo dia do vencimento de uma parcela de US$ 47,5 milhões devida a credores externos.

Na semana passada, a Evergrande deixou passar o prazo de juros devidos a credores em dólar. Oficialmente, porém, é preciso esperar 30 dias para que seja formalizado o calote.

Seja como for, os mais recentes passos do conglomerado confirmam a expectativa dos analistas - de que a Evergrande dê preferência aos fornecedores e clientes da Evergrande, deixando em segundo plano os credores de títulos emitidos no mercado financeiro.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

ATENÇÃO, ACIONISTA

Hapvida (HAPV3) vai recomprar até 100 milhões de ações; papéis acumulam queda de 17% no ano

A operadora de saúde anunciou hoje que dará início a um programa de recompra de papéis com duração de até 18 meses

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa fecha semana no azul, Nubank valendo bilhões a menos e primeiro ETF cripto dos EUA: veja as principais notícias desta sexta

Em uma limousine brilhante, o Ibovespa chegou atrasado para a festa das bolsas globais — mas chegou.  Os balanços das empresas europeias e americanas abriram as portas do salão de baile: com o bom resultado das companhias, dados mistos da economia e um desenho mais nítido da retirada de estímulos monetários, Wall Street brilhou.  O […]

CRIPTOMOEDAS

Quais as dificuldades na regulamentação do Bitcoin e demais criptomoedas?

Analista de criptomoedas, Valter Rebêlo, comenta sobre o processo de regulamentação das criptomoedas ao redor do mundo

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa tira uma lasquinha da festa das bolsas globais e sobe mais de 1% na semana; dólar recua após atuações do BC

Com uma bolsa descontada após as turbulências recentes, o Ibovespa tinha tudo para chegar cedo nessa festa, mas foi preciso que o Banco Central assumisse a condução para que a B3 tivesse uma chance.

ALGUNS BILHÕES A MENOS

Nubank prepara IPO com listagem na Nasdaq e na B3 até o fim deste ano, mas deve baixar a pedida no valuation

Meses atrás, a startup buscava ir a mercado avaliada em cerca de US$ 100 bilhões; veja o novo valor de mercado segundo o Broadcast

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies