Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-12T14:15:00-03:00
Estadão Conteúdo
Recuperação econômica

Maiores bancos dos EUA sofreram com a pandemia em 2020, mas expectativa é de alta nos lucros

Grandes conglomerados bancários, incluindo JPMorgan Chase e Citigroup, deverão anunciar ganhos maiores no segundo trimestre de 2021

12 de julho de 2021
14:14 - atualizado às 14:15
Economia EUA
Imagem: Shutterstock

A recuperação econômica é promissora para os maiores bancos dos EUA. Grandes conglomerados bancários, incluindo JPMorgan Chase e Citigroup, deverão anunciar alta nos lucros do segundo trimestre de 2021, numa reviravolta em relação a um ano antes, quando tiveram de se proteger contra um salto no calote de empréstimos em meio à pandemia de covid-19.

Por outro lado, há obstáculos. Os negócios de transações com ativos, que prosperaram durante o caos da pandemia, estão desacelerando agora.

JPMorgan e Goldman Sachs vão publicar resultados trimestrais nesta terça-feira (13), e Citigroup, Bank of America (BofA) e Wells Fargo, no dia seguinte. Já os números do Morgan Stanley saem na quinta-feira (15).

Mudança de cenário

Há um ano, os bancos americanos impulsionaram suas provisões em bilhões de dólares para cobrir empréstimos não pagos.

No entanto, à medida que a perspectiva econômica melhorou, o setor bancário começou a liberar reservas, ampliando seus ganhos. Os lucros por ação do segundo trimestre deverão ser 40% maiores do que os do mesmo período de 2020, segundo analistas da Keefe, Bruyette & Woods.

Já o "boom" de transações com ativos que sustentou os bancos durante a pandemia não se repetiu no segundo trimestre.

Executivos do Citigroup e do JPMorgan disseram que as receitas advindas de operações com ativos serão 30% menores do que as de um ano antes. Isso significa que a receita total de cada banco pode ter diminuído cerca de 10%.

A demanda por empréstimos tem sido morna e as taxas de juros baixas prejudicam os lucros que os bancos poderiam ter na concessão de crédito. A margem de juros líquida do setor, uma importante medida da rentabilidade de empréstimos, atingiu mínima histórica no primeiro trimestre e analistas esperam desempenho semelhante no trimestre seguinte. Fonte: Dow Jones Newswires.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Garantindo a oferta

Crescem ofertas de ações com reserva antecipada

As ancoragens normalmente conseguem atrair mais investidores, numa espécie de chancela prévia, com potencial impacto positivo no preço da ação.

alto escalão

Fleury: CFO Fernando Leão renuncia ao cargo e será substituído por José Filippo

O Fleury informou que os dois executivos trabalharão juntos em um processo de transição estruturado que se terminará em dia 31 de agosto.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies