Menu
2021-05-19T10:04:16-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Desvalorização

Bitcoin cai para baixo dos US$ 35 mil pela primeira vez desde janeiro

Desde semana passada, a principal criptomoeda do mercado está em um movimento de queda e o noticiário não está ajudando

19 de maio de 2021
8:06 - atualizado às 10:04
Broken,Bitcoin,Split,In,Two,Pieces,Laying,On,A,Red
Imagem: Shutterstock

O bitcoin tem enfrentado semanas difíceis desde que Elon Musk decidiu que a Tesla deixaria de aceitar pagamentos em criptomoeda. Por volta das 10h, o bitcoin recuava 23,66%, cotado a US$ 33.634,48. Esse é o menor valor da criptomoeda desde janeiro deste ano.

Preço do bitcoin no último ano. Fonte: Coin Market Cap

No acumulado dos últimos sete dias, a queda é de 30,12%, de acordo com o portal Coin Market Cap. O movimento de baixa tem contaminado todo o mercado de criptomoedas, que recua 24,37% nas últimas 24h, acumulando um total de US$ 1,58 trilhão em valor de mercado.

Se levarmos em conta a máxima histórica do bitcoin de US$ 65 mil, o tombo é de pouco mais de 60%. As principais criptomoedas do mercado também estão registrando queda nesta manhã. A maioria, na casa dos dois dígitos.

Fonte: Coin Market Cap

AVISO DE LIVE

Ao meio dia, o Seu Dinheiro fará uma live explicando os movimentos do bitcoin e das principais criptomoedas do mercado. Clique aqui e ative as notificações!

China x Bitcoin

Além de Musk, a China também está contribuindo para o ruído no noticiário. A China proibiu instituições financeiras em criptomoedas, em um movimento já esperado da sua lei anti-especulação.

O gigante asiático já estava fechando o cerco contra as criptomoedas, em especial o bitcoin. De acordo com as agências estatais chinesas, "os preços das criptomoedas dispararam e despencaram, e o comércio especulativo voltou, prejudicando seriamente a segurança da propriedade das pessoas e perturbando a ordem econômica e financeira normal", diz o governo da China em comunicado.

A China já tinha leis que proibiam exchanges e ofertas iniciais de moedas (ICOs, na sigla em inglês). Agora, na prática, os indivíduos não podem mais ter bitcoins e outras criptomoedas.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

ESTRADA DO FUTURO

Duas (e mais duas) formas de ganhar dinheiro com ações tech

Existe um elemento em comum entre as big tech que as fizeram crescer tanto nas últimas duas décadas. Será que você acerta qual é?

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies