Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-22T14:29:57-03:00
Larissa Vitória
Virou o jogo

Arezzo (ARZZ3) pode subir 30% com compra da Reserva e novas aquisições

Os analistas do banco de investimentos estão mais confiantes no potencial de lucro da empresa e elevaram também o preço-alvo dos papéis

22 de setembro de 2021
14:29
Arezzo
O plano de expansão da Arezzo que agradou os analistas começou em 2020, com a compra da Reserva. Imagem: Divulgação

Quando se fala sobre os negócios da Arezzo (ARZZ3) neste ano, muitos logo pensam na tentativa frustrada de compra da Hering, que acabou superada por uma oferta maior do grupo Soma.

Porém, a empresa não se abalou com o revés e prosseguiu com sua estratégia de fusões e aquisições, fechando a compra das marcas Bawqueridinha dos influencers e sucesso no Instagram — e MyShoes, poucos meses após o episódio com a Hering.

Mais animados com os sucessos acumulados pela Arezzo do que preocupados com seus fracassos, os analistas do Goldman Sachs celebraram a capacidade de adaptação da dona das marcas Schutz, Anacapri, Alexandre Birman e Vans, que partiu de uma empresa com crescimento orgânico para uma com estratégia híbrida que inclui as aquisições.

Em relatório divulgado nesta terça-feira (21), o banco de investimentos destaca que a abordagem adotada nos últimos dois anos voltou a companhia para novos mercados. Com isso, os analistas estão mais confiantes no potencial de alta no lucro e nas margens e elevaram a recomendação dos papéis ARZZ3 de Neutra para Compra, com novo preço-alvo de R$ 115.

Além da aquisição, integração também é chave para o sucesso

O plano de expansão da Arezzo que agradou os analistas começou em 2020, com a compra da Reserva — uma marca de roupas mais despojadas —, por R$ 715 milhões. Foi o primeiro passo para a construção de um ecossistema de moda e vestuário que cresceria ainda mais neste ano.

Não basta, porém, apenas comprar ativos promissores: o sucesso depende também da integração entre as marcas. Nesse aspecto, o Goldman Sachs afirma que a Arezzo foi novamente bem-sucedida.

“A rápida integração de aquisições recentes abre espaço para geração adicional de valor na alocação de capital”, indica o relatório. A Reserva, por exemplo, tem superado as expectativas e já projeta atingir a meta de vendas estabelecida para o início de 2022 ainda neste ano, o que implica um crescimento de 50% já no primeiro ano como parte da companhia.

Estrutura robusta por trás da integração

Um dos pilares para a integração rápida entre as duas empresas, conforme revelou Rony Meisler — fundador da Reserva e atual CEO da AR&CO — em entrevista exclusiva ao Seu Dinheiro, foi uma medida amplamente debatida antes do anúncio da transação: a divisão da Arezzo&Co em duas grandes áreas paralelas.

A primeira, de calçados e bolsas, conta com marcas como Arezzo, Schutz, Anacapri e Vans. Já a AR&CO, encabeçada por Meisler, concentra as redes de lifestyle e vestuário. 

"Nove meses [após o fechamento da operação] e a gente vê, na prática, que a governança foi muito bem desenhada, os times estão completamente alinhados", disse o executivo ao repórter Victor Aguiar. "Tem valor demais nos dois negócios, então pensamos numa tese em que o grande ganho de sinergia fosse no crescimento".

Por que comprar Arezzo agora?

Além do sucesso nas aquisições, o relatório do Goldman Sachs aponta que a veia de crescimento orgânico da empresa também permanece atrativa. “A Arezzo possui um portfólio robusto de marcas criadas internamente e distribuídas por uma larga cadeia de franquias, lojas próprias e multimarcas e canais online”, salientam os analistas. 

O banco estima que, excluindo os resultados com fusões e aquisições, as receitas da companhia ainda apresentaram uma taxa de crescimento anual composta (CAGR, na sigla em inglês) de 10% entre 2015 e 2019, período que antecede as primeiras compras.

Somado à reestruturação das operações da empresa nos Estados Unidos, à promessa de expansão do ecossistema de produtos em novas direções e os múltiplos atrativos, o cenário justifica a elevação na recomendação para os papéis.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

ATENÇÃO, ACIONISTA

Hapvida (HAPV3) vai recomprar até 100 milhões de ações; papéis acumulam queda de 17% no ano

A operadora de saúde anunciou hoje que dará início a um programa de recompra de papéis com duração de até 18 meses

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa fecha semana no azul, Nubank valendo bilhões a menos e primeiro ETF cripto dos EUA: veja as principais notícias desta sexta

Em uma limousine brilhante, o Ibovespa chegou atrasado para a festa das bolsas globais — mas chegou.  Os balanços das empresas europeias e americanas abriram as portas do salão de baile: com o bom resultado das companhias, dados mistos da economia e um desenho mais nítido da retirada de estímulos monetários, Wall Street brilhou.  O […]

CRIPTOMOEDAS

Quais as dificuldades na regulamentação do Bitcoin e demais criptomoedas?

Analista de criptomoedas, Valter Rebêlo, comenta sobre o processo de regulamentação das criptomoedas ao redor do mundo

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa tira uma lasquinha da festa das bolsas globais e sobe mais de 1% na semana; dólar recua após atuações do BC

Com uma bolsa descontada após as turbulências recentes, o Ibovespa tinha tudo para chegar cedo nessa festa, mas foi preciso que o Banco Central assumisse a condução para que a B3 tivesse uma chance.

ALGUNS BILHÕES A MENOS

Nubank prepara IPO com listagem na Nasdaq e na B3 até o fim deste ano, mas deve baixar a pedida no valuation

Meses atrás, a startup buscava ir a mercado avaliada em cerca de US$ 100 bilhões; veja o novo valor de mercado segundo o Broadcast

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies