Menu
2021-06-09T17:38:33-03:00
Estadão Conteúdo
Céu fechado

Com US$ 10 bilhões em dívidas e na mira da Azul, Latam pede mais tempo para apresentar plano de recuperação nos EUA

A aérea alegou que precisa de uma extensão do prazo devido à complexidade e tamanho de sua dívida, o que exige passos adicionais

9 de junho de 2021
17:38
Latam recuperação
Imagem: Shutterstock

A Latam entregou à corte norte-americana pedido para extensão para até 15 de setembro da data de entrega de seu plano para reestruturação de mais de US$ 10 bilhões em dívidas.

A companhia tinha 31 de julho como data limite para levar um plano à Justiça a ser apresentado para seus credores.

Na petição entregue à Corte de Falências do Distrito de Nova York, obtido pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, a aérea pede mais tempo devido à complexidade e tamanho de sua dívida, o que exige passos adicionais.

Segundo a Latam, a companhia está iniciando o processo de encontros com várias de suas principais contrapartes para discutir um plano de negócios e dar início as negociações relacionadas à estrutura do plano.

A Latam cita que a premissa de extensão se faz necessária também diante das circunstâncias atípicas do atual momento vivido pelo setor com a pandemia.

Do vermelho ao azul?

A aproximação da Azul com credores da Latam, especialmente os arrendadores de aeronaves, para que apresentem um plano alternativo, aumenta a pressão contra a Latam para apresentar um plano mais bem desenhado, de acordo com especialistas ouvidos pelo Broadcast.

A ideia da Azul é tentar adquirir as operações brasileiras da Latam, o que poderia constar como opção no plano alternativo.

A legislação de recuperação judicial e falências dos EUA permite que credores apresentem planos alternativos, se o da própria empresa for rejeitado por eles.

Especialistas dizem que esses casos são raros, justamente porque as empresas, diante de tal ameaça, buscam desenhar um plano que melhor atenda a demanda dos credores.

Outras medidas

Ontem, a diretoria da Latam decidiu pedir um adiantamento de US$ 500 milhões no âmbito do empréstimo debtor-in-possession (DIP) de US$ 2,45 bilhões que a aérea recebeu no ano passado.

De acordo com a companhia, a medida é necessária diante da extensão da crise provocada pela pandemia da covid-19.

O Grupo Latam está em recuperação judicial (chapter 11) nos Estados Unidos desde maio de 2020, com dívidas de mais de US$ 10 bilhões.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

entrevista

Superávit primário pode voltar em 2024, diz secretário do Tesouro

Jeferson Bittencourt diz que a melhora no quadro fiscal do País não é “sorte”; confira a entrevista

ESTRADA DO FUTURO

Duas (e mais duas) formas de ganhar dinheiro com ações tech

Existe um elemento em comum entre as big tech que as fizeram crescer tanto nas últimas duas décadas. Será que você acerta qual é?

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies