🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Estadão Conteúdo
Momento de seca

Governo recomenda reter mais água em reservatórios de hidrelétricas

Presidente da Sabesp afirma que situação pluviométrica em São Paulo está ruim, com diminuição importante da vazão em alguns municípios

Usina hidrelétrica da Cesp
Usina Hidrelétrica Souza Dias (Jupiá), que fica na divisa de São Paulo com Mato Grosso do Sul. - Imagem: Clayton de Souza/Estadão Conteúdo

O governo recomendou a adoção de novas medidas para reter mais água nos reservatórios de hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste devido à crise hídrica que o País enfrenta, a maior dos últimos 91 anos.

A decisão reforça a necessidade de manter o acionamento de mais usinas termelétricas e a importação de energia elétrica da Argentina e do Uruguai, o que vai encarecer o custo de energia para todos os consumidores.

Nota divulgada pelo Ministério de Minas e Energia (MME) afirma que o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), colegiado composto por diversos órgãos do setor, recomendou novas restrições hidráulicas nas usinas hidrelétricas Jupiá, Porto Primavera, Ilha Solteira e Três Irmãos.

Segundo o governo, as medidas foram indicadas com base em estudos apresentados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que indicou a prevalência do cenário de atenção nas condições de atendimento.

As indicações foram feitas durante reunião nesta quarta-feira, 7, e serão analisadas pela Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG).

O grupo foi criado por meio da Medida Provisória editada em 28 de junho justamente para determinar mudanças nas vazões de reservatórios e hidrelétricas - já que o CMSE não tem poder decisório e se limita a fazer recomendações.

Presidida pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e composta por outros ministros, a CREG se reunirá nesta quinta, 8, às 10h, e deve referendar as sugestões, determinando seu cumprimento pelos demais órgãos de governo e concessionárias donas de hidrelétricas.

Em linha com o discurso de Albuquerque, a nota informa que as medidas em curso e o equilíbrio estrutural da matriz brasileira afastam riscos de desabastecimento.

"O CMSE reiterou a garantia do suprimento de energia elétrica em 2021 aos consumidores brasileiros e registrou o compromisso da manutenção da prestação dos serviços, observando também a devida transparência nas decisões indicadas pelo colegiado", diz a nota.

Em relação às usinas hidrelétricas Ilha Solteira e Três Irmãos, que têm relevância para a navegação da Hidrovia Tietê-Paraná, ficou decidido que o ONS vai divulgar, com antecedência mínima de 15 dias, as perspectivas de faixas de operação para dar previsibilidade aos transportadores.

Há indicações de que as restrições na liberação de água pelas hidrelétricas farão com que a hidrovia tenha que parar em algum momento nos próximos meses.

Por outro lado, o governo abriu uma exceção para que o ONS avalie uma solução com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) para manter a "devida governabilidade das cascatas hidráulicas" das hidrelétricas da bacia do Rio Grande, entre elas Furnas.

A medida representa um aceno ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que fez críticas públicas à atuação do MME e do ONS em relação à hidrelétrica localizada no Sul de Minas Gerais e defende a fixação de uma cota mínima na usina, cujo reservatório abastece cerca de 30 municípios e atividades como o turismo regional, pesca, irrigação e piscicultura.

Pacheco também tem influência em decisões fundamentais para o governo, como a prorrogação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid.

Durante a reunião, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) ainda apresentou a proposta para realização de uma campanha de conscientização do uso eficiente de energia e das bandeiras tarifárias.

A medida foi aprovada pelo órgão regulador ontem, 6, e atende a uma decisão anterior do CMSE. A campanha será realizada obrigatoriamente pelas distribuidoras de energia ao longo do segundo semestre deste ano.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, reafirmou que não há risco de o Brasil voltar a enfrentar racionamento ou apagão devido à grave crise hídrica.

Em entrevista ao programa 'Agenda Econômica', da TV Senado, Albuquerque disse que o governo monitora o sistema elétrico 24 horas por dia e que está adotando medidas desde o final do ano passado.

"Não corremos risco de apagão, não corremos risco de racionamento. Como eu já tive oportunidade de falar algumas vezes, nós monitoramos o nosso sistema interligado nacional 24 horas por dia", disse.

Sabesp

O presidente da Sabesp, Benedito Braga, afirmou que a situação pluviométrica "está ruim" neste período de inverno. "Já tivemos uma redução importante da vazão em alguns municípios", disse durante evento Lide Talks ESG.

Ele acrescentou que em outros municípios já houve utilização de captação emergencial e até situação de comprometimento.

No entanto, ele ponderou que o Estado de São Paulo já tem um plano em caso de seca extrema. Além disso, por parte da Sabesp, a companhia tem feito importantes obras de infraestrutura, como a transposição de volumes de águas.

"Estamos tranquilos, criamos uma capacidade de produção de água potável muito maior desde a crise de 2014", disse o executivo. "Em termos de segurança hídrica, nossa capacidade hoje é muito maior."

Ele ressaltou, porém, que a companhia está atenta ao consumo racional da água por parte dos consumidores. "A situação está sob controle em São Paulo." Segundo Braga, o sistema integrado está com 51,2% da capacidade hoje.

Compartilhe

Luz do fim do túnel?

Desconto na conta de luz: Aneel consulta repasse de até R$ 5 bilhões da Eletrobras (ELET3) para reduzir tarifas

22 de junho de 2022 - 15:51

O valor pode aliviar o impacto de tarifas do processo de desestatização no bolso do consumidor

APAGA A LUZ!

Conta de luz mais cara: ANEEL propõe reajustes de quase 60% em bandeiras tarifárias

12 de abril de 2022 - 15:01

Dentre os fatores apontados como justificativa para o reajuste estão a inflação, que fechou 2021 em 10,06%, e a alta dos combustíveis

SEM REFRESCO

A conta de luz vai continuar com tarifa extra: Aneel mantém bandeira de escassez hídrica em março

26 de fevereiro de 2022 - 12:44

Em contrapartida, órgão regulador mantém pelo 4º mês seguido a bandeira verde para consumidores inscritos no Tarifa Social

TIRANDO O PESO

Em busca de desalavancagem, Equatorial (EQTL3) lança oferta de ações para levantar mais de R$ 2,6 bilhões

27 de janeiro de 2022 - 9:52

Empresa tenta fazer jus à fama de ‘gigante que nunca dorme’ para seguir em busca de novas aquisições no setor elétrico

OLHO NO ÁRBITRO

Aneel aprova acordo entre concessionária e União pelo linhão Manaus-Boa Vista

11 de setembro de 2021 - 12:13

Processo será conduzido por um Tribunal Arbitral composto por três árbitros

Seca severa

Em pronunciamento, ministro pede que consumidores economizem energia e água, e diz que crise é fruto de “fenômeno natural”

1 de setembro de 2021 - 7:18

Bento Albuquerque, de Minas e Energia, afirma que choveu menos que o esperado na região Sul, mas evitou usar a palavra “racionamento”

CRISE HÍDRICA

Aneel mantém bandeira vermelha nível dois nas contas de luz em setembro

28 de agosto de 2021 - 7:25

É o quarto mês consecutivo que a Aneel aciona a bandeira vermelha patamar 2. De acordo com a agência, agosto foi um mês de “severidade” para o regime hidrológico do sistema elétrico

Energia elétrica

Prepare o bolso: conta de luz pode subir 16,7% no próximo ano, de acordo com Aneel

17 de agosto de 2021 - 7:48

Para evitar que as contas disparem, a agência analisa medidas para aliviar os efeitos para os consumidores e manter os reajustes inferiores a dois dígitos

Situação preocupante

Cuidado com as luzes acesas! Aneel mantém taxa adicional mais alta na contas de agosto

31 de julho de 2021 - 10:56

Tarifa cobrada na bandeira vermelha nível 2 é de R$ 9,49 por 100 quilowatts-hora (kWh), e agência continua avaliando se vai elevar o valor

Energia mais cara

Bandeira vermelha nível 2 poderá aumentar para até R$ 11,50 a cada 100 kWh, diz Aneel

30 de junho de 2021 - 7:29

Ontem, a agência reguladora já havia aprovado um reajuste de 52%, que passou a taxa adicional de R$ 6,24 para R$ 9,49

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies