Menu
2020-06-20T09:31:19-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
inscrições até dia 29

Projeto busca aumentar participação de mulheres em conselhos de empresas

Programa de mentoria tem duração de um ano e as inscrições podem ser feitas até o próximo dia 29 pelo site do IBGC

20 de junho de 2020
9:30 - atualizado às 9:31
mulheres executivas
Imagem: Shutterstock

A Women Corporate Directors (WCD), a Bolsa de Valores de São Paulo (B3), o Instituto de Governança Corporativa (IBGC), a International Finance Corporation (IFC) e a Spencer Stuart se uniram para organizar o Programa Diversidade em Conselho, que selecionará 35 participantes com experiência ou potencial de crescimento na carreira executiva.

O programa de mentoria tem duração de um ano e as inscrições podem ser feitas até o próximo dia 29 pelo site do IBGC. Para a coordenadora da atividade, Adriana Muratore, que foi selecionada em uma das edições anteriores, é uma oportunidade para dar um novo passo na carreira e influenciar o mercado de outras formas.

Além da participação em eventos sobre temas como responsabilidade dos administradores, mercado de capitais e gestão de risco, as selecionadas se reúnem periodicamente com um mentor experiente em conselhos de administração, com o objetivo de se especializar e ampliar a rede de contatos no mundo corporativo. Por causa da pandemia do novo coronavírus, as atividades serão realizadas de forma virtual.

"O grande objetivo do programa é ampliar a visibilidade dessas mulheres. Temos muitas mulheres qualificadas, até em transição de carreira para conselho, mas que não são conhecidas, porque o networking (rede de contatos corporativos) é diferente", explica Adriana.

No Brasil, a participação de mulheres em conselhos de administração de empresas ainda está abaixo da média mundial: no ano passado, elas ocupavam 10,5% das cadeiras de conselhos, enquanto a média de outros países é 23,7%, de acordo com levantamento da consultoria Spencer Stuart.

A executiva Cátia Tokoro, com mais de 25 anos de carreira executiva, nos ramos de telecomunicações e tecnologia da informação, conta que participar do programa em 2018 abriu as portas para que pudesse ocupar vagas em conselhos de administração e outros comitês.

"O programa foi fundamental para despertar uma série de temas que eram importantes para essa preparação. A experiência como executiva ajuda, e eu já tinha formação em governança com certificações, mas a mentoria me ajudou a entender muito a parte comportamental", diz.

Atualmente, Cátia atua como conselheira independente e é presidente do comitê de sustentabilidade da SulAmérica, participa do conselho consultivo da empresa especializada em inteligência geográfica Imagem Sistemas e da empresa especializada em mentorias Top2You.

A sócia da KPMG e copresidente da Women Corporate Directors (WCD) no Brasil, Marienne Coutinho, reforça que a diversidade é hoje um dos pilares para a busca pelo equilíbrio ESG (ambiental, social e governança, em inglês), um dos principais indicadores de desempenho das companhias. "A diversidade proporciona um novo olhar para buscar soluções para todos, e não apenas para um grupo", diz Marienne.

O Programa Diversidade em Conselho é gratuito, mas a edição deste ano pede que a participante faça um curso do IBGC antes do início das atividades: custa R$ 3,8 mil para não associadas do instituto e R$ 3 mil para associadas. O valor será revertido à execução do próprio programa.

*Com informações de jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Decisão cautelar

TCU proíbe governo Bolsonaro de anunciar em sites que exerçam atividades ilegais

Indícios de irregularidades na veiculação de propagandas do governo federal levaram o TCU a tomar a decisão cautelar, concedida pelo ministro Vital do Rêgo

PGR

Aras recomenda a Guedes mais transparência em gastos no combate à pandemia

A pedido de procuradores do MPF-PE, o procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou recomendações para Guedes dar transparência aos gastos federais

Setor em destaque

Estatais de saneamento querem flexibilizar regras para contratar empréstimos

Com regras mais fáceis para a entrada do setor privado, as estatais de saneamento querem que a concessão de empréstimos ao segmento seja menos rigorosa

Preocupação ambiental

Para empresários, discurso do governo sobre desmatamento mudou

Após reunião com o vice-presidente Hamilton Mourão, empresários parecem satisfeitos quanto aos compromissos firmados pelo governo a respeito do desmatamento

O melhor do Seu Dinheiro

MAIS LIDAS: O canto da sereia

Uma matéria alertando para os riscos do day trade foi a mais lida desta semana no Seu Dinheiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements