🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Energia elétrica

Prepare o bolso: conta de luz pode subir 16,7% no próximo ano, de acordo com Aneel

Para evitar que as contas disparem, a agência analisa medidas para aliviar os efeitos para os consumidores e manter os reajustes inferiores a dois dígitos

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
17 de agosto de 2021
7:48 - atualizado às 8:03
Imagem mostra uma tomada vermelha em primeiro plano com pilhas de moedas ao fundo que representam o preço caro da energia
Imagem: Shutterstock

Nos últimos dados de inflação divulgados, o aumento nos preços da energia elétrica exerceram forte pressão, afinal, quem não está sentindo o bolso pesar com as contas vindo cada vez mais altas? Infelizmente, segundo pesquisas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), as tarifas devem continuar em movimento de alta, e podem subir, em média 16,68%, no próximo ano.

Para evitar que as contas disparem, a agência reguladora analisa medidas para aliviar os efeitos para os consumidores e manter os reajustes inferiores a dois dígitos. A estimativa foi apresentada pelo superintendente de Gestão Tarifária da agência reguladora, Davi Antunes Lima, nesta segunda-feira, 16, em audiência pública na Comissão de Legislação Participativa da Câmara. Segundo ele, diversos fatores devem contribuir para a alta nas tarifas.

Com o agravamento da crise hídrica, a Aneel estima que os valores pagos pelos consumidores por meio das bandeiras tarifárias não serão suficientes para cobrir as despesas com as térmicas. A previsão é que a Conta Bandeiras feche o ano com déficit de R$ 8 bilhões, que deverão ser repassados aos consumidores em 2022.

Outros fatores que influenciam no aumento de preço

  • Pesam também os custos das medidas aprovadas pela Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenérgetica (CREG), que somariam entre R$ 2,4 bilhões e R$ 4,3 bilhões, segundo a Aneel.
  • A alta do dólar, que impacta o valor da energia da Itaipu Binacional, e o reajuste de contratos antigos de 17 distribuidoras atrelados ao IGP-M também devem pressionar as tarifas. De julho de 2020 a junho de 2021, o indicador subiu 35,75%.

Antunes reconheceu que as tarifas estão pressionadas e afirmou que a agência reguladora já analisa medidas para mitigar os impactos nas tarifas no ano que vem.

"A meta que a Aneel tem esse ano, que é logo depois da pandemia, um ano bastante difícil tanto pelo ponto de vista do consumidor quanto do ponto de vista da crise energética é buscar reajustes tarifários inferiores a dois dígitos", disse o superintendente.

Na tentativa de atenuar os reajustes, a agência estuda uma série de medidas, entre elas antecipar para 2022 o aporte de recursos da privatização da Eletrobras para reduzir os encargos pagos pelos consumidores, que somariam R$ 5 bilhões, e postergar novamente o pagamento da parcela de remuneração das distribuidoras.

"Com essas medidas adicionais a gente prevê um impacto, isso é uma previsão ainda, de 10,73% na conta ao invés daqueles 16%. Mas ainda estamos estudando medidas adicionais para poder reduzir esse impacto tarifário, que está muito agravado principalmente por conta da crise", afirmou.

Neste ano, a agência reguladora aplicou diversas ações para segurar os reajustes, como o uso de créditos tributários cobrados indevidamente nos últimos anos para abater tarifas e o adiamento de indenizações que deveriam ser pagas às transmissoras.

Segundo dados apresentados pelo superintendente, considerando algumas distribuidoras, o reajuste médio previsto inicialmente era de 21,57%, mas a aplicação das medidas reduziram o efeito médio para 7,85%. "A Aneel é muito sensível em relação à tarifa de energia elétrica. Fazemos esforços muito grandes para tentar atenuar esses impactos tarifários", afirmou

*Com informações do Estadão Conteúdo

ATENÇÃO! O Victor Aguiar preparou uma análise sobre as empresas que podem potencializar seu portfólio; confira no vídeo abaixo e se inscreva no canal do Seu Dinheiro no Youtube para mais conteúdos sobre investimentos

Compartilhe

Luz do fim do túnel?

Desconto na conta de luz: Aneel consulta repasse de até R$ 5 bilhões da Eletrobras (ELET3) para reduzir tarifas

22 de junho de 2022 - 15:51

O valor pode aliviar o impacto de tarifas do processo de desestatização no bolso do consumidor

APAGA A LUZ!

Conta de luz mais cara: ANEEL propõe reajustes de quase 60% em bandeiras tarifárias

12 de abril de 2022 - 15:01

Dentre os fatores apontados como justificativa para o reajuste estão a inflação, que fechou 2021 em 10,06%, e a alta dos combustíveis

SEM REFRESCO

A conta de luz vai continuar com tarifa extra: Aneel mantém bandeira de escassez hídrica em março

26 de fevereiro de 2022 - 12:44

Em contrapartida, órgão regulador mantém pelo 4º mês seguido a bandeira verde para consumidores inscritos no Tarifa Social

TIRANDO O PESO

Em busca de desalavancagem, Equatorial (EQTL3) lança oferta de ações para levantar mais de R$ 2,6 bilhões

27 de janeiro de 2022 - 9:52

Empresa tenta fazer jus à fama de ‘gigante que nunca dorme’ para seguir em busca de novas aquisições no setor elétrico

OLHO NO ÁRBITRO

Aneel aprova acordo entre concessionária e União pelo linhão Manaus-Boa Vista

11 de setembro de 2021 - 12:13

Processo será conduzido por um Tribunal Arbitral composto por três árbitros

Seca severa

Em pronunciamento, ministro pede que consumidores economizem energia e água, e diz que crise é fruto de “fenômeno natural”

1 de setembro de 2021 - 7:18

Bento Albuquerque, de Minas e Energia, afirma que choveu menos que o esperado na região Sul, mas evitou usar a palavra “racionamento”

CRISE HÍDRICA

Aneel mantém bandeira vermelha nível dois nas contas de luz em setembro

28 de agosto de 2021 - 7:25

É o quarto mês consecutivo que a Aneel aciona a bandeira vermelha patamar 2. De acordo com a agência, agosto foi um mês de “severidade” para o regime hidrológico do sistema elétrico

Situação preocupante

Cuidado com as luzes acesas! Aneel mantém taxa adicional mais alta na contas de agosto

31 de julho de 2021 - 10:56

Tarifa cobrada na bandeira vermelha nível 2 é de R$ 9,49 por 100 quilowatts-hora (kWh), e agência continua avaliando se vai elevar o valor

Momento de seca

Governo recomenda reter mais água em reservatórios de hidrelétricas

8 de julho de 2021 - 7:07

Presidente da Sabesp afirma que situação pluviométrica em São Paulo está ruim, com diminuição importante da vazão em alguns municípios

Energia mais cara

Bandeira vermelha nível 2 poderá aumentar para até R$ 11,50 a cada 100 kWh, diz Aneel

30 de junho de 2021 - 7:29

Ontem, a agência reguladora já havia aprovado um reajuste de 52%, que passou a taxa adicional de R$ 6,24 para R$ 9,49

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies