Menu
2020-02-06T08:33:26-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
entrevista

‘Reduzir número de impostos cortaria custos de empresas’, diz presidente do Bradesco

Octavio de Lazari diz que o País precisa tentar aprovar reformas possíveis em um cenário de eleições de 2020

6 de fevereiro de 2020
8:33
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco - Imagem: Divulgação CIAB

O presidente do Bradesco, Octavio de Lazari, afirmou, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo/Broadcast, que o País precisa tentar aprovar reformas possíveis em um cenário de eleições de 2020. "Sempre digo que o ótimo é inimigo do bom."

Apesar de não ter expectativa de uma redução da carga tributária - por causa da situação fiscal do País -, o executivo disse que a simplificação da estrutura de impostos já ajudaria o Brasil. "Reduzir o número de impostos tiraria um custo importante das empresas."

Leia, a seguir, os principais trechos da entrevista:

Uma eventual desaceleração das reformas pode prejudicar o crescimento do País?
Nossa projeção para o PIB segue em 2,5% para 2020. Não vamos mexer por enquanto. A reforma da Previdência era a mais importante e passou. Pelo que tenho visto, apesar de termos calendário eleitoral, vamos conseguir andar com as reformas administrativa e tributária, além da independência do Banco Central.

E a qualidade das reformas?
Não serão reformas ótimas. Sempre digo que o ótimo é inimigo do bom. A gente sabe que não dá para diminuir a carga tributária no Brasil porque temos um problema fiscal. Precisamos diminuir o número de impostos e desburocratizar - e isso está na proposta do Baleia Rossi (MDB-SP) e do (economista) Bernardo Appy.

Qual seria o impacto dessa simplificação tributária para o País?
O Bradesco tem 372 funcionários no departamento de auditoria só para cuidar de impostos. Se for simplificado, poderia ter metade. Reduzir o número de impostos tiraria um custo importante das empresas.

Quais são as expectativas do banco em relação a resultados?
A gente sabe da pressão regulatória e que deverá ter novas mudanças. Mas, quando olho cada linha do balanço do banco crescendo, não é o que vejo. A Losango, financeira do HSBC, veio para ser fechada. Resolvemos esperar. Cortamos os funcionários pela metade e a empresa entregou R$ 300 milhões de lucro em 2019. No balanço, não há nenhum protagonista. O Bradesco dá resultados em várias linhas.

A melhora da economia ajuda?
Quando olho um PIB crescendo 1,2% e o fato de termos sido capazes de crescer 34% no crédito pessoal, 1% no imobiliário e mais de 20% em veículos, ocupamos espaço da concorrência. O time está preparado para capturar esse crescimento da economia brasileira. Nosso guidance pode ser audacioso? Pode. Um presidente de uma grande companhia tem de se desafiar o tempo todo porque, senão, a empresa não cresce.

E a rentabilidade? O banco quer recuperar o segundo lugar nesse quesito?
Não é uma obsessão, mas é o nosso objetivo lá na frente. É encurtar a distância para quaisquer outros concorrentes que estejam na nossa frente.

E as fintechs, podem atrapalhar o Bradesco?
Para nós, pode ter certeza que não é (um problema). Nós vamos crescer.

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Recuperação intranquila

Ibovespa passa por instabilidade com possível demissão de Mandetta, mas ainda fecha em alta firme

O Ibovespa terminou a sessão com ganhos de mais de 6%, mas ainda assim ficou distante das máximas e aquém das bolsas americanas. Tudo por causa das incertezas relacionadas à permanência do ministro da Saúde no cargo

Números atualizados

Brasil tem 553 mortes e 12 mil casos confirmados do novo coronavírus

Brasil chegou a 553 mortes em razão da pandemia do coronavírus, segundo atualizaçãodo Ministério da Saúde. Número representa um aumento de 13%

Fundos

Comprada em bolsa nos EUA, Verde Asset diz que volta de preços ocorrerá ‘mais rápido do que muitos imaginam’

Mercado já colocou nos preços uma brutal queda de lucratividade das empresas, que será revertida ao longo dos próximos anos, segundo a gestora

Não tem pra todo mundo

‘Não há como ajudar todos os setores’, diz presidente do Santander

Presidente do Santander Brasil, Sergio Rial afirmou que deve-se evitar que mais setores venham buscar dinheiro no governo por conta da crise

Premiê com covid-19

Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido, dá entrada em UTI

Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deu entrada em uma unidade de terapia intensiva após a piora no seu quadro médico, disse a BBC

Tensão em Brasília e na bolsa

Ibovespa perde força após jornal afirmar que Bolsonaro vai demitir Mandetta ainda hoje

O Ibovespa se distanciou das máximas após as primeiras notícias quanto à demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Dinheiro guardado

Poupança volta a captar em meio à crise do coronavírus

Os depósitos na poupança superaram os saques em R$ 12,168 bilhões no mês passado. Com isso, a captação líquida de março foi a maior da série histórica para o mês

Jogo franco

Não há condições para fazer com segurança nova projeção para 2020, diz Anfavea

Anfavea critica restrição de bancos em relação a crédito e cobra atuação do governo federal

efeito coronavírus

PIB do Brasil deve cair 2% em 2020, diz Fitch; América Latina deve encolher 2,6%

Projeção de queda para o PIB da América Latina é maior do que a observada durante a crise financeira global de 2008/2009

medida de prevenção

Doria estende em 15 dias quarentena em São Paulo

Segundo o governo, contágio já chegou a cem cidades paulistas; recomendação é que as pessoas fiquem em casa; serviços considerados essenciais continuam em funcionamento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements