2021-09-24T10:37:00-03:00
Rafaella Bertolini
Pesando no bolso

Prévia da inflação medida pelo IPCA-15 atinge 1,14% em setembro e acumula 10,05% em 12 meses

Estimativas do mercado para o índice no mês iam de 0,90% a 1,14%, com a mediana de 1,03%, de acordo com apuração do Broadcast

24 de setembro de 2021
9:03 - atualizado às 10:37
dragão do Harry Potter cuspindo fogo
A meta de inflação perseguida pelo Banco Central para este ano, que é de 5,25%. - Imagem: Shutterstock

A inflação medida pelo IPCA-15, a prévia do índice oficial, acelerou e bateu em 1,14% em setembro, de acordo com a publicação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O resultado veio acima das estimativas do mercado, que iam de 0,90% a 1,14%, com a mediana de 1,03%, de acordo com apuração do Broadcast. 

Nos últimos 12 meses, o IPCA-15 acumula alta de 10,05%, bem acima do teto da meta de inflação perseguida pelo Banco Central para este ano, que é de 5,25%.

O que pesa na inflação

O maior impacto (0,46 p.p.) e a maior variação (2,22%) vieram do grupo Transportes, com os combustíveis marcando presença como os vilões novamente. A segunda maior contribuição veio de Alimentação e bebidas (1,27% e 0,27 p.p.), que subiu mais do que no mês anterior (1,02%). 

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito tiveram alta de preços em setembro.

Transporte e os combustíveis

O resultado do grupo de transportes foi influenciado principalmente pelo aumento dos combustíveis, que bateram 3% no último mês. A gasolina subiu 2,85% e acumula 39,05% nos últimos 12 meses.

Além disso, os demais combustíveis também apresentaram altas: etanol (4,55%), gás veicular (2,04%) e óleo diesel (1,63%).

Os veículos próprios, que haviam subido 1,06% em agosto, registraram alta de 1,19% em setembro. Houve aumento também nos automóveis novos (1,70%), os automóveis usados (1,34%) e as motocicletas (1,04%). 

Alimentação

A ida no supermercado vem ficando cada vez mais sentida pelo bolso dos brasileiro, e os resultados de setembro ilustram bem esta realidade. A inflação do grupo Alimentação e bebidas (1,27%) foi influenciado principalmente pela alimentação no domicílio, que acelerou de 1,29% em agosto para 1,51% em setembro.

Entre os itens que mais subiram no último mês estão:

  • carnes  +1,10%
  • batata-inglesa +10,41%
  • café moído +7,80%
  • frango em pedaços +4,70%
  •  frutas +2,81%
  • leite longa vida +2,01%. 

Do outro lado, houve queda pelo oitavo mês consecutivo nos preços do arroz (-1,03%) e pelo sexto mês consecutivo nos preços da cebola (-7,51%).

alimentação fora do domicílio também acelerou na passagem de agosto (0,35%) para setembro (0,69%).

Energia elétrica

A maior contribuição para inflação no grupo de habitação veio da energia elétrica, (3,61%), embora a variação tenha sido inferior à de agosto (5,00%).

No último mês passou a valer a a bandeira vermelha patamar 2, com acréscimo de R$ 9,492 a cada 100 kWh consumidos. Além disso, a partir de 1º de setembro, vigorou a bandeira tarifária de Escassez Hídrica, que acrescenta R$ 14,20 para os mesmos 100 kWh.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

ECONOMIA X COVID

Economia monitora variante ômicron da covid-19, mas programas de auxílio dependem da PEC dos Precatórios; pasta evita falar em gastos fora do teto

Ministério da Economia evita falar em crédito extraordinário, como acontece nos casos de guerras ou calamidades públicas

Black Friday em números

Varejo cresce 6,3% na Black Friday e vê crescimento de lojas virtuais com e-commerce aquecido; confira dados

Apesar do aumento em relação à Black Friday de 2020, o patamar de faturamento do varejo foi 9,1% inferior ao registrado em 2019

Desdobramentos da crise

Presidente da Latam, Roberto Alvo diz que recusou oferta ‘incompleta’ e ‘insuficiente’ da Azul

O conteúdo dela é confidencial”, afirmou, em entrevista coletiva. Procurada, a Azul não quis comentar

Solana no MB

Exclusivo: Solana (SOL), 5ª maior criptomoeda do mundo, chega Mercado Bitcoin com alta de mais de 12.000% no ano

A quinta maior criptomoeda do mundo vem conquistando o mercado porque se coloca como uma blockchain alternativa ao ethereum (ETH)

Pandemia em curso

Variante ômicron da covid-19 já está em dez países, mas chefe da associação médica da África do Sul vê “sintomas médios” da doença em estudo preliminar

Até o fechamento desta matéria, não haviam informações sobre infecções por essa variante da covid-19 nas Américas