💰IPCA + 8% e outros títulos ‘premium’: receba as melhores ofertas de renda fixa no seu WhatsApp

Cotações por TradingView
2021-03-18T16:51:54-03:00
Estadão Conteúdo
Amigo da natureza?

Economia tem como prioridade base de agenda de crescimento verde, diz Guedes

Guedes destacou que o BID e os demais países da região acolheram a proposta brasileira para a criação de um fundo com recursos para iniciativas sustentáveis na região.

18 de março de 2021
16:51
Paulo Guedes
Paulo Guedes, ministro da Economia - Imagem: Marcos Corrêa/Presidência da República

O ministro da Economia, Paulo Guedes, destacou nesta quinta-feira, 18, que a agenda de desenvolvimento da Amazônia é prioridade para o Brasil e reforçou que, para além das reformas estruturais, a equipe econômica se esforça por uma agenda de crescimento verde para o País.

Leia também:

"É preciso pensar a Amazônia como um lugar de oportunidades de desenvolvimento e não como uma abstração. A floresta é um patrimônio que deve ser cuidado para gerações futuras", afirmou, na 61ª Assembleia de Governadores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

De acordo com o ministério, a participação do ministro foi gravada na última terça-feira, 16. No painel "Desenvolvimento Sustentável da Região Amazônica", Guedes destacou que o BID e os demais países da região acolheram a proposta brasileira para a criação de um fundo com recursos para iniciativas sustentáveis na região.

Para o ministro, a exploração insustentável da Floresta Amazônica é sintoma do sistema de baixa produtividade da economia brasileira. Por isso,ele avaliou que o desenvolvimento sustentável da região passa por medidas de incremento da produtividade, pela melhoria da infraestrutura e pela desburocratização dos negócios.

Com o objetivo de atrair investimentos privados para a Amazônia, Guedes citou os seis projetos do governo para a concessão de florestas na região, além de dois parques nacionais.

O ministro também citou iniciativas de regulação fundiária no Norte do País e política nacional de pagamento por serviços ambientais.

"A produção de madeira e o turismo geram renda e ajudam no combate ao desmatamento ilegal. Queremos extirpar a mineração e o desflorestamento ilegais. Precisamos ampliar oportunidades da bioeconomia, desenvolvendo cadeias produtivas de alto valor agregado", acrescentou Guedes. "Estamos prontos para trabalhar em favor do progresso das comunidades da Amazônia", concluiu.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

ALÔ, FANTÁSTICO!

De novo? Loft faz terceira demissão em massa somente neste ano — novo corte atinge mais de 300 funcionários

7 de dezembro de 2022 - 13:38

Segundo a empresa, o novo corte acontece em razão da “reorganização” dos negócios. Em abril, a Loft demitiu cerca de 159 funcionários

BRINDE AOS ACIONISTAS

Dividendos e JCP: Ambev (ABEV3) anuncia pagamento de proventos; confira valores e prazos

7 de dezembro de 2022 - 12:21

A gigante de bebidas irá pagar R$ 0,76 por ação em JCP, mas o valor líquido cai com os 15% de imposto de renda retidos na fonte

NÃO AGRADOU

Vale (VALE3) lidera quedas do Ibovespa em dia de apresentação em Nova York e após divulgar projeções para a produção de minério de ferro

7 de dezembro de 2022 - 12:15

A produção do minério de ferro — um dos carros-chefes da empresa — deve manter-se em níveis atuais, entre 310 e 320 milhões de toneladas em 2023. Para este ano, a estimativa é de 310 milhões de toneladas

SEU DINHEIRO NA COPA

Deu zebra: criptomoeda Chiliz (CHZ) era aposta durante Copa do Mundo, mas token caiu 35% durante a competição; entenda o que houve

7 de dezembro de 2022 - 11:31

Os fan tokens têm diversas finalidades e havia uma grande expectativa com a competição para que a Chiliz pudesse voltar a brilhar

ELEIÇÕES 2022

TSE toma decisão sobre contas da campanha de Lula e Alckmin nas eleições 2022

7 de dezembro de 2022 - 10:55

TSE analisou contas da campanha de Lula e Alckmin à Presidência, que arrecadou cerca de R$ 135 milhões e gastou aproximadamente R$ 131 milhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies