🔴 TCHAUZINHO, NUBANK: Itaú BBA revela ação que pode colocar o roxinho para comer poeira; CLIQUE AQUI  e descubra a resposta no nosso Telegram

2020-02-02T15:53:47-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
consumo em mudança

Turbinados por empresas como Carrefour e Grupo Pão de Açúcar, apps de entrega mudam varejo

Varejistas de uma só loja também contribuem para o sucesso de iniciativas como Uber Eats, iFood e Rappi, mas, para os supermercados, parcela de vendas ainda representa pouco

2 de fevereiro de 2020
15:52 - atualizado às 15:53
Imagem do aplicativo de entregas Rappi
Rappi, aplicativo promete delivery de tudo - Imagem: Shutterstock

Nos últimos dois anos, turbinado pelo interesse tanto de gigantes, como Carrefour e Grupo Pão de Açúcar (GPA), quanto de varejistas de uma só loja, o mercado de compras de conveniência feitas por meio de apps de entrega - como Uber Eats, iFood e Rappi - tem avançado exponencialmente, embora ainda represente pouco dentro das vendas totais dos supermercados.

"Registramos crescimento de 100% a cada mês", diz Diego Barreto, vice-presidente financeiro do iFood, que começou a oferecer entrega de supermercados parceiros no começo do ano passado. A empresa opera com 400 supermercados em 80 cidades e quer chegar a mil lojas em 200 cidades em meados do ano.

No concorrente Rappi, a compra de supermercado é a linha que mais cresce na empresa, depois de refeições, que se propõe a entregar qualquer tipo de produto.

Entre os varejistas, um dos pontos que impulsionam o interesse pela venda por meio dos apps de entrega é a atração de novos consumidores. No Carrefour, que há dois anos tem parceria nacional com a Rappi, 63% dos clientes do canal e-commerce food não faziam compras na rede, diz Paula Cardoso, CEO do Carrefour e-Business.

"A adesão não é só das camadas de maior renda (mais habituadas a compras online), mas também das classes C e D", ressalta Marcelo Rizzi, diretor do Grupo Big, que testa a parceria com o iFood em uma loja e vai expandir para hipermercados, supermercados e atacarejos.

Dados

Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo, diz que a parceria dos aplicativos e supermercados é um caminho sem volta, pois o smartphone mudou o hábito de compra e as empresas travam uma corrida para estarem mais bem posicionadas do que as rivais nesse novo mercado.

Terra e outros especialistas destacam a oportunidade, mas alertam para o risco estratégico: ao fechar parceria com companhias de delivery, o supermercado pode entregar informações do consumidor para empresas de fora. "A questão é de quem é o cliente."

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O resgate da libra esterlina, o que esperar do debate na Globo e razões para comprar Cyrela; confira os destaques

28 de setembro de 2022 - 19:10

Dias após negar que anteciparia uma movimentação para deter o derretimento da libra esterlina, o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) se viu obrigado a agir antes do esperado. A incerteza com o plano de estímulos fiscais anunciado na semana passada pela primeira-ministra Liz Truss falou mais alto e, em uma tentativa de […]

FECHAMENTO DO DIA

Cautela pré-eleição segura alta do Ibovespa, mas Wall Street tem forte alta; dólar cai a R$ 5,34

28 de setembro de 2022 - 18:51

Apesar do Ibovespa ter encerrado o dia em leve alta de 0,07%, aos 108.451 pontos, e o dólar à vista ter recuado 0,50%, a R$ 5,3497, os juros futuros locais voltaram a subir.

MERCADO DE TRABALHO

Quer trabalhar em startups? Saiba quais são as melhores empresas, segundo o LinkedIn

28 de setembro de 2022 - 17:35

As fintechs, como são conhecidas as companhias financeiras com foco em tecnologia, lideram o ranking; seguradoras também são destaque

AVISO INÉDITO

Este fundo imobiliário está caro, segundo o próprio gestor — saiba quanto o KINP11 ainda tem que cair para chegar ao preço justo

28 de setembro de 2022 - 17:16

A Kinea Investimentos e a Intrag, administradora do fundo, avisaram aos investidores na semana passada que quem comprasse as cotas no patamar de preço em que estavam até então poderia ter um prejuízo de mais de 60%

POBRE MENINO RICO

Zuckerberg pobre? Dono do Facebook perde bilhões de dólares e sai da lista dos mais ricos dos EUA

28 de setembro de 2022 - 16:43

Essa não é a primeira vez que o patrimônio líquido de Zuckerberg despenca: após a famosa oferta pública de ações do Facebook em 2012, ele caiu da 14ª posição para a 36ª na Forbes 400

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies