Menu
2021-04-27T09:26:36-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
alívio nos preços

Gasolina continua pressionando, mas inflação dá sinais de desaceleração em abril

IPCA-15 sobe 0,60% em abril, menos que o apurado em março e abaixo da mediana das projeções dos economistas

27 de abril de 2021
9:26
Posto de combustível em Brasília
Posto de combustível em Brasília - Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Quando é que os combustíveis vão deixar de ser os vilões da inflação? Por mais um mês, a gasolina pressionou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15). Apesar disso, a prévia da inflação de abril mostra um arrefecimento no ritmo de alta dos preços.

O IPCA-15 registrou aumento de 0,60% em abril, abaixo da alta de 0,93% apurada em março, segundo dados divulgados nesta terça-feira (27) pelo IBGE.

A leitura mensal do IPCA-15 de abril também veio abaixo da mediana das estimativas coletadas pelo Projeções Broadcast com economistas de mercado, de alta de 0,67%.

No ano, o IPCA-15 acumula alta de 2,82% e em 12 meses, de 6,17%, acima dos 5,52% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores, mas abaixo da mediana de projeções (6,25%). 

Alívio na gasosa

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, sete apresentaram alta em abril, segundo o IBGE.

Com alta de 1,76%, transportes continua sendo o principal grupo a influenciar o IPCA-15, com peso de 0,36 ponto percentual (p.p.), embora tenham desacelerado em relação ao resultado de março (3,76%).

A gasolina (5,49%) permanece como o produto com o principal impacto no índice (0,30 p.p.), ainda que com uma variação menor do que o mês anterior (11,18%). Óleo diesel (2,54%) e o etanol (1,46%) tiveram altas, mas também inferiores às registradas em março – 10,66% e 16,38%, respectivamente.

“Após uma sequência de reajustes nas refinarias em fevereiro e março, houve duas reduções o preço da gasolina no final do mês passado, e o IPCA-15 mostrou uma desaceleração nos combustíveis”, diz trecho do comunicado do IBGE.

Alimentos em aceleração

O grupo com o segundo maior peso no IPCA-15 de abril foi alimentos, que teve variação de 0,36%, superior à alta de março.

Segundo o IBGE, a alimentação no domicílio passou de queda de 0,03% em março para 0,19% em abril. E o café da manhã ficou mais caro com a alta do pão francês (1,73%) e do leite longa vida (1,75%), cujos preços haviam recuado no mês anterior.

As carnes seguem em alta (0,61%), embora com variação menor do que a de março (1,72%).

Ainda no setor de alimentos, outro destaque foi a alta de 0,79% na alimentação fora do domicílio, com variações positivas nos dois principais componentes: lanche (1,34%) e refeição (0,57%), que aceleraram em relação a março.

Por região

Todas as regiões pesquisadas apresentaram variação positiva em abril no IPCA-15, de acordo com o IBGE.

O maior resultado foi observado em Brasília (0,98%), especialmente em função da alta no preço da gasolina (8,37%).

A menor variação, por sua vez, foi registrada na região metropolitana de Belém (0,39%), influenciada pela queda no preço do arroz (-5,25%).

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Novo competidor

Grupo catarinense que fatura R$ 8,8 bi vai abrir 1º atacarejo no estado de SP

O Grupo Pereira vai abrir uma unidade da Fort Atacadista, sua bandeira de atacarejo, na cidade de Jundiaí; forte competição em SP é desafio

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies