Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-03-03T16:33:08-03:00
Estadão Conteúdo
Queda bilionária

BC tem perda de R$ 5,081 bi com swap cambial em fevereiro

O BC obteve ainda um ganho de R$ 9,699 bilhões com a rentabilidade na administração das reservas internacionais no mês passado.

3 de março de 2021
16:33
Roberto Campos neto
Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central - Imagem: Raphael Ribeiro/BCB

Após a perda de R$ 16,338 bilhões com as operações de swap cambial em janeiro, o Banco Central registrou prejuízo de R$ 5,081 bilhões em fevereiro com sua posição pelo critério caixa, conforme divulgação realizada nesta quarta-feira pela autoridade monetária.

Leia também:

Pelo conceito de competência, houve perda de R$ 6,857 bilhões. O resultado, nesse critério, inclui ganhos e perdas ocorridos no mês, independentemente da data de liquidação financeira. A liquidação financeira desse resultado (caixa) ocorre no dia seguinte, em D+1.

O BC obteve ainda um ganho de R$ 9,699 bilhões com a rentabilidade na administração das reservas internacionais no mês passado. Entram nesse cálculo ganhos e prejuízos com a correção cambial, a marcação a mercado e os juros.

Já o resultado líquido das reservas, que é a rentabilidade menos o custo de captação, ficou positivo em R$ 4,792 bilhões em fevereiro. O resultado das operações cambiais no período ficou negativo em R$ 2,127 bilhões.

No acumulado de 2021 até 26 de fevereiro, o prejuízo com swaps somou R$ 21,419 bilhões pelo resultado caixa e R$ 26,678 bilhões pelo competência.

Já a rentabilidade das reservas internacionais ficou positiva em R$ 108,220 bilhões, com resultado líquido positivo de R$ 93,337 bilhões e operações cambiais também positiva de R$ 66,659 bilhões.

O BC sempre destaca que, tanto em relação às operações de swap cambial quanto à administração das reservas internacionais, não visa ao lucro, mas fornecer hegde ao mercado em tempos de volatilidade e manter um colchão de liquidez para momentos de crise.

Posição

Os bancos fecharam fevereiro com posição vendida no câmbio à vista de US$ 25,715 bilhões, informou o Banco Central. No fim de janeiro, essa posição estava vendida em US$ 33,165 bilhões.

As instituições financeiras atuam como contrapartes em operações cambiais. Assim, quando há remessas de moeda estrangeira ao exterior, elas fornecem dólares a empresas e fundos, por exemplo, para envio. Neste caso, a "posição vendida" das instituições tende a aumentar.

Em movimento contrário, quando há entrada de recursos no Brasil, as instituições financeiras recebem os dólares, o que reduz a "posição vendida" ou eleva a "posição comprada".

A posição dos bancos no mercado à vista também é alterada sempre que o BC realiza leilões de dólares. Assim, quando o BC vende moeda aos bancos, a posição vendida à vista tende a diminuir.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Crise dos chips

Sem carro zero no mercado, preço de usados sobe até 20% e vendas disparam – carro usado chega a custar mais que um novo

Mercado enfrenta escassez de semicondutores, demanda alta por veículos e prazos longos para a entrega

sem escassez

Fábrica da Tesla em Xangai deve terminar setembro com 300 mil carros produzidos em 2021

Marca será atingida mesmo em meio a uma escassez global de semicondutores, disseram duas fontes da montadora à Reuters

Fim da pandemia

CEO da Pfizer prevê que voltaremos à vida normal dentro de um ano, mesmo com novas variantes do coronavírus

Albert Bourla acredita que vacinação contra a covid-19 se tornarão anuais, para cobrir novas variantes, e que vacinas durarão um ano

ainda não acabou

Controladores da Alliar (AALR3) contratam XP para vender o negócio, diz jornal

Empresa de diagnósticos foi alvo, recentemente, de disputa pelo controle pela Rede D’Or e fundos ligados ao empresário Nelson Tanure

Mais recursos

Democratas aprovam pacote de US$ 3,5 tri no Comitê de Orçamento da Câmara dos EUA

Recursos serão destinados à rede de segurança social e programas relacionados a mudanças climáticas. Obtenção de quase unanimidade para aprovação no Congresso é desafio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies