Menu
Rodolfo Amstalden
Exile on Wall Street
Rodolfo Amstalden
Sócio-fundador da Empiricus e autor do Programa de Riqueza Permanente
Dados da Bolsa por TradingView
2021-04-15T10:29:21-03:00
Exile on Wall Street

Bolsa não precisa de motivos para subir e os ganhos acontecerão – mesmo no pior cenário

15 de abril de 2021
10:29
Bull market na bolsa
Imagem: Shutterstock

Do fim de fevereiro até este meio de abril, o Ibovespa retomou os 120 mil pontos rapidamente, e sem qualquer utopia.

Isso nos traz uma importante lição enquanto investidores agnósticos: a Bolsa não precisa de motivos para subir.

Repita o mantra: não precisa de motivos para subir, não precisa de motivos… assim como você não precisa ser sempre feliz para viver. Seu tesão pela existência depende apenas de um mínimo conjunto de significados honestos.

O investidor coxa, que espera bons motivos para comprar, vai continuar esperando ou vai comprar muito mais caro, lá na frente, quando já estivermos todos em Pasárgada.

Geralmente, a ausência de razões para cair já é uma ótima notícia, independentemente de quaisquer critérios canônicos sobre "a eficiência no apreçamento de ativos de risco".

Qual é a régua perfeita que o observador perfeito usará para medir todas as coisas do mundo?

De minha parte, enxergo através de ângulos oblíquos, e minha régua é torta.

Aliás, bem-vindo à Empiricus — o lugar que reúne pessoas que nasceram com as réguas tortas, e não têm vergonha de admitir.

Welcome to the club.

Fique à vontade para puxar uma cadeira, sempre temos um lugar à mesa reservado para você. Aguarde um minuto que, em breve, distribuiremos as cartas; o jogo já vai começar.

Mas, antes, afinal: o mercado é ou não é eficiente?

O mercado coleciona ineficiências, e pode colecioná-las tanto quanto for possível caber em suas grandes mãos invisíveis — como uma avó montando suas quase trincas na cacheta.

O mercado acumula várias ineficiências nas mãos, mas sorri aquele sorriso amarelo de avó ex-fumante para seus netinhos, como se estivesse numa baita maré de azar, a eterna busca pelo maldito oito de paus.

Como humildes jogadores do lado da mesa — se é que as mesas redondas têm lado —, às vezes conseguimos espiar uma ou outra carta nas mãos do mercado.

Uau, como somos espertos!

Ou será que a avó pseudodistraída é quem deixou-se espiar?

Espiamos com o gosto de quem faz algo proibido, e aquela carta nas mãos do mercado passa a ser imediatamente percebida como uma oportunidade.

Não há como segurar tamanha ineficiência por tanto tempo, simplesmente não faria sentido.

Que absurdo!

Não há arbitradores neste mundo?

O mercado tem nas mãos exatamente a carta de que eu preciso para bater o benchmark, uma carta que — para ele — se mostra inútil, mas não descarta nunca.

Ok, ok. Se quer jogar dessa forma, pior pra ele. Olho por olho. Também não descarto nunca o meu oito de paus, mesmo que seja preciso morrer com esta merda nas mãos.

E assim vamos acumulando rodadas e rodadas, passando da meia-noite, resistência armada.

Não posso nem me levantar para ir ao banheiro (pelas regras da casa, os jogadores não podem levar as cartas consigo até o mictório). Faço um esforço surreal para continuar líquido pelo mesmo tempo em que o mercado se mantém irracional.

Luto contra um sono desesperador, passo a confundir os números e naipes.

Então, num piscar de olhos — será que eu pisquei ou dormi? —, o mercado descarrega sobre a mesa todas as suas trincas e quadras, algumas delas formadas com a ajuda de coringas providenciais.

O mercado bateu, sem depender do meu oito de paus. Não posso acreditar.

Perdi, mas podia ter ganhado.

Quer jogar de novo?

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin (BTC) se aproxima das máximas históricas após estreia do primeiro ETF em criptomoeda nos EUA; acompanhe

Nos primeiros minutos de negociação, o ETF da ProShares movimentou cerca de US$ 280 milhões de acordo com o analista de ETFs da Bloomberg

NA ESTEIRA DA VACINA

Beneficiada por venda de imunizante contra covid-19, Johnson & Johnson lucra mais que o esperado no 3º trimestre

Depois dos grandes bancos, agora é a vez de a J&J surpreender positivamente o mercado, impulsionada por sua divisão farmacêutica

MERCADOS HOJE

Auxílio emergencial ‘turbinado’ e fora do teto pesa e faz Ibovespa perder os 113 mil pontos; dólar avança mesmo com leilão do BC

A agenda local está esvaziada neste início de semana, mas os investidores aguardam ansiosamente por um desfecho para a PEC dos precatórios.

RadioCash

Com cenário macroeconômico instável, não dá pra ser Warren Buffet no Brasil, diz Paolo Di Sora, fundador da RPS Capital

Para o megainvestidor e CEO da Berkshire Hathaway, que compra ações de empresas na maior economia do mundo, é fácil se concentrar na análise microeconômica. Já o investidor brasileiro, por sua vez, está sempre sujeito a instabilidades e crises domésticas

A REFORMULAÇÃO CONTINUA

Em busca de recuperar a credibilidade, IRB anuncia novo CFO

Willy Otto Jordan Neto assumirá a posição assim que sua posse for autorizada pela Susep

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies