Menu
2021-01-22T18:00:57-03:00
Estadão Conteúdo
esg

Ambev fecha compra de mil veículos elétricos

Produção será feita em área exclusiva na fábrica da Agrale em Caxias do Sul (RS), com quem a empresa tem contrato de cooperação técnica

22 de janeiro de 2021
13:20 - atualizado às 18:00
Caminhão e-Delivery da Volkswagen em parceria com a Weg, entregue à Ambev
Caminhão e-Delivery da Volkswagen, atualmente em fase de testes para a Ambev - Imagem: Volkswagen

A Ambev fechou mais uma parceria para a compra de mil vans e caminhões elétricos, desta vez com a Fábrica Nacional de Mobilidade (FNM), startup criada no ano passado. A produção será feita em área exclusiva na fábrica da Agrale em Caxias do Sul (RS), com quem a empresa tem contrato de cooperação técnica.

As empresas não divulgam investimento. A Ambev já tinha acordo de intenção de compra de 1,6 mil veículos elétricos da Volkswagen Caminhões. A produção das primeiras 100 unidades começa no segundo semestre na fábrica de Resende (RJ).

Os dois projetos estabelecem o fim de 2023 como prazo de entrega de todos os veículos, ano em que a Ambev pretende ter a maior parte da frota de distribuição (de 5,3 mil veículos) movida a energia limpa. Segundo a companhia, esta é mais uma iniciativa para reduzir em 25% a emissão de CO2 em toda sua cadeia em cinco anos.

Rodrigo Figueiredo, vice-presidente de sustentabilidade da Ambev, afirma que, "como empresa brasileira, estamos muito felizes de anunciar essa grande parceria com uma startup nacional, ainda mais diante desse cenário incerto no setor automobilístico que o Brasil enfrenta".

Segundo ele, "quando há união e colaboração entre empresas e empreendedores brasileiros, conseguimos inovar e construir projetos que beneficiam não só o País, mas o meio ambiente e o planeta".

Cada caminhão elétrico deixará de emitir 126 mil quilos de CO2 por ano. A Ambev recebeu duas unidades para testes e a produção em série começa em fevereiro ou março. Os veículos têm autonomia programada para rodar 100 km, mas podem chegar a 500 km. A recarga será feita em até quatro horas por carregadores nos centros de distribuição da Ambev, que operam também com energia solar.

Os caminhões serão conectados aos sistemas de TI da Ambev, que fornecerão em tempo real dados de rota, performance, informações de trânsito e trajetos. Eles são equipados com sistema anticolisão.

Ricardo Machado, presidente da FNM, explica que os veículos serão produzidos de acordo com as necessidades do cliente em modelo de negócio baseado em contratos de pré-venda, planilha aberta e pagamento antecipado. Entre os fornecedores estão a norueguesa Danfoss Editron (motores) e a americana Octillion (baterias). A brasileira Randon fará os baús de carga.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Proventos

Banco do Brasil anuncia pagamento de R$ 416 milhões em Juros sobre Capital Próprio (JCP)

Terão direito ao provento os investidores com posição acionária na empresa no dia 11 de março

o melhor do seu dinheiro

Brandão balança mais não cai?

Chegamos ao fim de mais uma semana tensa nos mercados, que começou com a derrocada das ações da Petrobras, em razão da interferência do governo na presidência da estatal, e termina com pressões na bolsa e no dólar motivadas pelas preocupações dos investidores com a inflação nos Estados Unidos e alta nas taxas dos títulos […]

URGENTE

Hapvida e NotreDame chegam a um acordo sobre fusão, afirma site

A maior combinação entre duas empresas brasileiras criará uma gigante do setor de saúde, com um valor de R$ 110 bilhões.

fechamento da semana

Tensão em Brasília leva Ibovespa de volta aos 110 mil pontos e afunda estatais; dólar vai a R$ 5,60

Em semana marcada pela tensão entre governo e mercado, o Ibovespa recuou 7,09%, de volta aos 110 mil pontos. O dólar disparou acima dos R$ 5,60

Abandonando o barco?

Ações do Banco do Brasil recuam quase 5% com possibilidade de saída de André Brandão

Brandão tem mostrado insatisfação com o cargo e quer deixar o comando da estatal, segundo jornal; BB nega que presidente tenha renunciado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies