Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-12-11T20:55:46-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
dinheiro no bolso

Raia Drogasil e Telefônica anunciam juros sobre capital próprio

Rede de drogarias paga R$ 47 milhões aos acionistas e operadora desembolsa R$ 260 milhões, além de dividendos; veja condições

11 de dezembro de 2020
20:54 - atualizado às 20:55
Cédulas de real
Cédulas de real - Imagem: Shutterstock

A rede de drogarias Raia Drogasil e a operadora Telefônica Brasil anunciaram nesta sexta-feira (11) que aprovaram o pagamento de juros sobre capital próprio aos acionistas.

No caso da Raia Drogasil, são R$ 47 milhões - R$ 0,0284 por ação. A apropriação contábil é nesta sexta, diz a empresa. A companhia informa que a remuneração tem como base a posição acionária do próximo dia 16.

A partir do dia 17, as ações passam a ser negociadas ex-juros. O pagamento será efetuado até o dia 31 de maio de 2021, mas a data exata ainda deve ser estabelecida pela Raia Drogasil.

Já a Telefônica Brasil paga o total bruto de R$ 1,46 bilhão, somando juros sobre capital próprio e dividendos. Em juros, são R$ 260 milhões, ou R$ 0,1540 por ação ON.

O valor chega a R$ 1,2 bilhão em dividendos - o que corresponde a R$ 0,7108 por ação -, diz a operadora dona da Vivo. Os valores serão pagos com base na posição acionária do dia 28 de dezembro

Ainda conforme a Telefônica Brasil, as ações passam a ser negociadas a ex-direitos a partir do dia 29. Os valores serão creditados aos acionistas até o final de 2021.

Juros sobre capital próprio é um provento considerado despesa financeira, contribuindo para reduzir a base tributária da companhia. Os valores não são isentos de IR para os acionistas - são tributados na fonte a uma alíquota de 15%.

A companhia só faz o pagamento de juros sobre capital próprio quanto lhe é interessante. O valor do provento está limitado ao valor da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) aplicada sobre o capital social da empresa. A TJLP é determinada pelo governo federal.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies